Mirtilo

Plantio e adubação de mirtilo em vasos

É possível plantar o mirtilo em vasos, mesmo em lugares quentes.

PUBLICIDADE


Ao contrário da grande maioria das frutas, o mirtilo gosta de solos ácidos. Calcário ou gesso agrícola nunca devem ser utilizados no substrato usado para o mirtilo, pois irão atrapalhar o desenvolvimento dele.

Recomenda-se tentar deixar a terra mais ácida. Para isso é necessário preparar um substrato diferenciado.

Para preparar o substrato, utilizando como medida uma lata ou balde de 18 litros, utilize 2 latas de terra, 1 lata de esterco de curral bem curtido, 1 lata não muito cheia de serragem (que pode ser conseguida em qualquer serraria ou marcenaria), e cerca de 1 xícara de chá de limalha de ferro.

No lugar da limalha de ferro, pode-se utilizar pequenos pedaços de Bombril bem picado, jogando-os sobre a terra a cada 15 dias ou uma vez por mês.

PUBLICIDADE


Primeiramente, coloque um pouco de argila expandida (cerca de 2cm) no fundo do vaso. Verifique a quantidade de substrato necessária no fundo do vaso para que a planta fique nivelada na boca dele. Adicione o substrato já pronto e bata levemente o vaso para assentar a terra.

Se a muda estiver em um “vasinho”, basta virá-la para que ela saia. Acomode a muda no vaso, na posição desejada, e com a ajuda de uma pá complete com o substrato as laterais do vaso.

No substrato, também deve-se utilizar carvão (de churrasqueira) moído. Não é recomendado usar o pó do carvão, mas sim pequenos pedaços dele.

Triture o carvão e passe em uma peneira de café, que é uma peneira mais grossa. O que caiu dela, peneire em uma peneira de arroz, que é mais fina. O que fica na peneira de arroz são os “cavaquinhos” de carvão, que têm entre 3 e 5mm e que são utilizados para dar porosidade ao solo.

O mirtilo, embora precise de bastante água, não gosta de solos encharcados. Plantado em uma terra vermelha pura, ela irá reter muita umidade e ele não vai se desenvolver bem. O mirtilo prefere solos bem drenáveis, e o cavaco de carvão, além de deixar a terra mais ácida, dá facilidade de escoamento para a água e facilita o desenvolvimento do sistema radicular da planta.

Para finalizar, pode-se cobrir o substrato na boca do vaso com uma camada fina de serragem, que, além de manter o sistema um pouco mais úmido, não deixando que o substrato seque totalmente, vai aumentar um pouco a acidez do solo.

É importante, logo após o plantio, regar o substrato. Assim, o substrato vai envolver bem o torrão, e a probabilidade de “pega” é maior.

Artigo anteriorJabuticaba
Graduação em Nutrição pela Universidade São Judas Tadeus (2007-2010). Pós-graduação em Nutrição Clínica pela Universidade Nove de Julho (2013-2014). Pós-graduação em Prescrição de Fitoterapia e Suplementação Esportiva e Clínica pela Universidade Estácio de Sá (2015-2016). Nutricionista Clínica da empresa Assiped (2016-2017). Nutricionista Clínica da empresa Cefron (2015-2018).