Umbigo de abdominoplastia

Atualizado em:

PUBLICIDADE


Tipos de abdominoplastia

Há basicamente dois tipos de cirurgia de abdômen: a clássica, com corte extenso de um ao outro osso do quadril, para abdomens com sobras de pele tanto superiores como inferiores, e a miniabdominoplastia, normalmente associada à lipoaspiração e então designada lipoabdominoplastia, menos invasiva, com corte menor e sem incisão em torno do umbigo, para ex-gestantes com sobra de pele abaixo do umbigo.

Abdominoplastia e aparência do umbigo

Na abdominoplastia, para o umbigo há diferentes técnicas. Numa delas, descola-se toda a região abdominal, inclusive o umbigo, que fica mais raso e rebaixado na barriga. O processo que o deixa mais natural é a onfaloplastia, em que se solta a pele em volta dele, se puxa a do abdômen para baixo, se tira a excedente e se faz novo orifício na posição original, com o mesmo desenho. Ao fim, produz-se, ao redor dele, uma cicatriz que se pode aprimorar, por exemplo, com órteses de silicone dentro dele no pós-operatório.

Cicatrização e necrose do umbigo

Reconstruir o umbigo por sequela de cirurgia ou necrose não é muito bom. Obesos, cujo pedículo do umbigo é muito longo, ou pacientes com hérnia umbilical, que farão descolamento do umbigo para solucioná-la, poderão perder a circulação e criar condições para necrose (supressão e escurecimento de tecido). Porém, se mantiverem, no orifício, uma órtese – placa de silicone em forma de cone –, a cicatrização ocorrerá naquele formato e ficará semelhante à do umbigo original.

Artigo anteriorTudo sobre abdominoplastia
Próximo artigoCausas da calvície
CRM: 130475. Graduação em Medicina pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (2008). Residência médica em cirurgia plástica pelo Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas (2014-2017). Residência médica em cirurgia geral pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (2008-2010). Pós-graduação em reconstrução mamária pelo Hospital Pérola Byington (2017-2018). Pós-graduação em dermatocosmiatria pela faculdade de Medicina do ABC Paulista FMABC (2017-2018). Especialização em Oxigenoterapia Hiperárica pela Sociedade Brasileira de Medicina Hiperbárica (2016).