Mitos e verdades sobre os cabelos

Atualizado em:

PUBLICIDADE


Cabelos: mitos e verdades

O cabelo é símbolo de poder e sexualidade, bem com a ausência dele remete falta de influência e de sex appeal, apesar de trazer um ar de sabedoria e experiência.

Arrancar um fio branco faz nascer vários outros brancos

O branqueamento dos cabelos decorre de alteração dos melanócitos, células que pigmentam os fios. Ele pode ser desencadeado precocemente por excesso de estresse, que faz com que a célula pare de produzir melanina e o fio fique branco. Isso geralmente acontece com o envelhecimento. Existem cosméticos que não são tinturas que repigmentam a raiz capilar.

A crença de que arrancar um fio branco faz nascer vários outros também despigmentados é mito.

Queda de cabelo não tem controle

Outro mito é que a queda de cabelo não tem solução. O ideal é preveni-la. A mulher geralmente perde fios por influência emocional, porém, é possível amenizar a perda capilar independente do tipo dela.

PUBLICIDADE


Existem tratamentos para a queda do cabelo que duram cerca de 3 meses, como o agulhamento, laser, intradermoterapia e com nutrientes para melhorar a qualidade do fio.

Não existem formulações milagrosas que recuperam o fio em uma semana. O processo para reorganizar o folículo piloso, para o fio nascer forte é mais longo.

É importante entender se o problema está somente no folículo capilar, que produz o fio, ou se há alguma desordem fisiológica. Às vezes faltam nutrientes, como ferro, silício ou vitaminas do complexo B, e o fio não cresce.

O histórico do paciente precisa ser analisado por completo para entender se ele tem queda ou quebra dos fios. Esta é comum na mulher, porque tinturas, processos térmicos e alisamentos fazem com que os fios fiquem mais fracos e sensíveis, podendo se quebrar ao pentear ou formar pontas triplas. Nesse caso, recomenda-se apará-los.

Arrancar cabelo gera alopecia

Puxar demais os cabelos pode gerar alopecia por tração, pois o excesso de força também arranca os fios.

Usar boné faz cair cabelo

Alguns homens usam boné o tempo todo. Em quem têm genética favorável à calvície, abafar o couro cabeludo pode agravar a queda capilar e a acne na testa, pois aumenta a oleosidade. A pessoa pode usar boné durante algumas horas e tirá-lo. Gerando caspa, deve-se lavar o cabelo.

Lavagem dos cabelos

O cabelo pode ser lavado todos os dias. Não é verdade que a raiz capilar demora 24 horas para secar após ser lavada.

É normal perder até cerca de 150 fios de cabelo por dia. É preferível lavar o cabelo do que deixar a caspa evoluir, o que pode culminar em um processo inflamatório e piorar a queda capilar. Uma senhora que não pratica esportes, que tem cabelos secos e não transpira muito, pode lavá-los duas ou três vezes por semana.

Uso de anticoncepcional no shampoo

Algumas mulheres adicionam pílulas anticoncepcionais nos shampoos no intuito de acelerar o crescimento dos cabelos e deixá-los mais bonitos, mas isso não acontece.

Corte e crescimento dos cabelos

Cortar os cabelos não acelera o crescimento deles.

Há como transplantar cabelo para a barba?

O transplante para pelos da barba e da sobrancelha utiliza técnica parecida com a para cabelos.

Primeiro, é necessário estudar o que causou a queda de pelos na barba ou se a pessoa nunca os teve.

O implante capilar pode ser realizado extraindo de alguma parte que tem pelos e colocando na área do corpo em que se deseja, porém, pode-se tentar outro tratamento antes dele.

Anabolizante faz cair cabelo

Alguns esteroides anabolizantes aumentam a queda capilar, pois são à base de testosterona. Quanto mais testosterona, mais di-hidrotestosterona se forma, e mais “portas” nas raízes dos folículos são preenchidos por esse hormônio, causando mais queda de cabelo.

Gel faz cair cabelo?

O gel é um cosmético usado na haste capilar, que não é absorvido pela raiz do cabelo, não causa queda dos fios e não tem problema em ser usado todos os dias.

Existe remédio que faz nascer cabelo?

O minoxidil é um vasodilatador utilizado para estimular a circulação sanguínea local. Tanto ele quanto a finasterida previnem ou desaceleram a queda capilar, mas não tratam áreas calvas.

Implante capilar com laser?

O transplante capilar não é feito a laser, mas com microlâminas de 0,7mm utilizadas para as incisões, por isso, aproximando-se um fio do outro, não se tem mais um aspecto de cabelo de boneca e o resultado é natural.

Minoxidil para barba

Há relatos de homens cujos pelos do rosto só nascem no cavanhaque. Hoje, existem tratamentos para aumentar o volume da barba, como com minoxidil.

Lavar o cabelo a noite faz mal?

Quando se lava o cabelo durante a noite, ele leva entre 4 a 6 horas para secar, e se dormir com o couro cabeludo úmido e desenvolver dermatite seborreica, acelera-se a perda capilar.

Intradermoterapia funciona para queda de cabelo?

A intradermoterapia é uma técnica em que se aplicam pequenas quantidades de princípios ativos no couro cabeludo, com isso consegue-se diminuir o volume de medicação aplicada no paciente, e obter resultados superiores sem efeitos indesejáveis.

É uma técnica já consagrada e que traz resultados bastante interessantes para os tratamentos das perdas de cabelo.

Artigo anteriorMitos e verdades sobre a caspa
Próximo artigoMulher pode tomar finasterida?
CRM: 91128. Doutorado em Dermatologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (2009-2012). Mestrado em Dermatologia Clínica e Cirúrgica pela Universidade Federal de São Paulo (2001-2006). Residência médica em Dermatologia pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (1998-2001). Graduação em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (1992-1997). Pós-Doutorado em pesquisa em dermatologia pela Emory University School of Medicine, Atlanta, GA, EUA. Professor-assistente de dermatologia na Universidade de Mogi das Cruzes (2005-2006). Médico-assistente do Serviço de Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2006-2012). Médico chefe do Serviço de Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2012-2014). Coordenador do programa de residência médica em Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2019-2012). Coordenador de todos os programas de aperfeiçoamento/especialização médicos da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2011-2014).