Vacina para diabetes

Imunização e diabetes

A imunização se refere ao sistema de defesa do organismo. Sem defesa, o organismo pode pegar qualquer doença. As vacinas foram criadas para fortalecer o corpo contra doenças que já mataram muitas pessoas, como a gripe espanhola, a febre amarela, a dengue, entre outras.

PUBLICIDADE


Não existe nenhuma vacina proibida para quem tem diabetes, a não ser que a pessoa esteja com um diabetes descontrolado, com alguma complicação já instalada. Nesses casos, a pessoa deve procurar um médico para avaliar quais são os riscos de tomar essa vacina e os benefícios que ela irá trazer para a saúde.

A pessoas que estão com o sistema imunitário comprometido, como as pessoas que têm aids, e as pessoas que têm alergia à proteína do ovo (albumina), não podem tomar a vacina de febre amarela, pois podem ter complicações.

Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes, não existe nenhuma vacina desaconselhável para quem tem diabetes, a não ser que o paciente esteja com alguma complicação renal, alguma complicação hepática, etc.

No inverno, começa a imunização para o vírus influenza, que é o vírus da gripe. As pessoas que têm diabetes têm as gripes mais agravadas e têm mais tendência a terem pneumonia. Existe vacina para pneumonia, portanto o diabético pode e deve ser vacinado.

PUBLICIDADE


Para quem tem diabetes, a vacina para pneumonia tem entre 65% a 84% de eficácia. Nas pessoas que têm diabetes, a pneumonia pode agravar, levando ao óbito.

Quando uma pessoa que tem diabetes pega alguma infecção, o descontrole glicêmico é muito descompensado.

Vale a pena vacinar quem tem diabetes. Se a pessoa estiver com dúvida, deve conversar com um médico ou procurar um farmacêutico, que também está apto para dar esse tipo de explicação.

A vacina da gripe tem 57% de eficácia para quem tem diabetes. A vacina da gripe diminui em até 58% o número de internações para quem tem diabetes.

A vacinação para a gripe é anual, pois existe um consenso entre os laboratórios que trabalham com a gripe no mundo inteiro para verificar qual é a cepa do vírus influenza que está circulando no mundo. Os laboratórios fazem um preparado com aquela cepa, pois todo ano ela muda.

Por isso, se uma pessoa for vacinada para gripe no ano anterior e não se vacinou no ano corrente, ela poderá gripar.

A campanha de vacinação contra a gripe é gratuita para quem tem diabetes. Quando for liberada a vacinação da gripe, a pessoa deve procurar um posto de saúde.

Uma descompensação glicêmica pode gerar, no futuro, complicações de órgãos como os rins, fígado, coração, olhos, pernas e pés.

Vacina contra diabetes tipo 1

Existe uma pesquisa com a vacina BCG que está sendo realizada há mais de 20 anos. O ex-CEO da Crysler tem uma fundação que financia parte dessa pesquisa, pois ele perdeu a esposa por complicações do diabetes e quer achar a cura para o diabetes tipo 1.

Na pesquisa, a vacina BCG, que é usada amplamente para a tuberculose, é usada para quem tem diabetes tipo 1. A diabetes tipo 1 é uma doença autoimune, na qual o sistema imunitário da pessoa se descontrola e começa a destruir as células do pâncreas dela.

Essa vacina é somente para diabetes tipo 1, e somente para pacientes recém-diagnosticados, que ainda têm função de célula beta, pois, com o passar do tempo, as células beta vão perdendo a função. As células beta precisam estar funcionando para produzir e secretar insulina.

Essa pesquisa está sendo desenvolvida nos Estados Unidos, no Hospital Geral de Massachusetts, em Boston, liderada pela chefe do laboratório de imunologia, a Dra. Denise Faustman.

Em fevereiro de 2017, foram liberadas as pesquisas com humanos.

A vacina BCG também está sendo usada para tratar câncer de bexiga. É uma vacina segura, que já tem muitos anos de uso, e que mata as células T anormais que impedem a capacidade do pâncreas de produzir insulina.

Com a vacina, existe uma grande chance de cura de quem tem diabetes tipo 1. Na diabetes tipo 1, a pessoa perde peso, começa a urinar bastante e tem muita sede. O diagnóstico é muito rápido, levando cerca de 1 semana a 10 dias. Quando essas pessoas são diagnosticadas, já começam a ser tratadas com aplicações de insulina.

Existem 14 milhões de diabéticos no Brasil. Desses, somente 10% são diabéticos tipo 1, e os outros 90% são diabéticos do tipo 2.

Nenhuma vacina é desaconselhável para pessoas que têm diabetes, a não ser que a pessoa tenha alergia ao ovo (à albumina) ou a algum algum dos componentes da vacina.

No Brasil, a vacina BCG está disponível para tratar tuberculose, mas não para diabetes. A vacina BCG ainda não é liberada para ser usada para pessoas com diabetes.

A fase de pesquisa com seres humanos foi liberada pelo FDA (Foods and Drugs Administration), que é o órgão que regulamente pesquisas com novos medicamentos nos Estados Unidos, semelhante à ANVISA no Brasil. Se os resultados forem positivos, em alguns anos a vacina será liberada.

Artigo anteriorTratamento para hipoglicemia
Próximo artigoQual o pior tipo de diabetes?
CRM: 124205. Doutorado em andamento em Endocrinologia e Metabologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Residência em Clínica Médica pelo Hospital Geral de Pedreira. Aperfeiçoamento em Medicina Tropical (Hanseníase) pela Universidade Federal de Alagoas (2006). Graduação em Medicina pela Universidad de Montemorelos (1997-2005). Título de Especialista em Endocrinologia e Metabologia pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (2013). Médica endocrinologista da Prefeitura Municipal de Carapicuíba (2013-atual). Médica endocrinologista da Prefeitura Municipal de Cotia (2007-2016). Médica do Programa Saúde da Família da Prefeitura Municipal de Vargem Grande Paulista (2006-2007).