Mandacaru: Benefícios e Como Usá-lo

Atualizado em:

PUBLICIDADE


Mandacaru: benefícios e como usá-lo

O mandacaru (Cereus jamacaru) é uma planta comum no Nordeste brasileiro, que se desenvolve muito na região do semiárido e na caatinga, e não deve ser confundido com outras espécies de cactos, como a pitaia e o figo da índia. Ele também é encontrado em outras regiões do Brasil, e em algumas cidades, se desenvolve nas áreas de restinga, na beira da praia.

É uma cactácea com troncos bem altos que se dividem e formam quatro ângulos, e espinhos pontiagudos e perigosos. Ele tem frutos que, maduros, ficam cor-de-rosa (pink), e que têm uma polpa comestível.

PUBLICIDADE
cursos sobre plantas medicinais cpt
cereus-jamacaru
Mandacaru (Cereus jamacaru).

Ele tem o caule quadrangular, formando uma cruz (chamada de “estrela do mandacaru”). A parte verde do mandacaru, chamada de cladódio, ou caule do cacto, é a utilizada medicinalmente. O fruto, mais utilizado como alimento, tem coloração rosada e estrutura fibrosa cheia de sementes.

É possível fazer suco do mandacaru, colocando a fruta inteira (com casca) no liquidificador e batendo com limão. O fruto do mandacaru é rico em água e minerais, como sódio, magnésio e fósforo, e por isso é indicado principalmente para ser consumido em locais com temperaturas quentes, como quando a pessoa está na praia, ou quando ela está desidratada (por conta de diarreias, por exemplo).

PUBLICIDADE


O mandacaru tem baixa toxidade – e não agride o organismo (como o fígado e o rins). Porém, grávidas não devem usar extratos feitos com ele, já que ele reduz o desenvolvimento fetal.

Usos populares do mandacaru

O mandacaru é uma das plantas mais conhecidas e utilizadas no Nordeste para o tratamento de diversos problemas, e é muito eficiente. Como é uma região de pouco acesso a serviços de saúde e medicamentos, muitos aprenderam a utilizar o que tinham em volta para melhorar a saúde.

O caule do mandacaru é muito utilizado para tratar problemas respiratórios, como bronquite, asma, tosse e gripe. É possível ralar o caule, espremer, retirar o sumo dele e tomá-lo a colheradas, ou fazer um xarope com açúcar. O uso dessas preparações é muito reputado no Nordeste.

Além disso, ele exerce ação sobre o sistema gastrointestinal. O sumo dele é utilizado para tratar gastrite e úlcera. Ele tem ação levemente laxativa, pois forma uma mucilagem (um gel) que auxilia contra a prisão de ventre (facilita a evacuação) e na expulsão de vermes intestinais.

Sobre a pele, o mandacaru é bastante utilizado para combater eczemas, picadas de inseto, pruridos, queimaduras, psoríase e outros problemas cutâneos. É possível fazer um emplastro com o mandacaru, para isso triture a planta, e coloque-a sobre a área afetada, envolto com gaze, bandagem ou, em alguns casos, coloque uma compressa quente por cima.

As raízes do mandacaru são muito utilizadas tradicionalmente no Nordeste para tratar problemas renais, desde cistite (infecção da bexiga) até nefrite (infecção do rim) e pedras nos rins.

O uso do extrato do mandacaru é excelente para tratar febres. É possível tirar o sumo dele e administrar a colheradas, a cada 10 ou 15 minutos, até que a temperatura corpórea baixe.

Muitos pesquisadores descrevem esses usos populares como eficientes. Porém, a ciência ainda não comprovou essas capacidades do mandacaru.

Benefícios do mandacaru

Ação antibiótica

O mandacaru combate com eficiência vários tipos de bactérias, principalmente do gênero Staphylococcus, Pseudomonas e a Escherichia Coli. Existem plantas mais eficientes como antibiótico, mas na falta delas, o mandacaru pode ser utilizado para lavar feridas, combater infecções da garganta, etc.

Ação vermífuga

O extrato do mandacaru foi administrado em ovelhas infectadas com vermes intestinais, e reduziu drasticamente o número de ovos de vermes nas fezes delas, o que significa que o número de vermes dentro do intestino também diminuiu. Existem outras plantas que podem ser utilizadas em associação com o mandacaru para isso.

Ação analgésica e anti-inflamatória

Em um estudo o mandacaru reduziu a sensação de dor e efeitos de inflamações das cobaias, como inchaço, vermelhidão e febre – que são resultados de infecções, portanto, ele exerce ação contra elas.

Tratamento de água

Em regiões onde não há fornecimento de água tratada, o extrato do mandacaru foi utilizado para reduzir a turbidez da água, ou seja, deixar ela limpa – reduzindo a quantidade de sulfato de alumínio necessária para o processo. Isso normalmente é feito com produtos químicos.

Ele agiu como floculante, aglomerando materiais orgânicos, terra, algas, etc., que viraram pequenos grumos e sedimentaram, deixando a água límpida e com melhor qualidade para ser consumida.

Ação antitumoral

Não se pode dizer que o mandacaru combate efetivamente o câncer, mas foi demonstrado que ele exerce ação inibitória inicial de células tumorais. Com a evolução das pesquisas sobre os efeitos do mandacaru, no futuro, talvez ele se torne um excelente combatente do câncer.

PUBLICIDADE