Locarserina

Locarserina: uma nova droga para emagrecer?

A locarserina é uma droga emagrecedora que voltou a ser liberada pela ANVISA para uso a partir de 2017.

PUBLICIDADE


Ao contrário do que alguns veículos de comunicação reportaram, a locarserina não é uma droga nova. Ela foi liberada pelo FDA nos Estados Unidos em 2012, e em 2013 começou a ser prescrita nos EUA como Belvic (o nome comercial da locarserina).

Por volta de 2013, no Brasil, alguns endocrinologistas chegaram a prescrever a locarsarina para alguns pacientes. Porém, como ela não tinha o registro da ANVISA, ela foi retirada do mercado. Foi necessário esperar 5 anos para que a locarseriina tivesse liberação da ANVISA e fosse reintroduzida no mercado.

A partir de janeiro de 2017, ela começou a ser prescrita. Alguns endocrinologistas relatam ter tido uma boa experiência com o uso da locarserina nos pacientes em 2013.  Ela não é uma droga que faz milagres, mas tem indicações pontuais.

Mecanismo de ação da locarserina

A locarserina atua através da serotonina, uma substância muito conhecida pela população e que está extremamente relacionada ao humor e à saciedade. A locarserina atua modulando esse hormônio através de receptores.

PUBLICIDADE


Assim como qualquer hormônio, a serotonina atua através de receptores: é necessário que haja uma ligação da serotonina em um receptor para que ela possa desempenhar as funções dela no corpo.

Os receptores de serotonina são chamados de 5HT, e estão presentes em diferentes estruturas para que ela possa realizar suas diferentes funções. Esses receptores têm uma gama de subdivisões – os receptores 5HT vão de 1 a 7 (5HT1, 5HT2, 5HT3, 5HT4, 5HT5, 5H6 E 5HT7).

Dentro dessas divisões existem divisões A, B e C. Portanto, existe 5HT1A, 5HT1B, 5HT2A, 5HT2B, etc. Cada um desses receptores irá desempenhar, através da ligação com a serotonina, uma determinada função.

A locarserina vai atuar estimulando a serotonina através de receptores muito específicos. Por isso, a locarserina é classificada como uma agonista de serotonina bem seletiva. Ela atua através dos receptores 5HT2, que está localizado no hipotálamo, onde ocorrem as principais funções de saciedade e melhora metabólica.

Porém, é muito difícil para a indústria farmacêutica desenvolver uma droga tão seletiva. Se a locarserina atuasse somente nos receptores 5HT2, ela seria isenta de efeitos colaterais. O problema é que ela também tem uma pequena ação nos receptores 5HT1B, que estão presentes nas válvulas cardíacas, e 5HT2A, presentes no cortéx cerebral e que estão muito relacionados ao humor, por exemplo.

Efeitos colaterais e riscos no uso de locarserina

Quando um paciente toma a locarserina, o apetite dele irá diminuir e a saciedade vai ser estimulada, ocorrendo antes. Porém, também pode ocorrer uma pequena ação sobre as válvulas cardíacas e sobre o humor desse paciente.

Portanto, se o médico prescreve a locarserina para um paciente cardiopata, por exemplo, o paciente pode ter efeitos colaterais. Se a locarserina é prescrita para um paciente que tem problemas de humor, como distimia (mal humor crônico) ou bipolaridade, esses problemas podem ser acentuados.

Conhecendo o mecanismo de ação de qualquer droga, é possível entender que nem todas as pessoas podem usá-las. Quando a locarserina não tinha sido liberada, muitas pessoas compravam Belvic pela internet. Porém, sem o acompanhamento de um médico, podem existir pacientes bipolares tomando locarserina, e isso pode desencadear uma crise grave nesse paciente.

É muito comum que o paciente tenha algum problema de válvula cardíaca, como um prolapso de válvula vitral, e não saiba. Se esse paciente toma a locarserina, ele pode piorar o problema e causar problemas sérios de saúde.

A locarserina é uma droga boa e relativamente segura. Alguns endocrinologistas têm pacientes em uso de locarserina, principalmente pacientes que têm problemas de saciedade (demorar para se saciar).

Porém, a indicação tem que ser muito precisa. Apesar da locarserina atuar nesses receptores de serotonina e ser considerada uma droga altamente seletiva, ela não é tão seletiva assim.

Nos trabalhos que foram feitos, a grande preocupação da locarserina está relacionada com o problema cardiovascular (o problema de válvulas cardíacas). Ainda não foi demonstrado que exista alguma atuação grave da locarserina (que ela desencadeie problemas sérios em pessoas hígidas). Porém, deve-se tomar muito cuidado com pacientes que têm problemas de válvulas cardíacas.

Indicação e uso de drogas emagrecedoras

Para usar drogas emagrecedoras, sempre é necessário procurar um profissional de saúde que entenda a fisiopatologia da droga, para que ele possa avaliar se a pessoa realmente tem o perfil e precisa do uso da droga.

Drogas para emagrecer não são a primeira escolha de tratamento para obesidade. Dieta, mudança de hábitos alimentares, exercício físico e mudanças comportamentais são os pilares básicos para o emagrecimento.

As drogas emagrecedoras têm indicações bem precisas, que devem sempre ser feitas por um profissional habilitado, pois existem riscos e benefícios que precisam ser analisados.