Tratamento para ronco

Ronco e apneia

O ronco é o ruído causado pela passagem do fluxo de ar que faz vibrar as estruturas da garganta enquanto o indivíduo dorme. Já a apneia se caracteriza pela parada da respiração por ao menos dez segundos durante o sono.

PUBLICIDADE


Síndrome da apneia obstrutiva do sono

Detecta-se essa síndrome quando ocorrem, ao menos, cinco apneias por hora, e isso pode afetar até 33% da população adulta.

Os sintomas mais comuns dessa síndrome são: ronco intenso, sonolência, aumento da ansiedade, dificuldade de concentração e aumento do risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares, como infarto, hipertensão arterial e derrame cerebral.

Nas crianças, essa síndrome pode levar a mau rendimento escolar e comprometer o desenvolvimento das arcadas dentárias e do esqueleto facial.

Diagnóstico

Por meio de uma consulta médica faz-se o diagnóstico, confirmado pelo exame de polissonografia, em que se avalia o paciente por diversos parâmetros, enquanto ele dorme.

PUBLICIDADE


Tratamento

A principal modalidade de tratamento é o uso do CPAP, que, acoplado a uma máscara, é um mecanismo que injeta ar nas vias aéreas para mantê-las abertas durante o sono.

Também há os aparelhos intraorais, que puxam a mandíbula e a língua para a frente, a fim de melhorar a respiração.

Outra alternativa para esse problema são as cirurgias, principalmente em pacientes que apresentam obstrução nasal, hipertrofia das amígdalas e mau desenvolvimento da mandíbula e da maxila. Elas visam a desobstruir as vias aéreas e facilitar a respiração durante o sono.

A cirurgia ortognática destinada à apneia chama-se telegnática e realiza o avanço da maxila e da mandíbula em cerca de 10 mm.

Artigo anteriorRonco e apneia
Próximo artigoPicão-preto: benefícios e como usá-lo
CRM: 70468. Residência médica em Otorrinolaringologia pelo Hospital Universitário Getúlio Vargas (2011-2014). Graduação em Medicina pela Universidade Federal do Amazonas (2004-2010). Especialização em Fellowship em Cirurgia Otorrinolaringológica pelo Instituto Paranaense de Otorrinolaringologia (2014-2015). Médica Otorrinolaringologista do Hospital Adventista de Manaus (2015-atual). Médica Otorrinolaringologista da Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (2016-atual). Médica Otorrinolaringologista do Hospital Universitário Getúlio Vargas (2016-atual). Médica da Estratégia de Saúde da Família da Prefeitura Municipal de Iranduba (2010-2011). Médica da Estratégia de Saúde da Família da Prefeitura Municipal de Itacoatiara (2010).