Mitos e verdades sobre clareamento dental

Segundo pesquisas, indivíduos com sorriso mais branco em geral são mais felizes, bem-sucedidas e têm boa qualidade de vida.

PUBLICIDADE


Quem pode fazer clareamento dental

Qualquer pessoa com mais de quinze anos e não gestante está apta ao clareamento dental.

Bicarbonato de sódio e clareamento dental

O bicarbonato de sódio é abrasivo, cria atrito com os dentes, danifica-lhes o esmalte, desgasta-lhes a superfície e aumenta-lhes a sensibilidade, por isso não é indicado para clareá-los.

Efeitos do uso de cremes dentais, enxaguatórios e fitas branqueadoras

Cremes dentais não contêm substâncias clareadoras, mas alguns são abrasivos e corroem a superfície dental. Embora deixem os dentes minimamente mais brancos, também podem provocar maior sensibilidade, sobretudo se usados diariamente.

Os enxaguatórios não clareiam os dentes e as fitas branqueadoras, apesar de contarem com material que de fato clareia, em virtude de acarretarem demasiada sensibilidade, tiveram a comercialização proibida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA.

PUBLICIDADE


Aparelhos ortodônticos e possível escurecimento dos dentes

Inevitavelmente aparelhos ortodônticos escurecem os dentes, porque os bráquetes, especialmente os metálicos, acumulam resíduos. Atualmente há os de safira, cujos bráquetes são vítreos, o que reduz o grau de escurecimento, por haver menor aderência de placas. Há ainda os invisíveis, que, por não terem bráquetes, não juntam sujeira.

Comparativo entre tratamento caseiro e a laser

O tratamento caseiro consiste na utilização de uma placa personalizada em que o próprio paciente coloca o gel clareador, de concentração menor, e que usa pelo tempo estabelecido pelo dentista e pelo fabricante.

O tratamento dura em média três a quatro semanas, a depender da disciplina do paciente, dos produtos empregados e do grau de escurecimento dos dentes, e os resultados, geralmente, demoram mais a aparecer.

O laser ativa o clareador. Por essa técnica, coloca-se uma barreira na gengiva e aplica-se o gel, de maior concentração, sobre os dentes. A primeira sessão pode durar de vinte minutos a uma hora e, comumente, é preciso três ou quatro, de acordo com cliente.

A técnica mista alia a progressividade da caseira com a potencialização do tratamento a laser e habitualmente é mais efetiva.

Alimentação e clareamento dental

Ainda que se recomende, durante e após o clareamento, abstinência de alimentos com corantes, tais como café, vinho, refrigerantes e açaí, hoje há artigos de qualidade que não impedem o consumo desses itens, entretanto faz-se necessário higienização bucal adequada logo após ingeri-los para evitar a fixação da cor.

Clareamento dental e sensibilidade permanente

Alguns dentes são naturalmente mais sensíveis ou por trincas no esmalte, o que favorece a chegada de estímulos externos à dentina, região mais interna, ou por raiz exposta, chamada de recessão ou retração gengival.

Com exceção desses casos, os dentistas avaliam que o clareamento dental não causa sensibilidade permanente. Antes isso ocorria por causa da composição dos produtos, porém hoje há nela dessensibilizantes que a anulam antes mesmo de ela surgir.

Efeitos prejudiciais do clareamento

Não há relação entre clareamento e danos à saúde mesmo em longo prazo. Todavia não se aconselha esse tratamento em dentes com muitas cáries e em restaurações, que permanecem da mesma cor. Em consequência disso, talvez seja preciso substituí-las ao fim do processo.

Quem fez tratamento de canal não se beneficia com o clareamento convencional, no consultório ou caseiro. Nesses casos, é melhor realizar clareamento interno.

A substância normalmente usada no clareamento – peróxido a 37% – não é carcinogênica. Se a proporção fosse mais de 50% é que se poderia pensar nisso.

Custos

Há muitas variáveis determinantes do preço, como localização do consultório e materiais utilizados. O caseiro custa de R$ 400,00 a R$ 700,00 e o método a laser, de R$ 900,00 a R$ 1500,00.

Preparação dental para melhor eficiência do clareamento

A dúvida em relação à a eficiência do clareamento é comum. Como atua sobre o esmalte dental, se a pessoa passou por algum sem tratamento prévio de polimento ou profilaxia adequada, ele não terá a eficácia esperada.

As resinas não clareiam, apenas o esmalte dental. Por isso, é preciso removê-la após usar aparelho ortodôntico, caso contrário ela atuará como barreira entre o agente clareador e a superfície dental.

Sensibilidade

Quem tem histórico de sensibilidade dental deve utilizar cremes dentais específicos e, mesmo assim, encontra dificuldades para, por exemplo, tomar sorvete.

O clareamento pode provocar sensibilidade maior ou menor de acordo com cada pessoa, já que há diferentes biotipos gengivais, alguns mais finos, com recessões ou áreas mais suscetíveis. Por isso, é importante individualizar o planejamento.

Às vezes, para obter bom resultado sem sofrer com esse problema, o indivíduo precisará aplicar um clareador com intensidade mais baixa e por maior tempo.

Durabilidade do clareamento

Uma dica para aumentar a durabilidade do clareamento é evitar alimentos com pigmentos, além de cigarro e bebidas como café, refrigerantes e vinho tinto, que podem manchar os dentes e exigir que o paciente faça retoque em período mais curto.

Técnicas caseiras de clareamento

Comumente as técnicas caseiras de clareamento se servem de substâncias abrasivas. Embora se note algum clareamento por causa da remoção da superfície pigmentada advinda da alimentação e da ação da placa bacteriana, essa abrasividade pode desgastar os dentes, causar sensibilidade e problemas gengivais.

Em longo prazo, abrasivos podem tirar o esmalte, que dá aspecto branco aos dentes, e expor a dentina, que, de tonalidade amarelada, pode amarelá-los. Além disso, esse resultado não é duradouro porque atinge apenas a superfície, já o realizado em consultório altera a coloração interna do esmalte.

Há uma técnica caseira de clareamento com vinagre associado a carvão vegetal, procedimento perigoso porque emprega um ácido que desgasta o esmalte, isto é, o desmineraliza. No começo, assemelha-se a uma limpeza, pela qual é melhor optar, já que não lesiona os dentes.

Pastas de dentes clareadoras

Há muitos tipos de pastas com dióxido de titânio, composto que tinge de branco os dentes numa espécie de caiação, porém, se deixar de usá-las, eles retornam à cor original.

Enfraquecimento dos dentes

O principal mito sobre o clareamento dentário é o enfraquecimento dos dentes, mas isso não ocorre quando feito por um dentista capacitado, que escolhe a concentração ideal da substância para os dentes do indivíduo.

Cuidados com alimentos corantes

Alimentos e bebidas ricos em corantes tiram a total eficácia do clareamento, portanto, após o procedimento, evite ingestão de bebidas, como café, vinho tinto e suco de uva.

Cremes dentais abrasivos

Cremes dentais abrasivos não clareiam os dentes, apenas o esmalte, estrutura transparente sobreposta à dentina. O clareamento correto ocorre de dentro para fora.

Eficácia das modalidades de clareamento

Muitos pensam, erroneamente, que o tratamento a laser é mais eficaz que o convencional. Na verdade, ele oferece mais rapidez, apenas uma ou duas sessões, além de causar menos sensibilidade se conduzido corretamente. Mas a eficácia dependerá de cada paciente e da concentração do gel utilizado. Ademais, o efeito não dura a vida toda; é preciso manutenção.