Melhor clareamento dental

Procedimentos do clareamento caseiro

Para o clareamento caseiro, o paciente vai ao consultório onde se faz a moldagem do arco superior e inferior e, com base nela, confeccionam-se moldeiras, sobre as quais ele colocará o gel e usará de quarenta minutos a três horas por dia, de acordo com a concentração do produto receitada pelo dentista.

PUBLICIDADE


Vantagens e desvantagens dos clareamentos caseiro e de consultório

O clareamento caseiro provoca menor sensibilidade nos dentes, mas, ao mesmo tempo, implica maior tempo para chegar a efeitos satisfatórios. Isso também depende da disciplina do paciente. Além disso, o dentista não supervisionará o clareamento no momento em que ocorre.

O de consultório realiza-se sob supervisão do dentista, é mais rápido, mas pode suscitar maior sensibilidade porque o gel é um pouco mais forte que o do tratamento caseiro, mas há meios para reduzir esse incômodo.

Qual procedimento possibilita melhor resultado

Tanto o clareamento caseiro como o de consultório rendem ótimos resultados, todavia não é possível prever quão claros os dentes ficarão, embora sempre ocorra algum clareamento.

Cuidados ao realizar o clareamento caseiro

É preciso tomar cuidado com o clareamento caseiro sem o controle de um dentista. A indústria apela a diversas formas para aumentar as vendas do produto, como a imagem da modelo Gisele Bündchen, mas é comprovado cientificamente que o gel clareador, se ingerido, é potencialmente carcinogênico.

PUBLICIDADE


Muitos reaproveitam a moldeira depois de três anos, por exemplo, sem a orientação de um profissional. Isso é perigoso porque, com o passar do tempo, ela resseca e deforma-se, por isso qualquer área do dente ao qual ela não se adapte possibilitará vazamento e ingestão do gel.

Para evitar consequências negativas, consulte sempre um profissional capacitado.

Indicação

O clareamento dental indica-se para todos os tipos de dentes naturais que se pigmentaram por alimentação, bebida, café e cigarro.

De maior longevidade, o clareamento caseiro supervisionado faz-se com moldeira individual em que o próprio paciente coloca um gel, selecionado de acordo com a necessidade, e que usa de uma até oito horas, a depender do gel. Esse tratamento se estende de quatro a seis semanas e, em caso de resultados não satisfatórios, reforça-se com o feito em consultório, que utiliza o mesmo princípio ativo, porém em maior concentração. Desse modo, é possível clarear os dentes em uma ou duas semanas.

Funcionamento do tratamento

O princípio ativo das duas modalidades de clareamento é o mesmo, penetra nos dentes por meio dos túbulos dentinários, quebra as moléculas de pigmentos em pequenos fragmentos e desencadeia uma reação de oxirredução, o que propicia maior clareamento. O efeito é proporcional ao grau de pigmentação de cada paciente.

Dentes excessivamente claros são esteticamente desagradáveis, por isso se busca naturalidade no brilho. Mesmo após o procedimento, mantêm-se distintas colorações num mesmo dente, ou seja, mais escuro na região próxima da gengiva e mais claro nas extremidades superiores.

Clareamento a laser

Estudos mostram que luz, led ou laser, pode agredir a polpa, que é a parte viva e onde se localiza o cerne do dente. Mas hoje os produtos dispensam a luz nas aplicações.

Custos do tratamento

Em São Paulo, a média é entre R$ 600,00 e R$ 2.000,00.

Dieta durante o tratamento

Muitos artigos científicos afirmam que alimentar-se não influencia no clareamento, contanto que não no momento do uso da moldeira, quando não se admite ingestão de nenhum tipo de comida. Porém, quando se retira a placa e se passa fio dental, é permitido comer e beber o que se quiser. Dizer que o dente terá os poros abertos e isso aumentará a possibilidade de mancha é mito, já que a estrutura do dente não se altera durante o clareamento.

Clareamento e sensibilidade dental

Essa terapêutica não é contraindicada para quem tem sensibilidade nos dentes, todavia, nesse caso, deve-se escolher gel com menor concentração de princípio ativo e, na modalidade caseira, retornar mais regularmente ao consultório para acompanhamento e, se necessário, dessensibilização.

Pastas de dente clareadoras

Diferentemente do gel de clareamento, a maioria das pastas dentais clareadoras provoca, no dente, um processo físico, e não químico. Com pequenos grãos que raspam o dente, clareiam-no, mas, se usadas diariamente, desgastam o esmalte e deixam-no com aspecto mais escurecido. Aconselha-se, por isso,  usá-las esporadicamente, para remover os pigmentos que não penetraram no dente, porém, para os internos, que têm maior poder de escurecimento, são ineficazes.

Fitas clareadoras

Hoje está proibida a venda de fitas clareadoras em farmácias porque, ainda que funcionem, acarretam problemas, por falta de orientação de dentistas, o que suscita uso indiscriminado e inadequado.

Supervisão de profissional

O cirurgião-dentista deve supervisionar todo tipo de clareamento, já que, além de avaliar o resultado, é ele quem estabelece o melhor tratamento e a concentração adequada do gel clareador para cada caso.