Tratamento para calvície

Atualizado em:

PUBLICIDADE


O que causa a calvície

De acordo com estatística da OMS (Organização Mundial da Saúde), 50% dos homens são calvos, e em mais de 90% desse grupo a calvície tem origem genética.

hairloss-blocker-recupera-88-cabelo

Como em qualquer outra patologia, se o diagnóstico não for correto, o tratamento será errado. Existem inúmeras causas de queda de cabelo, como doenças autoimunes, estresse, oscilação hormonal (principalmente no pós-parto) e desnutrição. Porém, em sua maioria elas são temporárias e cessam sem que seja necessária intervenção.

A calvície se manifesta por padrão genético: os indivíduos ficam calvos progressivamente e não notam isso, diferente de outras patologias. A doença tem um ciclo lento, geralmente começa em torno dos 25 a 28 anos, e quando o homem percebe está com rarefação capilar destacada e somente então busca tratamento, o que deveria ser feito antes.

Como se desenvolve a calvície

Uma raiz capilar saudável produz um fio grosso. Na calvície, os cabelos não simplesmente caem, mas afinam até desaparecerem. A raiz atrofia de tal forma que, ao final, o óstio capilar (de onde sai o cabelo) fica vazio. Assim ocorre a miniaturização dos fios.

PUBLICIDADE


Calvície no homem

Em alguns homens a queda de cabelo se inicia a partir dos 20 anos, com entradas proeminentes e falhas na coroa capilar. Muitos optam por raspar o cabelo para disfarçar a falta dele. Ter entradas destacadas no couro cabeludo pode ser sinal de genética favorável à calvície.

Calvície na mulher

A mulher também pode desenvolver calvície, mas geralmente não fica calva como o homem: ao invés de perder fios nas entradas e no cocuruto, ela fica com a risca do cabelo mais aparente e o couro cabeludo mais à mostra. Quando se reparte o cabelo ao meio, verifica-se que a risca fica cada vez maior, e a cabeleira perde volume. Na linha posterior, a calvície é mais branda na mulher, porém, em algumas o padrão da doença é semelhante ao dos homens.

Como resolver a calvície

Não existem tratamentos clínicos ou medicações que façam com que o cabelo volte a crescer. Hoje o paciente recebe tratamento medicamentoso antes da cirurgia de transplante capilar, ou após ela, ou seja, em algum momento ele faz tratamento clínico.

Alguns produtos podem diminuir a queda capilar, deixar os fios mais brilhantes e com melhor aspecto, mas têm ação paliativa.

O tratamento clínico da calvície cabe mais aos dermatologistas, alguns deles inclusive estão autorizados e capacitados para conduzirem o implante capilar. Na Associação Brasileira de Cirurgia de Restauração Capilar coabitam cirurgiões plásticos e dermatologistas.

O principal foco do tratamento é fazer com que a calvície não progrida, a intenção é estacionar a doença para que ela não avance, mesmo que a pessoa não consiga recuperar o cabelo que caiu. Como é uma enfermidade crônica, se não tratada, irá afetar cada vez mais cabelos.

Muitos homens não se incomodam em ficar carecas, porém, para outros a calvície afeta muito a autoestima, pois o cabelo é a moldura do rosto e está relacionado à jovialidade.

Tratamentos clínicos para calvície

Muitos pensam que o organismo se acostuma e depois de algum tempo não reage mais ao tratamento clínico da queda capilar, como com minoxidil, vitaminas e bloqueadores de di-hidrotestosterona (DHT).

Isso não ocorre. A calvície é uma patologia permanente, ou seja, não tem cura, apenas controle. Uma vez interrompido o tratamento, após alguns meses o cabelo volta a cair.

Finasterida

Um dos tratamentos clínicos mais eficazes para a calvície é o uso da medicação chamada finasterida, que bloqueia cerca de 70% da ação da di-hidrotestosterona (DHT), um derivado da testosterona, que se fixa na raiz dos cabelos. O calvo não tem excesso desse hormônio, mas sim receptores no couro cabeludo mais susceptíveis a ação dele.

Dutasterida

A finasterida atua em um único receptor da enzima 5 alfa-redutase, e a dutasterida atua em dois, ou seja, ela tem maior potência, porém, pode ocasionar mais complicações.

Uso de saw palmetto no tratamento da calvície

O saw palmetto é uma planta utilizada pelos índios norte-americanos para tratar câncer de próstata, prostatite e calvície, porém, os laboratórios não são receptivos a investir dinheiro para provar que um produto natural, que não pode ser patenteado, tenha efeito, assim é difícil encontrar informações científicas desse tipo.

Existem relatos na literatura científica mostrando que essa planta inibe a enzima 5-alfa redutase, que converte testosterona em di-hidrotestosterona (DHT), uma variante 3 a 4 vezes mais potente do hormônio masculino, responsável pela hiperplasia prostática e queda de cabelo. Como bloqueador dessa enzina, o saw palmetto vem sendo investigado.

Foi realizado um estudo cego, ou seja, os voluntários não sabiam quê medicação estava sendo utilizada nele, e 60% deles tiveram resultados positivos utilizando saw palmetto, que não é aprovado pelo FDA (Food and Drug Administration) para tratamento da queda de cabelo nem de problemas prostáticos. É um fitoterápico, um tratamento alternativo.

Muitos querem soluções milagrosas, que se descubra da noite para o dia se são eficazes ou não, mas na ciência é preciso muita informação científica para afirmar que algo funciona. Ademais, são necessárias evidências sólidas para determinar o que é seguro.

É importante procurar um médico tricologista, para verificar se o saw palmetto é necessário para o caso, além disso, como todo medicamento, ele também pode provocar efeitos colaterais, por isso não se deve ser usado por conta própria.

Minoxidil

Como usar

Em geral passa-se 1 ml do produto por vez, o que dá em torno de 40 a 45 gotas dele – essa quantia é suficiente para todo o topo do couro cabeludo.

Quando o frasco não tem bico dosador, geralmente vem com conta gotas. Reparta o cabelo, faça riscas latitudinais, e entre elas pingue gotas, por exemplo, faça 5 riscas, e em cada uma pingue certa de 8 gotas do produto.

Hoje existem tratamentos eficazes, cientificamente comprovados, que dão maior longevidade aos cabelos e muitas vezes dispensam a cirurgia de implante capilar ou o uso de próteses capilares.

Quem tem calvície tem que fazer do tratamento dela um hábito diário, como a escovação dental.

Minoxidil e aumento da queda

Nos primeiros meses do tratamento, a queda de cabelo pode aumentar, trata-se do chamado de shedding hair. A partir de três meses do início do tratamento, a perda capilar diminui, e com seis meses há aumento da massa capilar, o cabelo engrossa e confere sensação de maior volume.

Até um ano e meio do uso das medicações, há esse aumento da resposta positiva às terapêuticas, e a partir daí a manutenção dos resultados depende da realização contínua dos tratamentos.

Shampoo antiqueda

O tempo em que se deixa o shampoo agir no couro cabeludo geralmente é muito pequeno, o que ocasionalmente impossibilita a penetração dos ativos no couro cabeludo, entretanto, esses produtos hidratam e restabelecem a cutícula do cabelo, e assim dificultam a quebra da haste capilar.

Microinfusão capilar

O que é?

Para quem não quer usar finasterida, seja porque tem receio dos efeitos colaterais dela, ou porque não tem disciplina para tomá-la diariamente, ou porque simplesmente não quer tomá-la, a microinfusão capilar tem-se mostrado extremamente e praticamente sem efeitos colaterais.

Ela pode ser usada isoladamente ou, se o indivíduo já faz algum outro tratamento, por exemplo, com finasterida oral e minoxidil tópico, ela pode ser associada.

Como é feita?

Com equipamentos de alta precisão, são feitas microperfurações de 0,5mm de diâmetro no couro cabeludo, e por meio delas inoculadas medicações para o tratamento da calvície: finasterida, minoxidil, d-pantenol, fatores de crescimento etc.

Desta forma, tem-se a junção de dois tratamentos – o microagulhamento e a infusão de medicamentos na pele – em um.

O microagulhamento aumenta a circulação sanguínea e a liberação de vários mediadores celulares no couro cabeludo, gerando um melhor ecossistema para as raízes capilares.

A microinfusão é extremamente superficial, e faz com que as medicações sejam inoculadas exatamente onde devem agir, ou seja, em cima das raízes dos cabelos.

Periodicidade do tratamento e efeitos colaterais

Como as medicações são inoculadas de forma muito superficial na pele, elas são absorvidas de forma extremamente lenta – isso faz com as sessões possam ser intervaladas a cada 30 ou 60 dias – e reduz-se à quase zero as chances de efeitos colaterais.

Microinfusão e implante capilar

Para quem fez transplante capilar a microinfusão capilar promove melhora da qualidade do couro cabeludo e também fortalece as raízes dos cabelos não transplantados.

Artigo anteriorShampoo anticaspa
Próximo artigoPantogar
CRM: 91128. Doutorado em Dermatologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (2009-2012). Mestrado em Dermatologia Clínica e Cirúrgica pela Universidade Federal de São Paulo (2001-2006). Residência médica em Dermatologia pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (1998-2001). Graduação em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (1992-1997). Pós-Doutorado em pesquisa em dermatologia pela Emory University School of Medicine, Atlanta, GA, EUA. Professor-assistente de dermatologia na Universidade de Mogi das Cruzes (2005-2006). Médico-assistente do Serviço de Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2006-2012). Médico chefe do Serviço de Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2012-2014). Coordenador do programa de residência médica em Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2019-2012). Coordenador de todos os programas de aperfeiçoamento/especialização médicos da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2011-2014).