Minoxidil: efeitos colaterais

Atualizado em:

PUBLICIDADE


Ação do minoxidil

A droga chamada minoxidil age no couro cabeludo, e não tem efeito hormonal. Ela prolonga a fase de crescimento do cabelo, fazendo com que ele engrosse – os fios finos, miniaturizados e que tinham um ciclo de vida curto passam a ter um mais longo, o que faz com que se tenha a percepção de maior volume capilar.

hairloss-blocker-recupera-88-cabelo

Efeitos colaterais do minoxidil

O minoxidil não exerce efeito colateral no tocante à parte sexual.

Remédios para Queda de Cabelo: Ranking do Consumidor

 PRODUTONOTA MÉDIAVOTOSREVIEW
#1HairLoss Blocker8,91/10581btn-saiba-mais
#2Minoxidil7,74/101023btn-saiba-mais
#3Finasterida7,25/101084btn-saiba-mais

A pessoa pode, eventualmente, sentir coceira no couro cabeludo (dependendo da fórmula do medicamento). Atualmente existem bases mais modernas que não ressecam o cabelo e têm cosmética agradável, em que os dermatologistas até conseguem aumentar a concentração do minoxidil.

Como efeito colateral do minoxidil, há o shedding hair (em 5% dos pacientes).

PUBLICIDADE


Outro problema que muitos pacientes relatam é o aumento de pelos no rosto, por isso, nos Estados Unidos, antigamente, a concentração indicada de minoxidil para mulheres era de 2%. Se isso acontecer, o ideal é consultar um dermatologista, diminuir a concentração da droga e observar.

O minoxidil é um vasodilatador, mesmo não tendo ação sistêmica significativa (a princípio o efeito dele é somente locoregional), porém, o couro cabeludo é uma região extremamente vascularizada, portanto, uma pequena porcentagem de pessoas pode sentir, eventualmente, dor de cabeça, palpitação ou dores no peito. Se isso acontecer, a recomendação é suspender o uso da droga, observar e, se reiniciar o uso (com orientação médica) que seja em concentração mais baixa.

Posso aplicar minoxidil com os cabelos molhados?

O minoxidil não deve ser utilizado em cabelos molhados, eles devem estar secos – inclusive isso consta na bula de muitas loções capilares – para que o princípio ativo não seja diluído e perca eficácia.

Artigo anteriorMinoxidil nas entradas
Próximo artigoCalvície
CRM: 91128. Doutorado em Dermatologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (2009-2012). Mestrado em Dermatologia Clínica e Cirúrgica pela Universidade Federal de São Paulo (2001-2006). Residência médica em Dermatologia pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (1998-2001). Graduação em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (1992-1997). Pós-Doutorado em pesquisa em dermatologia pela Emory University School of Medicine, Atlanta, GA, EUA. Professor-assistente de dermatologia na Universidade de Mogi das Cruzes (2005-2006). Médico-assistente do Serviço de Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2006-2012). Médico chefe do Serviço de Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2012-2014). Coordenador do programa de residência médica em Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2019-2012). Coordenador de todos os programas de aperfeiçoamento/especialização médicos da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2011-2014).