Usar Chapéu Causa Queda de Cabelo?

Atualizado em:

PUBLICIDADE


Usar chapéu faz cair cabelo?

A perda de cabelo pode ser causada por uma combinação de fatores como:

hairloss-blocker-recupera-88-cabelo
  • idade
  • hereditariedade
  • alterações hormonais
  • uso de determinadas medicações
  • condições médicas específicas

Muita pesquisa foi feita para compreender a calvície – também chamada de alopecia androgênica –, mas quase nenhuma delas analisou como o uso de chapéus pode causar perda de cabelo.

Remédios para Queda de Cabelo: Ranking do Consumidor

 PRODUTONOTA MÉDIAVOTOSREVIEW
#1HairLoss Blocker8,91/10581btn-saiba-mais
#2Minoxidil7,74/101023btn-saiba-mais
#3Finasterida7,25/101084btn-saiba-mais

O que dizem as pesquisas

Em um estudo cientistas investigaram como vários fatores ambientais diferentes afetaram a perda de cabelo em 92 pares de gêmeos idênticos, e descobriram que os gêmeos que usavam chapéu tinham menos perda de cabelo na área acima da testa do que os que não usavam.

chapeu-e-queda-de-cabeloOutros fatores associados ao aumento da perda de cabelo nessa mesma área incluem:

PUBLICIDADE


  • Praticar exercícios físicos de grande duração
  • Ingerir muita bebida alcoólica

No entanto, Dr. John Anthony, dermatologista da Cleveland Clinic, afirma que o uso de chapéus muito apertados ou quentes pode diminuir o fluxo sanguíneo para os folículos pilosos, o que acaba estressando-os e contribuindo para a queda dos cabelos. Essa perda geralmente é temporária, mas pode se tornar permanente com o uso prolongado desse acessório, por isso, se utilizá-lo, prefira exemplares mais folgados.

Quando a queda de cabelo não é normal

Segundo a Mayo Clinic, homens e mulheres geralmente perdem cerca de 100 fios por dia, o que é natural, e ao mesmo tempo novos fios de cabelo crescem no couro cabeludo.

Quando a relação entre perda e crescimento dos cabelos está desequilibrada, começa-se a perder cabelo.

A perda de cabelo também pode ocorrer quando os folículos capilares são destruídos e substituídos por tecido cicatricial, o que pode acontecer se o indivíduo utilizar chapéus muito apertados. Mas isso é pouco provável.

Causas conhecidas de perda de cabelo

Genética

Ter histórico familiar de calvície é a causa mais comum de perda de cabelo em homens e mulheres. A queda de cabelo genética geralmente progride lentamente durante a idade adulta. Nela, homens tendem a perder cabelo primeiro logo acima da testa ou no topo da cabeça. Enquanto mulheres tendem a experimentar um desbaste geral do cabelo.

Alterações hormonais

Como muitos dos processos do organismo, o crescimento e a perda do cabelo são controlados por mudanças nos níveis hormonais. Gravidez, parto, menopausa e problemas na tireóide podem afetar o equilíbrio hormonal e o crescimento e perda dos cabelos.

Condições médicas

Micose – uma infecção da pele por fungos –, diabetes, lupus e perda de peso significativa também pode causar queda de cabelo.

Medicamentos e suplementos

Certos tipos de medicamentos, incluindo alguns para tratamento do câncer, da artrite, de doenças cardíacas, da gota, e da hipertensão arterial, podem causar queda de cabelo como efeito colateral.

A radioterapia na cabeça também pode causar perda dos cabelos e resultar no recrescimento deles mais finos.

Estresse

Altos níveis de estresse estão associados a várias tipos de perda de cabelo, uma das mais comuns é a alopecia areata, doença autoimune que pode ser desencadeada pelo estresse.

Algumas pessoas arrancam os próprios cabelos como forma de lidar com sentimentos negativos ou desconfortáveis. Esta condição é chamada de tricotilomania.

Experimentar um evento estressante como um trauma físico ou emocional pode resultar em enfraquecimento geral dos cabelos após vários meses. Normalmente, esse tipo de perda capilar é temporária.

Penteados e tratamentos capilares

Fazer tranças muito apertadas nos cabelos pode causar alopecia por tração, uma espécie de perda gradual de cabelo causada por uma força contínua de tração sobre os fios.

Tratamentos de cabelo com óleo quente e permanentes podem prejudicar os folículos pilosos, fazendo com que eles fiquem inflamados e os cabelos caiam. Se se formarem cicatrizes sobre os folículos pilosos, eles não mais originarão cabelos.

Dicas para diminuir a queda de cabelo

Como a perda de cabelo é principalmente genética, você pode não ser capaz de evitá-la completamente, mas há algumas ações que evitam alguns tipos de queda de cabelo, por exemplo:

Não use penteados muito apertados como coques e rabos de cavalo.

Lave e penteie os cabelos com delicadeza. Use um pente de dentes largos para evitar arrancar os cabelos ao escová-los.

Não faça tratamentos capilares que possam causar queda de cabelo.

Se possível, evite tomar medicamentos e suplementos conhecidos por causar perda de cabelo. Converse com seu médico antes de iniciar ou parar qualquer tipo de medicação ou suplemento.

Proteja seu cabelo da luz solar forte e de outras fontes de raios ultravioleta, como câmaras de bronzeamento, usando um lenço, chapéu confortável ou outra forma de proteção para a cabeça.

Não fume, pois isso também está ligado à perda capilar.

Se fizer quimioterapia, utilize toucas de resfriamento, que reduzem a perda de cabelo durante o tratamento.

Embora os cientistas não tenham certeza de que o uso de chapéus causa queda de cabelo, isso é pouco provável. No entanto, como medida preventiva, evite o uso excessivo de chapéus apertados.

Se começar a perder cabelo excessivamente, procure um tricologista para ele identificar as possíveis causas e encontrar a melhor solução para isso.

Artigo anteriorO Que Faz Ocorrer Queda de Cabelo?
Próximo artigoComo Diminuir as Entradas no Cabelo?
CRM: 91128. Doutorado em Dermatologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (2009-2012). Mestrado em Dermatologia Clínica e Cirúrgica pela Universidade Federal de São Paulo (2001-2006). Residência médica em Dermatologia pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (1998-2001). Graduação em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (1992-1997). Pós-Doutorado em pesquisa em dermatologia pela Emory University School of Medicine, Atlanta, GA, EUA. Professor-assistente de dermatologia na Universidade de Mogi das Cruzes (2005-2006). Médico-assistente do Serviço de Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2006-2012). Médico chefe do Serviço de Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2012-2014). Coordenador do programa de residência médica em Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2019-2012). Coordenador de todos os programas de aperfeiçoamento/especialização médicos da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2011-2014).