Vinagre de Maçã é Bom para o Cabelo?

Atualizado em:

PUBLICIDADE


Benefícios do vinagre de maçã para o cabelo

O vinagre de maçã (ACV, do inglês Apple Cigar Vinegar) é um condimento popular e um alimento saudável. É feito de maçãs usando um processo de fermentação enriquecido com culturas vivas, minerais e ácidos.

Ele tem muitas aplicações como remédio caseiro, uma deles é na lavagem do cabelo para fortalecê-lo, melhorar o brilho dele e a saúde do couro cabeludo.

Embora erroneamente saudado como uma panacéia ou cura para todos os problemas de saúde, apesar de pouco pesquisado o ACV realmente traz benefícios quando se trata dos cabelos.

Para os que têm coceira no couro cabeludo ou quebra dos cabelos, o vinagre de maçã pode ser um ótimo remédio natural.vinagre-de-maca-no-cabelo

PUBLICIDADE


Por que usar o vinagre de maça para cuidar dos cabelos?

Acidez e pH

O cabelo opaco, frágil ou frisado tende a ter pH mais alcalino, e uma substância ácida, como o ACV – que tem boa quantidade de ácido acético –, ajuda a diminuir o pH e devolver o equilíbrio ao cabelo.

Antimicrobiano

O ACV ajuda a controlar bactérias e fungos que trazem problemas ao couro cabeludo (e consequentemente aos cabelos), como pequenas infecções ou coceira.

Outras propriedades

O vinagre de maçã é rico em vitaminas (como C e B) e minerais (como manganês, cálcio, potássio e ferro), além de conter alfa-hidroxiácidos, que ajudam a esfoliar a pele do couro cabeludo, e têm propriedades anti-inflamatórias, o que auxilia contra a caspa.

Como usar o vinagre de maça para cuidar dos cabelos?

  • Misture em torno de 5 ou menos colheres de sopa de vinagre de maçã com água.
  • Após a lavagem e condicionamento do cabelo, despeje a mistura uniformemente sobre ele.
  • Deixe descansar por alguns minutos.
  • Enxague.

Recomenda-se também misturar algumas gotas de óleo essencial na mistura se o cheiro ácido dela – que sai dos cabelos rapidamente após a lavagem deles – for muito forte para você.

Cuidados ao usar o vinagre de maça no cabelo

Se os problemas do cabelo ou do couro cabeludo piorarem, diminua a dosagem do ACV, a frequência com que utiliza-o ou interrompa o uso dele.

O vinagre de maçã contém ácidos acéticos conhecidos por serem cáusticos. Isso significa que eles podem irritar ou queimar a pele.

Sempre dilua o ACV em água antes de aplicá-lo diretamente na pele, embora se causar irritação, ela quase sempre desaparece em alguns dias.

Evite que ele entre em contato com os olhos. Se isso acontecer, lave a região rapidamente com água.

Pesquisas científicas apoiam o uso do vinagre de maça para os cabelos?

Há pesquisas que garantem alguns benefícios do ACV para o cabelo, já para outros ainda mais estudos são necessários.

Um trabalho científico de 2014 constatou que a alta alcalinidade da maioria dos shampoos pode contribuir para a quebra e o ressecamento do cabelo, e que a maior parte dos produtos capilares não trabalha o pH do cabelo como deveria. Por ser altamente ácido, o ACV ajuda a equilibrar o pH do cabelo, o que confere à ele suavidade, força e brilho.

Há pouca ou nenhuma evidência de que o ACV contenha vitaminas em quantidade impactante para a saúde do cabelo.

Também não há pesquisas que comprovem que o ACV tenha alfa-hidroxiácidos, embora se saiba que as maçãs tenham-nos – elas também têm vitamina C, que por sua vez é indetectável no vinagre de maça.

Não existem dados que comprovem que o vinagre de maça é anti-inflamatório, na verdade, ele tem ácidos muito cáusticos que, quando mal usados, podem causar inflamação em vez de revertê-la.

Os poderes antimicrobianos do vinagre de maçã também são bem apoiados por pesquisas. Ele pode auxiliar contra infecções e coceira do couro cabeludo, entretanto, é pouco eficaz para reduzir inflamações ou problemas do couro cabeludo, como a caspa.

O cabelo de cada um é diferente. Lavagens com vinagre de maçã podem não funcionar para todos. A melhor maneira de saber se ele é benéfico para você é incorporá-lo à sua rotina de cuidados com o cabelo.

Artigo anteriorComo Diminuir as Entradas no Cabelo?
Próximo artigoComo Tratar a Calvície Feminina
CRM: 91128. Doutorado em Dermatologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (2009-2012). Mestrado em Dermatologia Clínica e Cirúrgica pela Universidade Federal de São Paulo (2001-2006). Residência médica em Dermatologia pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (1998-2001). Graduação em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (1992-1997). Pós-Doutorado em pesquisa em dermatologia pela Emory University School of Medicine, Atlanta, GA, EUA. Professor-assistente de dermatologia na Universidade de Mogi das Cruzes (2005-2006). Médico-assistente do Serviço de Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2006-2012). Médico chefe do Serviço de Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2012-2014). Coordenador do programa de residência médica em Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2019-2012). Coordenador de todos os programas de aperfeiçoamento/especialização médicos da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2011-2014).