Odontologia do sono

O que é polissonografia?

A polissonografia é um exame padrão ouro para o diagnóstico da apneia e de outras síndromes do sono. Realiza-se em um laboratório de sono, onde o paciente deve pernoitar e ser monitorado por alguns sensores a fim de se mapearem os possíveis distúrbios, inclusive apneia (Síndrome Obstrutiva do Sono), ronco e bruxismo, entre outros.

PUBLICIDADE


Papel do dentista na polissonografia

O dentista incumbe-se de solicitar a polissonografia e pode eventualmente avaliar o resultado dela, embora o ideal seja a opinião de um médico. Entre as diversas opções de tratamento estão a cirurgia, os remédios, a fisioterapia, o CPAP ou o APAP e o aparelho intraoral.

Como proceder em caso de suspeita de ronco ou de apneia

É importante que o indivíduo que ronca ou tem apneia procure um neurologista, pneumologista ou otorrinolaringologista, que poderão analisá-lo clinicamente e solicitar-lhe a polissonografia. Em decorrência dos exames e da apreciação se determinará a melhor terapêutica. Se o indicado for o aparelho intraoral, o dentista será responsável pela condução do tratamento.

Indicação e funções do aparelho intraoral

O aparelho intraoral para apneia leve ou moderada tem, como função, reduzi-la a níveis aceitáveis, para melhorar a qualidade de vida do paciente e devolver-lhe a disposição e a capacidade de memorizar e de concentrar-se.

O que é odontologia do sono?

O dentista especializado deve reconhecer se um paciente sofre de apneia, ronco ou Síndrome de Resistência das Vias Aéreas, e encaminhá-lo, com um pedido de polissonografia, a um médico, que diagnosticará uma dessas síndromes e prescreverá o tratamento ou cirúrgico, ou com CPAP ou com aparelho intraoral, este com a participação do dentista.

PUBLICIDADE


O ronco, provocado por uma resistência na passagem do ar, muitas vezes perturba o companheiro e até mesmo o próprio indivíduo, que acorda com o barulho. A hipopneia caracteriza-se por essa resistência, mas parcial; a total diz respeito à apneia. Isso pode acarretar menor oxigenação sanguínea e causar danos ao organismo.

Tratamento odontológico em caso de ronco e apneia

Após indicação do tratamento com aparelho intraoral, o dentista adapta-o ao indivíduo e monitora-lhe a utilização. Os ajustes fazem-se geralmente a cada quinze dias e, quando totalmente adaptado, acompanha-se a cada seis meses. Para avaliar os resultados, a pessoa passa por nova polissonografia.

Como dormir melhor

Há várias recomendações durante este tratamento, dentre elas, as principais são manter uma rotina de sono, isto é, buscar deitar e acordar nos mesmos horários, não cochilar durante o dia, não ingerir alimentos pesados nem bebidas alcoólicas antes de dormir, nem realizar atividades físicas intensas pelo menos três horas antes.

Horas de sono necessárias

A quantidade de horas de sono necessária depende do ritmo biológico de cada um. Por exemplo, na pré-adolescência, o indivíduo precisa dormir um pouco mais. Já um adulto dormir durante doze horas é excessivo, inclusive, nesse caso, o cansaço pode advir do excesso de sono. O tratamento deve adaptar-se à realidade de cada paciente.

Duração do tratamento com aparelho intrabucal

Não há prazo para o tratamento com aparelho intrabucal. É como os óculos, isto é, apenas apresenta efeito em quem o usa. Assim, se não utilizado, não ocorrerá o afastamento necessário para a passagem de ar.

No monitoramento com polissonografia, a cada seis meses, busca-se analisar a melhora do objetivo almejado, ou seja, a eliminação do ronco e da apneia. Se houver, por exemplo, emagrecimento e consequente desobstrução da passagem de ar, pode-se tentar retirar o artefato, caso contrário, ele será constante.

Sintomas da apneia do sono

O indivíduo que sofre de apneia tem, como sintoma, o sono agitado e pouco reparador. Acorda com a sensação de não ter descansado adequadamente e, durante o dia, mostra-se sonolento, com dores de cabeça frequentes e pode apresentar, inclusive, hipertensão e tendência à depressão. Ele sabe que precisa de melhor qualidade de vida para ficar mais disposto.

A odontologia do sono ajuda os indivíduos a ter melhor qualidade de vida por meio da diminuição do ronco e da apneia. O aparelho intrabucal, utilizado nesse tratamento, é um aparato de avanço mandibular e projeta o queixo um pouco à frente. Consequentemente, a base da língua também se estenderá para a frente, desobstruirá a faringe e haverá mais espaço para a passagem do ar. Quando o paciente consegue respirar melhor, a qualidade do seu sono também é superior.

CPAP

Alguns pacientes usam o CPAP, máscara conectada a um compressor que injeta ar com pressão nos pulmões, porém muitos pacientes são intolerantes ao tratamento com esse artefato.

Artigo anteriorRemédios e vitaminas para queda de cabelo funcionam?
Próximo artigoCalvície vem do pai ou da mãe?
CRM: 70468. Residência médica em Otorrinolaringologia pelo Hospital Universitário Getúlio Vargas (2011-2014). Graduação em Medicina pela Universidade Federal do Amazonas (2004-2010). Especialização em Fellowship em Cirurgia Otorrinolaringológica pelo Instituto Paranaense de Otorrinolaringologia (2014-2015). Médica Otorrinolaringologista do Hospital Adventista de Manaus (2015-atual). Médica Otorrinolaringologista da Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (2016-atual). Médica Otorrinolaringologista do Hospital Universitário Getúlio Vargas (2016-atual). Médica da Estratégia de Saúde da Família da Prefeitura Municipal de Iranduba (2010-2011). Médica da Estratégia de Saúde da Família da Prefeitura Municipal de Itacoatiara (2010).