Quando é necessário fazer mais de um implante capilar?

Atualizado em:

PUBLICIDADE


Há casos em que a pessoa precisa fazer mais de um transplante capilar?

Alguns pacientes têm uma calvície muito extensa, nesses casos o médico pode não conseguir tratá-la totalmente em um único procedimento.

hairloss-blocker-recupera-88-cabelo

Alguns pacientes mais exigentes querem aumentar bastante a densidade capilar nas áreas calvas, ou seja, diminuir a proximidade entre os fios, quem não tem calvície tem uma densidade capilar de cerca de 200 fios por centímetro quadrado, consegue-se transplantar até um quarto disso, ou seja, 50 fios por centímetro quadrado, o que é um resultado de excelência.

Remédios para Queda de Cabelo: Ranking do Consumidor

 PRODUTONOTA MÉDIAVOTOSREVIEW
#1HairLoss Blocker8,91/10581btn-saiba-mais
#2Minoxidil7,74/101023btn-saiba-mais
#3Finasterida7,25/101084btn-saiba-mais

Mesmo quem não apresenta calvície, por exemplo, quando toma um banho de piscina e o cabelo molha, ocasionalmente fica descoberta uma área do couro cabeludo, e os pacientes mais exigentes querem encobrir isso, assim é necessário transplante.

Outra situação é quando o paciente faz um transplante em uma região, e uma outra, ainda não calva, fica rarefeita após alguns anos, demandando transplante.

PUBLICIDADE


Se o paciente tiver acompanhamento médico, consegue retardar o avanço da calvície sem efeitos colaterais – a finasterida não é a única opção de tratamento –, e em alguns casos até melhorar a densidade capilar.

Artigo anteriorRejeição no implante capilar
Próximo artigoÉ necessário tomar medicamento depois do implante capilar?
CRM: 130475. Graduação em Medicina pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (2008). Residência médica em cirurgia plástica pelo Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas (2014-2017). Residência médica em cirurgia geral pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (2008-2010). Pós-graduação em reconstrução mamária pelo Hospital Pérola Byington (2017-2018). Pós-graduação em dermatocosmiatria pela faculdade de Medicina do ABC Paulista FMABC (2017-2018). Especialização em Oxigenoterapia Hiperárica pela Sociedade Brasileira de Medicina Hiperbárica (2016).