Tipos de implante capilar

Técnicas de transplante capilar

Existem duas técnicas distintas de transplante capilar, FUT (Follicular Unit Transplantation) e FUE (Follicular Unit Extraction). As duas têm o mesmo objetivo, o que muda em cada uma delas é a forma de retirada do folículo capilar que será transplantado.

PUBLICIDADE


Transplante de cabelo de uma pessoa para outra

Não há como fazer um transplante homólogo, que envolve a retirada do folículo capilar de um paciente para colocar em outro. Há apenas o transplante autólogo, em que o folículo é retirado do paciente e colocado em outra área do corpo dele mesmo.

PUBLICIDADE
hairloss-blocker-recupera-88-cabelo

Área doadora de fios

Pode acontecer da pessoa com alopecia androgenética ou alguns tipos de queda de cabelo focal não dispor de uma área doadora de cabelos suficiente para se extrair os folículos, porém, se a área doadora for suficiente, a calvície tem solução.

Na área em que os folículos são retirados, eles não nascem de novo. Por isso, deve haver uma área doadora razoável para que eles sejam retirados e não façam muita falta. A diferença entre as técnicas está nesse ponto: na FUT, é retirada uma fita de couro cabeludo, de 1,5 a 2 cm de altura e até 30 cm de comprimento, na região posterior do couro cabeludo, pois ela não é androgenética dependente. Já na FUE, são retirados os folículos prontos, unitariamente, sem deixar cicatriz linear, apenas puntiformes. Essas técnicas podem ser combinadas.

Procedimento cirúrgico do transplante capilar

A cirurgia de transplante capilar pode ser feita sob anestesia local e sedação. Geralmente ela dura de 4 a 8 horas. Muitas vezes é necessária a realização de mais de uma sessão cirúrgica para obtenção de um excelente resultado, que depende tanto da densidade capilar da área doadora – existem, por exemplo, pacientes que tem 100 fios por cm², e outros que tem 50 fios por cm² – quanto da extensão da área receptora.

PUBLICIDADE


Se houver limitação da quantidade de fios da área doadora e não for possível fazer conjuntamente uma tentativa de cobertura de toda a área, será necessária mais de uma etapa (duas ou até três).

Transplante capilar em mulheres

Proporcionalmente os homens sofrem mais com a calvície, mas também existem mulheres que têm esse problema. As duas técnicas podem ser feitas tanto em homens quanto mulheres.

O problema é que, pela FUE, é necessário que o paciente raspe a cabeça para posterior extração das unidades foliculares. Por isso, muitas mulheres optam pela FUT, que deixa uma única cicatriz linear na região posterior da cabeça.

Perda das sobrancelhas

Em algumas situações, por estresse ou algum problema de saúde, as pessoas perdem parte das sobrancelhas, o implante para elas também existe e é comum. As sobrancelhas servem também como moldura para o rosto, e a perda parcial ou total delas pode ser sinal de doença dermatológica. É importante consultar um especialista para que ele identifique se essa perda ocorreu devido a retirada dos pelos com pinça ou por conta de doença.

Calvície e transplante capilar

De acordo com estimativas da Associação Brasileira de Cirurgia da Restauração Capilar (ABCRC), 25 milhões de brasileiros sofrem com a calvície, inclusive mulheres.

O transplante capilar vem evoluindo ao longo do tempo. Surgiu na década de 50, e no passado, era feito com técnica muito rudimentar, com os cabelos transplantados praticamente do jeito que haviam sido extraídos, como um tapete, que deixava um aspecto de cabelo de boneca, artificial e inestético. Ao longo das décadas, o procedimento foi aprimorado, e atualmente os folículos capilares são separados um a um, em grupos de 1, 2, 3 ou 4 fios, e é possível colocá-los respeitando a inclinação natural do cabelo. Isso faz com que o transplante fique praticamente imperceptível.

Implante capilar e transplante capilar, grosso modo são a mesma coisa, porém, o termo correto é o segundo. O cabelo é transplantado da mesma pessoa, por isso o folículo transplantado sobrevive e se fortalece na área em que antes não existia cabelo, não há rejeição do organismo, o método não funciona se transplantado fios de um indivíduo para outro.