Varizes

Surgimento de varizes na gravidez

Na gestante, as varizes começam a surgir nos 3 primeiros meses da gestação. Isto ocorre devido às mudanças hormonais e do aumento da quantidade de líquidos no organismo, o que contribui para aumentar a pressão sobre as veias das pernas.

PUBLICIDADE


Com o andamento da gestação, o bebê cresce e o útero aumenta gradativamente, com isso, ele começa a comprimir as veias abdominais, comprometendo o retorno do sangue das pernas em direção ao coração, e assim contribuindo para o inchaço das pernas, o que pode piorar as varizes.

Trabalhos científicos demonstram que a maior causa de varizes, tanto na gestação quanto fora dela, é genética. Quem tem pai e mãe com varizes tem chance de aproximadamente 90% de sofrer com o problema.

Recomendações para varizes na gravidez

As principais recomendações para quem tem varizes são: repousar com as pernas elevadas, usar meias elásticas, praticar atividade física regularmente, e ter uma dieta equilibrada para evitar o ganho de peso.

As meias elásticas devem ser utilizadas desde a hora que a gestante acorda até a hora de dormir. Não é necessário dormir com elas, e ela deve ser usada com orientação do cirurgião vascular.

PUBLICIDADE


Nenhum medicamento para amenizar os sintomas das varizes é recomendado durante a gestação.

Varizes

Em algumas situações, as varizes causam dores nas pernas.

No período antes do verão, os consultórios dos cirurgiões vasculares ficam mais cheios, porque mais mulheres querem eliminar as varizes para usarem saias, vestidos e biquínis.

A doença varicosa é muito prevalente, e atinge metade da população quinquagenária, e mais de 70% dos septuagenários. Homens e mulheres têm varizes, em uma proporção de 4 mulheres para cada homem.

Causas das varizes

O coração está na caixa torácica. O sangue é bombeado através das artérias e as veias levam-no das pernas ao coração. A partir do momento que o homem passou a andar sobre duas pernas, o coração foi afastado de onde o sangue deveria ser bombeado, que são as pernas.

Existem mais camadas musculares na parede arterial do que na venosa, por isso as artérias aguentam maior pressão. Assim, a grossura da parede arterial é maior, e as veias são mais flácidas.

Muitas vezes as veias ficam dilatadas, tortuosas e alongadas, é como se perdessem um pouco da tonicidade.

A principal causa das varizes é a hereditariedade. Outros fatores não tratáveis são raça, sexo e postura (o bipedismo). Já os evitáveis são o sedentarismo, a obesidade, a gestação, excesso de pílula anticoncepcional e os tratamentos hormonais.

As varizes são basicamente hereditárias, e o salto alto é um fator desencadeador delas, principalmente para quem trabalha em pé com salto alto, devido à posição desconfortável e que prejudica a ação da panturrilha, que ajuda a bombear o sangue. Saltos de até 5cm podem ser usados, até um pouco maiores se a pessoa não tiver tendência genética à varizes. A meia elástica pode ser usada com o salto alto.

Qualquer trabalho em que a pessoa fique em pé ou sentada durante muito tempo, sem se movimentar, pode piorar as varizes, assim como a obesidade e o número excessivo de gravidezes.

Existem outros fatores que causam varizes, como o uso de pílula anticoncepcional e problemas como trombose e flebite, cujas causas precisam ser investigadas para verificar se são genéticas.

O hormônio feminino ajuda a alterar o retorno venoso e interfere na parede dos vasos sanguíneos, piorando o quadro.

Segundo pesquisas, 35% das mulheres tem varizes. Devido a fatores como a parte hormonal e a gravidez, existe uma média de 4 mulheres com varizes para cada homem que tem.

Na gravidez, o crescimento da barriga muda o centro de gravidade do corpo, o que dificulta o retorno venoso, além de influenciar nos hormônios. O útero também comprime uma veia que passa atrás dele, dificultando o retorno do sangue e contribuindo para as varizes.

Graus de doença varicosa

Existem vários graus de varizes, do 1 ao 6. O 1 é quando a pessoa tem apenas telangiectasias, popularmente chamadas de vasinhos. O 2 é quando a veia fica mais visível e palpável. No 3 ocorre inchaço. A partir do 4, surgem alterações de pele ligadas à doença varicosa.

O que são varizes?

Varizes são veias dilatadas, tortuosas, que podem ou não ser protuberantes e formar calos. As microvarizes, também chamadas de telangiectasias, são pequenas, com até 3 ou 4mm de diâmetro, de cor azulada, azul-esverdeada ou arroxeada, e provocam efeito estético desagradável na perna ou em outras áreas do corpo. A cor delas está relacionada ao tipo de veia – as veias mais vermelhas têm mais oxigênio, as mais azuis têm menos – e indica o melhor tratamento a ser feito.

Os vasos menores, que podem ser avermelhados, azulados ou arroxeados, também são chamados de microvarizes.

Tratamento para varizes

O médico faz um ultrassom vascular (Doppler) para investigar se existem veias importantes comprometidas. Depois, faz um exame físico visual. O terceiro exame é a fleboscopia, um aparelho que emite ondas infravermelhas, que quando em contato com a pele mostram as veias, e se existe uma alimentadora, o que muda o tipo de tratamento a ser feito.

A espuma é um tratamento para varizes e microvarizes, e precisa ter indicação precisa. Existem casos em que é melhor outro tipo de aplicação.

Ela é utilizada para misturada com o ar, e assim adere mais à parede dos vasos sanguíneos. É necessário cuidados para o tratamento, já a aplicação convencional é mais simples e com pós-operatório menos agressivo.

Em alguns casos, existe a opção de escolher entre o tratamento com espuma e cirurgia – existem várias para varizes –, a com laser ou com radiofrequência é muito menos agressiva e tem menos riscos do que o tratamento com espuma, e possibilita que o paciente saia do repouso no dia seguinte ao procedimento, ou seja, ele já poderá andar, dirigir e trabalhar normalmente. A convencional é mais agressiva e mais invasiva que a com laser e a radiofrequência, sendo necessário repouso em média de 10 a 15 dias.

Recuperação após o tratamento

O paciente deve evitar viagens longas, dependendo da cirurgia, de 5 dias a uma semana. Para viagens de carro, de 3 ou 4 horas, não há problemas desde que o paciente utilize meia elástica, que deve ser utilizada por 15 a 30 dias, dependendo do tipo de variz e da cirurgia.

Luz pulsada

Antigamente os lasers não eram o tratamento ideal para varizes, a luz pulsada era melhor opção, porém ela tem muitas contraindicações, que dependem da cor da pele, se ela está bronzeada, do tipo dos vasinhos (uns podem ser tratados, outros não), da região do corpo a ser tratada, etc.

Com o avanço da tecnologia, surgiram novos lasers, melhores do que a luz pulsada para tratar varizes.

Reincidência das varizes

As varizes não voltam, nem após a cirurgia a laser, nem após a convencional. O médico trata as veias que estão degeneradas naquele momento. Isso não significa que os hormônios e outras causas não possam degenerar outras veias. Geralmente, quem opera uma vez, precisa operar novamente. Demora cerca de 10 anos após a cirurgia para novas varizes aparecerem.

Tratamento durante a amamentação

Para quem está amamentando, pode-se utilizar a glicose hipertônica. O laser também não atrapalha a amamentação.

Drenagem linfática

A drenagem linfática ajuda tanto no retorno da linfa quanto na função dos vasos sanguíneos. Quando a pessoa faz tratamento para as varizes, ou mesmo que não faça, a drenagem linfática causa grande melhora.

Evolução dos vasinhos

É difícil que pequenos vasinhos evoluam para varizes. Existem outros, que são maiores, azulados ou azul-esverdeados, chamados de varizes reticulares, que podem evoluir. Alguns vasinhos, e até algumas varizes que aparecem durante a gravidez, podem desaparecer após o nascimento do bebê.

A musculação é um ótimo exercício, mas não previne os vasinhos, pelo contrário, às vezes pode até piorá-los, dependendo do impacto e da quantidade de peso utilizada no exercício, por exemplo, no agachamento.

Pessoas que treinam bastante e atletas, como jogadores de futebol, normalmente têm os vasos dilatados. É necessário fazer exames para saber se são varizes.

Fleboscópio

Na cirurgia, com o fleboscópio, o médico marca o início e o final das varizes, para que todo o pedaço seja tratado.

Alguns fleboscópios podem ser utilizados com a luz do ambiente acesa, outros somente no escuro.

Filtro solar

O protetor solar é indicado para qualquer situação, mas não evita varizes. Em locais mais quentes e com maior incidência solar, as varizes dilatam mas logo voltam ao normal, por exemplo, quando a pessoa toma banho com água fria.

Quem vive em países tropicais tem maior tendência à varizes, pois o calor causa vasodilatação.

Viajar muito tempo de avião também aumenta a pressão nas pernas e acaba contribuindo para o surgimento delas.

É difícil preveni-las, pois elas aparecem repentinamente, mas podem ser amenizadas.

Artigo anteriorUsar salto alto causa varizes?
Próximo artigoVarizes e varicoses
CRM: 89006. Doutor na área de ciência em gastroenterologia pela Universidade de São Paulo (USP). Residência médica na Socidade Portuguesa de Beneficência de São José do Rio Preto (1997). Residência médica no Hospital e Maternidade Modelo Tamandaré (1999-2001). Titulo de especialista em Angiologia e Cirurgia vascular (2002). Título de especialista em Clínica Medica com capacitação em Medicina de Urgência pela Sociedade Brasileira de Clínica Médica (2002). Graduação em Medicina pela Universidade Estadual de Londrina (1996). Assistente colaborador da Sociedade Portuguesa de Beneficência de São José do Rio Preto (1997-1997). Perito médico da Receita Federal do Brasil (2008-2009).