Tribulus terrestris: Benefícios e Como Usá-lo

Atualizado em:

PUBLICIDADE


Tribulus terrestris: benefícios e como usá-lo

Tribulus terrestris é uma planta rasteira e espinhosa que se desenvolve no sul da Europa, no sul da Ásia, na Austrália e na África. Ela não é nativa das américas. Existem outras espécies (com propriedades medicinais semelhantes) do grupo dela, mas ela é a mais conhecida e utilizada.

Os chineses e os indianos utilizam-na há séculos como tônico, vitalizador, energético, para melhorar funções sexuais masculinas, como anti-inflamatório, contra pedras nos rins, entre outros usos.

PUBLICIDADE
cursos sobre plantas medicinais cpt

Atualmente, o Tribulus terrestris tem sido muito buscado por quem quer ganhar massa muscular e/ou faz esportes de alta performance. De modo geral, não existem muitas referências sobre o funcionamento da planta nesses casos, se ela realmente ajuda no ganho de massa muscular ou se o uso dela é seguro.

Algumas pesquisas mostram que o Tribulus terrestris funciona para o ganho de massa muscular, aumenta a testosterona, combate a disfunção erétil e aumenta o desempenho sexual, já outras não demonstram os mesmos resultados.

PUBLICIDADE


tribulus-terrestris
Tribulus terrestris.

Toxidade do Tribulus terrestris

Tecnicamente, o consumo de Tribulus terrestris é seguro.

No caso das cápsulas, recomenda-se tomar duas ou no máximo três ao dia. Para fazer o chá dela, utilize uma colher de folhas picadas para cada xícara de água, e tome duas ou três vezes ao dia.

No caso da tintura, pingue 10 ou 15 gotas dela na água e tome duas ou três vezes ao dia.

Essas são dosagens que não trazem problemas para a saúde.

Existem pessoas que se intoxicaram com o Tribulus terrestris, e gado que comeu onde ele nasce espontaneamente e teve intoxicação. Porém, provavelmente, nesses casos, o gado comeu Tribulus terrestris demais, e as pessoas que tiveram reações tinham sensibilidade a algum dos princípios ativos da planta.

Um rapaz de 28 anos, no Irã, tomava Tribulus terrestris em doses adequadas para prevenir a formação de cálculos renais, e teve parada dos rins, porém, ele provavelmente tinha intolerância à planta.

Assim como qualquer medicamento e qualquer planta medicinal, a pessoa deve verificar as reações do próprio corpo, e se tiver algum inconveniente, suspender o uso. Se a reação passar, era a planta; se não, a origem da reação é outra.

Outro estudo sobre a segurança do Tribulus terrestris verificou que o uso dele em doses elevadas pode causar mutação genética (deformação da estrutura do DNA) e risco de desenvolver câncer.

Onde comprar Tribulus terrestris?

É possível comprar o Tribulus terrestris em cápsulas (em farmácias de manipulação e lojas de produtos naturais), extratos ou a própria planta para fazer chá.

Benefícios do Tribulus terrestris

Controle da diabetes

O Tribulus terrestris inibe a ação das enzimas amilase e glucosidase, que quebram amidos e açúcares grandes, e impede que o intestino absorva-os. Assim, a pessoa não corre risco de ter hiperglicemia pós-prandial (elevação da glicemia após as refeições) e mantém mais facilmente a taxa glicêmica equilibrada.

Controle da obesidade

Em um estudo feito na Turquia, ratos foram tratados com uma dieta rica em gorduras e colesterol para que ficassem obesos. O grupo que tomou Tribulus terrestris, teve 60% menos elevação das taxas de colesterol total, HDL, LDL e triglicérides do que o grupo que recebeu somente a gordura.

Isso demonstra que o Tribulus terrestris pode ser eficaz para quem quer emagrecer, e pode ser um complemento nutricional importante no controle da obesidade e dos níveis de colesterol no organismo.

Nesse sentido, o Tribulus terrestris também é muito eficiente no controle da arteriosclerose e de outras doenças cardíacas.

Tratamento da incontinência urinária e dos cálculos renais

Muitas pessoas, principalmente idosos e mulheres que tiveram partos complicados, desenvolvem incontinência urinária – a dificuldade de reter a urina.

O Tribulus terrestris fortalece a musculatura do sistema urinário em geral, incluindo a do períneo – o assoalho pélvico, que, nas mulheres, fica entre a vagina e o ânus; e nos homens, entre a bolsa escrotal e o ânus.

Em quem têm pedras na bexiga, o uso do Tribulus terrestris aumenta a pressão urinária, facilitando a expulsão das pedras.

Ele também aumenta a excreção urinária de minerais que poderiam se tornar cristais dentro dos rins e da bexiga, formando cálculos.

Na Índia, o Tribulus terrestris é utilizado há séculos para inibir e tratar cálculos renais.

Quando os sais se juntam, formam um núcleo de cristal, a partir do qual se forma a pedra. Sem o núcleo, não há pedra.

Em um estudo indiano, com o uso do Tribulus terrestris, todos os animais do teste não tiveram a formação de núcleos de cristal ou de pedras, mesmo sendo tratados com substâncias que levariam facilmente à formação de pedras nos rins.

Quem tem pedras nos rins, ou tem receio de por propensão do organismo voltar a tê-las, pode tomar Tribulus terrestris.

Ação anti-inflamatória

O Tribulus terrestris foi testado em uma universidade do Sudão, na África, e inibiu inflamações em 70%.

Controle da pressão arterial

Uma pesquisa desenvolvida no Kuwait, no Oriente Médio, constatou que o uso do Tribulus terrestris relaxa a musculatura que envolve as artérias. Quando essa musculatura contrai, a artéria se fecha e o sangue precisa de mais pressão para circular. Quando esses músculos relaxam, o sangue precisa de menos pressão para passar, e controla-se com mais facilidade a hipertensão arterial.

Ação afrodisíaca, aumento do desempenho sexual e combate à disfunção erétil

Existem pesquisas que demonstram que a ação do Tribulus terrestris é eficiente sobre a disfunção erétil e o desempenho sexual masculino, outras que ele não tem efeito nenhum.

Uma pesquisa realizada em Singapura, na Ásia, demonstrou que em homens o Tribulus terrestris exerce ação andrógena, ou seja, estimula a produção de hormônios masculinos, e com isso, há melhora no desempenho sexual desses indivíduos.

Em outro estudo desenvolvido em Singapura, o uso de Tribulus terrestris elevou em até 50% o nível de testosterona – um dos principais hormônios masculinos, ligado diretamente à vitalidade, à disposição física e ao desejo sexual – na corrente sanguínea de animais (coelhos, ratos e macacos).

Na Índia, em um estudo que administrou Tribulus terrestris em animais de laboratório machos, houve: aumento do interesse sexual das cobaias; aumento do número de coitos bem-sucedidos; aumento do índice de ereções e menor intervalo entre uma e outra; e aumento do número de espermatozoides viáveis.

Isso demonstra que o Tribulus terrestris tem ação importante no desempenho sexual masculino.

Já em um estudo desenvolvido na Bulgária, homens com idade entre 20 e 35 anos tomaram dosagens regulares de Tribulus terrestris por 4 semanas. O exame de sangue feito após isso não mostrou aumento na quantidade de testosterona sanguínea.

Na Bulgária, 88 homens que tinham disfunção erétil moderada foram tratados com Tribulus terrestris, e todos relataram melhora significativa no desempenho sexual.

Na Coreia, foi feita uma pesquisa utilizando o Tribulus terrestris e uma planta típica da Coreia (não encontrada no Brasil), cujo nome científico é Cornus officinalis. Tanto o Tribulus terrestris sozinho quanto em associação com a Cornus officinalis, em animais de laboratório, aumentou as ereções, pois ampliou a contração da musculatura do pênis, ou seja, da rigidez peniana.

Outra pesquisa, conduzida na Bulgária, demonstrou que homens tratados com duas cápsulas de Tribulus terrestris ao dia, durante 12 dias, relataram melhora significativa na disfunção erétil, atingindo a ereção com mais facilidade.

Porém, outra pesquisa diz o contrário. Na PUC de São Paulo, o Tribulus terrestris foi testado com pacientes com disfunção erétil, e depois de 1 mês de tratamento, nenhum deles relatou melhora.

Pode ser que, enquanto todos os outros exames tenham sido com casos de disfunção erétil moderada, os feitos no Brasil tenham sido com pacientes com disfunção erétil severa; ou que a dosagem de Tribulus terrestris administrada tenha sido diferente, o que não está descrito.

Tratamento da infertilidade masculina

A infertilidade masculina ocorre em homens que não produzem espermatozoides viáveis (aqueles que conseguem nadar e chegar até o óvulo) ou em quantidade adequada.

O Tribulus terrestris, testado em humanos, aumentou a quantidade de espermatozoides, melhorando também a motilidade deles.

Para homens que estão tentando ter filhos e não conseguem, o Tribulus terrestris pode ser indicado.

Um estudo conduzido na Austrália demonstrou que o uso de Tribulus terrestris por homens jovens e saudáveis aumenta a produção de estradiol no organismo.

O estradiol é um hormônio normalmente associado às mulheres (como as que fazem reposição hormonal), porém, ele também é produzido pelos homens, está ligado à sexualidade, e o aumento dele impacta positivamente na fertilidade, no desempenho sexual e na libido.

Tratamento da hiperplasia benigna da próstata

A hiperplasia benigna da próstata ocorre quando a próstata incha, causando incontinência urinária e outros problemas, e pode ser um préludio para o câncer na próstata.

Na Índia, o Tribulus terrestris foi testado em associação com uma árvore chamada caril, que só nasce na Índia, e juntas elas combateram efetivamente a hiperplasia da próstata, com efeito equiparável ao da Tansulosina, medicamento comercial utilizado para esse fim.

Atenuação dos sintomas da menopausa

O uso do Tribulus terrestris reduz os sintomas da menopausa, como os fogachos.

No Irã, foi feito um experimento com mulheres que relataram falta de desejo sexual por conta da baixa hormonal da menopausa. Elas tomaram duas cápsulas por dia contendo Tribulus terrestris, gengibre, ginseng indiano e canela, e todas relataram significativa melhora da libido.

No Brasil, foi feito um teste com mulheres menopausadas com falta de desejo sexual. Elas tomaram somente Tribulus terrestris, e 80% delas relatou significativa melhora na qualidade da vida sexual (melhor lubrificação vaginal, maior libido e melhor desempenho sexual), e decidiram continuar o tratamento com a planta depois da pesquisa.

Tratamento da síndrome do ovário policístico

Os anticoncepcionais podem, em algum momento da vida, causar síndrome do ovário policístico (SOP) ou mioma uterino. O número de mulheres com esses problemas cresce à medida que o consumo de anticoncepcionais aumenta.

Na Índia, há séculos o ginseng indiano é utilizado em conjunto com o Tribulus terrestris para tratar SOP. Uma universidade na Índia testou a eficiência dessa combinação, e o resultado foi excelente, com uma redução significativa nos sintomas e melhora no quadro geral das pacientes.

Tratamento da depressão

Estresse, nervosismo, noites mal dormidas e má alimentação podem causar depressão.

Em um teste, animais de laboratório foram colocadas sob estresse e, por conta disso, desenvolveram depressão. Testado, o uso do Tribulus terrestris melhorou significativamente o quadro emocional das cobaias.

Quem tem algum tipo de descontrole emocional por conta do estresse pode experimentar o Tribulus terrestris.

Ganho de massa muscular e aumento da performance

Em uma pesquisa feita com o uso do Tribulus terrestris por esportistas de alta performance, verificou-se que a planta não aumentou o ganho de massa muscular nem os níveis de testosterona no sangue, mas reduziu o desgaste muscular por conta dos exercícios.

Em outro exame, feito nos Estados Unidos, atletas tomaram doses regulares de Tribulus terrestris por 8 semanas, e também não houve modificação no ganho de massa muscular, no desempenho físico, e o único padrão que teve melhora foi a força de prensagem das pernas.

Na Austrália, uma equipe de rúgbi utilizou Tribulus terrestris durante os treinamentos para um campeonato, e a planta não causou melhora no ganho de massa muscular, na capacidade de exercer força, nem em nenhum dos outros parâmetros medidos.

Isso derruba a teoria de que o Tribulus terrestris melhora o desempenho de atletas e o ganho de massa muscular.

Em outro estudo, realizado na Austrália, verificou-se que o uso do Tribulus terrestris aumenta somente a concentração de estradiol na urina, então não há doping no uso dele.

Tratamento do câncer

Dois estudos chineses demonstraram que quando se usa o Tribulus terrestris há redução significativa do desenvolvimento do câncer de mama.

Em outro estudo chinês, foi verificado que o uso de Tribulus terrestris causa apoptose (morte espontânea) das células cancerosas no fígado.

Em um estudo coreano, identificou-se que o uso de Tribulus terrestris inibe o desenvolvimento de câncer do fígado.

Na Índia, foi avaliada a capacidade do Tribulus terrestris em inibir o desenvolvimento de alguns tipos de linfoma. O resultado foi promissor, com mais de 40% de redução no desenvolvimento dos linfomas.

Com esse conjunto de pesquisas, infere-se que o Tribulus terrestris exerce importante ação antitumoral e pode complementar os tratamentos que a pessoa faz contra o câncer.

PUBLICIDADE