Noni: Benefícios, Toxicidade e Como Usá-lo

Atualizado em:

PUBLICIDADE


Noni: benefícios e como usá-lo

O noni (Morinda citrifolia) é uma fruta originária das ilhas da Polinésia, muito difundida no oriente, e que também é encontrada no Brasil e gera polêmicas sobre sua atividade.

morinda-citrifolia
Noni (Morinda citrifolia).

Ela se adaptou muito bem a todas as regiões tropicais do mundo, e é produzida em muitos lugares, principalmente na Austrália, Japão, Índia e Indonésia.

PUBLICIDADE
cursos sobre plantas medicinais cpt

Ela tem uma tradição milenar de uso na medicina popular. Na Ásia, é utilizada no tratamento de dezenas de enfermidades. No Brasil, como em todo o ocidente, houve um crescente desenvolvimento do consumo de produtos à base de noni, principalmente do suco concentrado dele, que era muito vendido como complemento nutricional por suas propriedades medicinais.

Proibição do noni no Brasil

O grande chamariz do noni é o potencial anticancerígeno dele. As pessoas tratavam o noni como uma possível cura para vários tipos de câncer e muitas outras doenças. Com o tempo, surgiram casos registrados (em número pequeno) de pessoas com hepatite ou problemas renais por conta do consumo de noni.

PUBLICIDADE


Isso gerou uma preocupação dos órgãos governamentais e a proibição, pela ANVISA, da venda de produtos à base de noni no Brasil, até que se comprovasse a segurança no uso deles.

Propriedades nutricionais e medicinais do noni

Nutricionalmente, a fruta madura do noni tem cerca de 243mg de vitamina C em 100g de polpa – 2,7 vezes mais que o recomendado para se consumir por dia.

Outro fator nutricional importante é a quantidade de potássio que ela tem, comparável ao suco de tomate e ao de laranja, também grandes fornecedores desse mineral. Pessoas com problemas renais devem consumir noni com moderação, pois ele pode causar uma doença chamada hipocalemia – que causa excesso de potássio na corrente sanguínea.

O noni aumenta a produção, no organismo, de melatonina – hormônio que facilita o sono e faz as pessoas dormirem profundamente –, alivia dores crônicas, reduz a fadiga, é utilizado para tratar problemas de disfunção sexual, contra o envelhecimento precoce (por conta de sua atividade antioxidante) e para controlar a hipertensão arterial.

Toxidade e cuidados no uso do noni

Apesar de haver relatos de pessoas com problemas do rim e dos fígados (como hepatites graves) causados por conta do uso do noni, não se sabe o motivo disso acontecer.

Em comparação ao número de pessoas que consomem noni no mundo, o de que relatou problemas é muito baixo. Não se sabe, por exemplo, se essas pessoas têm alergia ou hipersensibilidade a algum princípio ativo do noni, se tomaram noni em excesso, ou se o lote de noni que consumiram tinha algum tipo de princípio tóxico ou contaminação.

Em todos os casos em que houve toxidade ou problemas com o noni, como hepatite ou problemas renais, o organismo recuperou às condições normais após o consumo do noni ser suspenso.

Quem decidir fazer tratamento com o noni deve utilizá-lo com moderação. Deve-se tomar somente um ou dois copos de suco de noni ao dia, não uma jarra inteira.

Se, durante o tratamento, a pessoa sentir algum problema ou mal-estar, deve suspender o uso do noni, se os sintomas passarem, ela tem sensibilidade a ele e não deve continuar o tratamento.

Gestantes não devem consumir noni sem acompanhamento médico.

Benefícios do noni

Tratamento do câncer

Não existem estudos científicos com seres humanos utilizando o noni para tratar câncer. Todos os estudos foram feitos com células cancerosas isoladas ou com cobaias não humanas (como ratos e coelhos).

Muitos estudos de universidades japonesas demonstram que o suco do fruto do noni controla vários tipos de câncer, como carcinoma de pulmão, de mama, dos rins, de fígado, de traqueia e de pele.

Alguns estudos mostram que o noni previne o câncer, e auxilia contra a formação dele. A fruta também potencializa os efeitos da quimioterapia.

Foram introduzidas células cancerígenas em cobaias para induzir a formação de câncer. Em fêmeas, reduziu-se o câncer de coração em 30%; o de fígado, 42%; de pulmão, 41%; e dos rins, 80%.

Nos machos, a redução do desenvolvimento do câncer de coração foi de 60%; de fígado, 70%; dos pulmões, 50%; e dos rins, 90%.

Não se deve abandonar os tratamentos contra o câncer e utilizar somente o noni, até que a ação dele seja comprovada em humanos.

Em outra pesquisa, o suco de noni aumentou em mais de 120% o tempo de vida das cobaias em casos de câncer terminal, as tratadas com noni viveram 50 dias a mais que as não tratadas com ele.

Em um estudo feito em laboratório com células de câncer de pele, os extratos de noni controlaram o desenvolvimento delas de maneira eficiente.

O câncer é um aglomerado de células que forma um tumor, e para alimentar essas células com oxigênio e nutrientes formam-se vários vasos sanguíneos.

Uma das ações comprovadas do noni sobre o desenvolvimento dos tumores é a inibição do surgimento de novos vasos sanguíneos, o que reduz os nutrientes e oxigênio para as células tumorais, e com isso elas tendem a morrer.

Prevenção do câncer de pulmão

Em um estudo, cobaias foram induzidas ao contato com a nicotina no seu tecido pulmonar e, com isso, verificou-se a chance de desenvolverem câncer de pulmão. As cobaias que tomaram noni tiveram menor incidência de câncer do que as que não tomaram.

Para quem não consegue abandonar o vício do fumo, consumir noni é uma das alternativas para tentar evitar o desenvolvimento do câncer de pulmão.

Ação no fígado

Um suco com 10% de noni diluído em água foi administrado à cobaias e reduziu sensivelmente as lesões no fígado causadas por tetracloreto de carbono.

Isso demonstra que, apesar dos problemas relatados com o noni, como infecções graves do fígado, ele exerce ação hepatoprotetora nos casos de lesões causadas por medicamentos ou outros produtos químicos.

Todas as pesquisas encontradas relatam baixíssima toxidade dos extratos de noni. Depois dos exames, os tecidos do fígado, do cérebro, dos pulmões e dos rins das cobaias são analisados para verificar se houve mutação ou algum outro problema. Esse tipo de reação não foi relatada em nenhum dos trabalhos encontrados.

Ação antioxidante

Os antioxidantes combatem radicais livres, evitam o envelhecimento precoce, o câncer, doenças inflamatórias, doenças crônicas e doenças autoimunes.

O potencial antioxidante do noni é muito alto – 2,8 vezes maior que a da vitamina C, um dos melhores antioxidantes conhecidos e disponíveis comercialmente –, tanto das folhas (fazendo o chá), quanto dos frutos (a principal parte consumida) e das raízes da árvore dele (que têm a maior quantidade de princípios antioxidantes).

Ação anti-inflamatória

Em pesquisas, o suco do noni demonstrou excelente capacidade em reverter inflamações, com ação muito parecida a de alguns medicamentos comerciais utilizados para esse fim.

Ação analgésica

Um estudo com cobaias em laboratório demonstrou que o extrato de noni exerce ação depressora do sistema nervoso central, ou seja, causa relaxamento e sedação.

Em outro estudo, o extrato das raízes de noni reduziu a sensibilidade a dores muito intensas (principalmente para quem fez cirurgia, sofreu acidente, etc.) na ordem de 80% – um resultado igual ao da morfina.

Outro estudo verificou que o consumo do extrato de noni reduz dores e inflamações em casos de artrite, e é indicado para tratar artrite, artrite reumatoide e artrose. A eficiência dele foi a mesma do tramadol – princípio ativo do Tramal, analgésico comercial utilizado, por exemplo, em cirurgias graves.

Controle da diabetes

Em laboratório, tanto os extratos das raízes do noni quanto o suco dele fermentado controlaram de maneira eficiente os níveis glicêmicos, e atuaram no controle da diabetes.

Ação antibiótica

Como antibiótico, o noni inibiu significativamente vários tipos de bactérias que causam problemas em seres humanos – conteve em 95% o desenvolvimento da Mycobacterium tuberculosis, causadora da tuberculose.

Ação antitrombótica e controle da pressão arterial

O suco do noni exerce relevante ação antitrombótica, evitando a formação de coágulos, que entopem as artérias. Um estudo demonstrou a atividade vasorrelaxante dele, facilitando a circulação sanguínea, e com isso, controlando a hipertensão arterial.

Proteção do cérebro

O noni também melhora a circulação sanguínea na região cerebral. Ele reduz o estresse oxidativo do tecido cerebral e a ação da acetilcolinesterase – enzima que inibe a acetilcolina, um neurotransmissor muito importante para a saúde do cérebro, para evitar o Alzheimer, etc. Com isso, há melhora da cognição, da memória e combate à degeneração cerebral.

O consumo de noni auxilia no tratamento de idosos com alguma doença degenerativa cerebral.

Outra pesquisa demonstrou que o consumo do noni aumenta, no cérebro, as concentrações de dopamina e serotonina, dois importantes neurotransmissores responsáveis pelas sensações de felicidade e saciedade, além de combaterem vícios, ajudarem a dormir melhor e reduzirem dores.

Isquemia cerebral é quando o fluxo sanguíneo é interrompido em alguma região do cérebro, que acaba tendo um colapso. Isso pode causar sequelas, como perda de movimento, da fala, da visão ou mesmo invalidez.

Em um estudo, animais que foram induzidos à isquemia cerebral e que tomaram o extrato de noni não tiveram as mesmas sequelas do grupo que não tomou (a isquemia cerebral foi atenuada).

Ação cicatrizante

O extrato alcoólico das folhas de noni acelera a recuperação dos tecidos em casos de queimaduras e cortes.

Para diabéticos que têm problemas de cicatrização, o consumo do suco do noni melhora o processo de cicatrização.

Proteção do sistema digestivo

O extrato de noni reduz em até 50% a produção de sucos gástricos, ajudando a controlar gastrites e evitando úlceras (tanto no estômago quanto no duodeno).

No refluxo, os ácidos estomacais voltam pelo esôfago e queimam-no, causando uma inflamação chamada esofagite. O uso do noni evita o refluxo, e consequentemente a esofagite, além de melhorar a função intestinal. É possível tratar a prisão de ventre com o extrato de noni.

PUBLICIDADE