Transplante capilar: quem pode fazer?

Atualizado em:

PUBLICIDADE


Basicamente qualquer paciente que tenha calvície e que tenha uma boa área doadora pode ser candidato à transplante capilar, seja homem ou mulher. A alopecia androgenética é causada por pré-disposição genética associada à questões hormonais, que é o tipo mais clássico de queda de cabelo.

hairloss-blocker-recupera-88-cabelo

A área doadora refere-se basicamente às regiões laterais da cabeça e da região posterior, que é onde mesmo a pessoa que é muito calva normalmente preserva os cabelos, os quais normalmente não tem pré-disposição genética para calvície.

Remédios para Queda de Cabelo: Ranking do Consumidor

 PRODUTONOTA MÉDIAVOTOSREVIEW
#1HairLoss Blocker8,91/10581btn-saiba-mais
#2Minoxidil7,74/101023btn-saiba-mais
#3Finasterida7,25/101084btn-saiba-mais

Existem outros tipos de queda de cabelo sem ser a androgenética que também podem ser tratados com transplante capilar, por exemplo, sequela de queimadura que deixou parte do couro cabeludo com cicatriz e sem cabelos, além de inúmeras outras, basta que o paciente tenha uma boa condição de saúde para poder se submeter a uma cirurgia.

O primeiro passo para quem está pensando em transplante capilar é ir no médico especialista, que irá fazer todos os exames necessários, irá traçar o diagnóstico correto da causa da perda de pelos, seja na cabeça, na sobrancelha, na barba, para daí traçar o tratamento correto, se é o transplante capilar, se são tratamentos não cirúrgicos, ou a associação de ambos.

PUBLICIDADE


Artigo anteriorTransplante capilar FUE pode ser feito em todos os tipos de cabelo?
Próximo artigoTransplante de barba: quando fazer?
CRM: 130475. Graduação em Medicina pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (2008). Residência médica em cirurgia plástica pelo Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas (2014-2017). Residência médica em cirurgia geral pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (2008-2010). Pós-graduação em reconstrução mamária pelo Hospital Pérola Byington (2017-2018). Pós-graduação em dermatocosmiatria pela faculdade de Medicina do ABC Paulista FMABC (2017-2018). Especialização em Oxigenoterapia Hiperárica pela Sociedade Brasileira de Medicina Hiperbárica (2016).