Tudo sobre clareamento dental

Com o passar do tempo e de acordo os costumes, os dentes podem ficar amarelados ou acinzentados, mas para esse problema que atinge muitas pessoas existe hoje o clareamento dental, muito procurado nos consultórios odontológicos. Por meio do laser ou de moldeiras com agente clareador, trata-se de procedimento seguro, desde que seguidas as recomendações do dentista.

PUBLICIDADE


Clareamento dental à base de gel

Para clarear os dentes, coloca-se, na superfície deles, gel à base de peróxido de carbamida ou peróxido de hidrogênio que penetra na estrutura e se quebra liberando oxigênio que reage com os pigmentos e gradualmente os elimina. O elemento clareador é o gel, e não a fonte de luz de LED ou laser.

Tipos de clareamento dental

O clareamento dental feito em consultório usa peróxido mais concentrado, geralmente hidrogênio a 35%, aplicado durante quarenta e cinco a cinquenta minutos. Método mais rápido, demanda de duas a três sessões, cada uma em torno de uma hora a uma hora e meia.

O clareamento caseiro exige a produção de moldeiras individuais, que posteriormente o paciente utilizará com gel de hidrogênio ou peróxido de carbamida em concentração mais baixa por duas a três semanas, de acordo com o tipo de dente e a densidade do gel.

Há também o clareamento para dentes não vitais, executado após tratamento de canal ou trauma, que os escurecem. Por essa técnica, põe-se um produto dentro do dente e faz-se um curativo, trocado até ele clarear.

PUBLICIDADE


A quarta forma de clareamento consiste em uma microabrasão superficial do dente para pessoas que tenham manchas causadas, por exemplo, por fluorose dental, ou seja, excesso de flúor quando criança ou durante a gestação (se a mãe ingere comprimidos dessa substância), ou por hipoplasia dental, má-formação que afeta o esmalte, ou também por tratamento ortodôntico.

Por fim, é possível associar a terapêutica de consultório com a da moldeira e obter clareamento rápido e bastante efetivo.

Duração dos efeitos e número de sessões

A duração dos efeitos e o número de sessões em consultório varia de acordo com a coloração, a estrutura dos dentes (padrão do esmalte e dentina), os hábitos alimentares e o método aplicado. Quanto maior a concentração do gel, por exemplo, mais rápido é o resultado, e há trabalhos publicados que afirmam que, dez anos depois do tratamento, 60 a 65% das pessoas ainda mantêm os dentes claros.

Uma vez ao ano, pode-se passar por avaliação com escala de cor, mas apenas o dentista que efetuou a intervenção consegue detectar se de fato o dente escureceu. A limpeza profissional dos dentes muitas vezes também restitui a tonalidade mais clara.

Quem pode fazer clareamento dental

Praticamente todas as pessoas podem passar por clareamento, só contraindicado para gestantes e lactantes e para quem tem sensibilidade acentuada nos dentes ou é alérgico a algum componente do agente clareador. Se o paciente é tabagista, não deverá fumar durante o procedimento. É necessário também ter boca sadia, ausência de cáries e de restaurações infiltradas, inconvenientes que podem comprometer o processo. Por isso, antes é preciso que um profissional avalie o indivíduo e resolva eventuais dificuldades.

Sensibilidade dental

O único efeito colateral e transitório do clareamento é a sensibilidade dos dentes. Com aparelhos LED ou laser, o aquecimento excessivo do agente clareador pode produzi-la, no entanto, diferentemente da hipersensibilidade dental constante, ela tende a desaparecer no dia seguinte. Aconselha-se para pessoas mais predispostas a isso o clareamento com moldeira, em que essa suscetibilidade ocorre menos frequentemente.

O clareamento pode provocar sensibilidade nos dentes, em algumas pessoas mais, em outras menos. Para isso, comumente se indica flúor, manipulado em farmácia, com concentração distinta para cada paciente.

Tonalidades de dentes

Qualquer alteração amarelada ou amarronzada é passível de clareamento. Dentes acinzentados têm menor probabilidade de sucesso, o que não significa impossibilidade de se submeter a ele.

Motivações que conduzem ao clareamento dental

Quem tem dentes mais claros tem autoestima mais elevada e é até mais simpático. Numa entrevista de emprego, por exemplo, torna-se mais fácil seduzir o recrutador.

Efetivação do clareamento

Para tornar o clareamento dental mais efetivo, além de não fumar durante o tratamento, deve-se visitar o dentista periodicamente para monitorar o progresso e os resultados.

Ademais, quando o processo está em andamento, embora naturalmente permeável, o dente, pela perda de oxigênio, fica ainda mais poroso. Por isso, é bom evitar alimentos e bebidas ricos em corantes, como cafés, chás, vinho tinto, refrigerantes, chocolates, molho de tomate e shoyu.

Otimização da moldeira

Os moldes usados com gel na técnica caseira são fundamentais, porque casam exatamente com os dentes do paciente. Com uma moldeira não padronizada,  além de não se alcançar o efeito desejado, a falta de uniformidade na espessura do gel pode levar o indivíduo a engoli-lo.

Produtos de clareamento dental e acompanhamento profissional

O clareamento possibilita resultados fácil e rapidamente sem desgastar a estrutura dental. Com qualquer espécie de metodologia, é com o acompanhamento profissional que se obtêm respostas melhores.

Hoje, vendem-se artigos para clareamento em farmácias, inclusive a custos mais baixos, mas eles podem manchar os dentes, provocar feridas na gengiva e aumentar a sensibilidade dental. Apenas o dentista está habilitado a determinar o produto correto para cada categoria de mancha. Em má-formação do esmalte, também podem ocorrer transtornos. Além disso, próteses, dentes com restauração e resina, depois do clareamento, ficarão de cor diferente da dos naturais.