Limpeza de pele com acne

Limpeza de pele acneica

Nas peles masculinas, as glândulas sebáceas são mais ativas, há maior produção de sebo e tendência a uma camada córnea mais espessa e queratinizada, o que dificulta a veiculação dos princípios ativos.

PUBLICIDADE


Os comedões abertos e pretos, habitualmente chamados de cravos, resultam dessa produção excessiva de sebo, que, em contato com o ar, oxida e escurece, e devem-se extrair durante a limpeza de pele.

Avaliação da pele

Inicialmente, o profissional, com as mãos devidamente higienizadas e sem luvas, avalia a textura da pele: se áspera ou lisa. No primeiro caso, há maior criação de queratina, o que demanda esfoliação mais efetiva. Ele verifica também se a pele é uniforme ou tem manchas e, posteriormente, se está hidratada. A desidratada tem pontos tanto de aspereza como de descamação, do contrário, reage melhor à esfoliação e à extração.

Por fim, analisa, o tom de pele, ou seja, o fototipo, que, quanto maior, maior será a elaboração de melanina, mais escura será a pele e maior a probabilidade de sequelas após a limpeza, por isso, nesses casos, é preciso bastante cuidado na extração e esfoliação química (com ácidos). Durante o procedimento, atente para vermelhidão ou irritatições.

As luvas, obrigatórias somente no momento da remoção, porque o esteticista pode ter contato com soluções de continuidade e secreções da acne, também se podem usar desde o início da intervenção.

PUBLICIDADE


Higienização da pele

Em mulheres, normalmente faz-se demaquilação, antes de se começar a higiene, que principia com um sabonete (que elimina a oleosidade superficial), colocado em uma cubeta e espalhado pelo rosto do paciente, em movimentos circulares, com um pincel estético específico, que não arranha a pele (não esqueça as bordas do nariz, área bastante oleosa). Então retire esse sabonete com a chamada trouxa de algodão (algodão dentro de gaze), embebida em água. Não deixe resquícios dele para não sujeitar a pele a nenhum tipo de alergia.

A higienização não serve só para peles acneicas, é essencial para melhor penetração dos ativos, assim, mesmo a despigmentação deve-se iniciar por uma limpeza para preparar a pele para os demais tratamentos.

Esfoliação

O próximo passo é a esfoliação física, só possível quando o paciente não tem processos inflamatórios de acne, do contrário, pode lesioná-los, portanto, para esse caso, indica-se a esfoliação química.

Aplique, no rosto do paciente, em movimentos circulares, o esfoliante, cujas microesferas fazem abrasão, para tirar as células da camada córnea e aumentar a permeabilidade da pele durante a colocação dos ativos. Depois, remova-o com trouxas de algodão.

Utilize tônicos, antes e depois do processo, quando houver necessidade de reequilibrar o pH cutâneo. Depois da esfoliação, embeba com eles algodão e passe-o em movimentos ascendentes (em paciente com barba, no sentido dos pelos). Em seguida, faça a emoliência.

Emoliência

As soluções emolientes são extremamente alcalinas e diminuem a coesão entre os corneócitos da pele, o que facilita a extração. Os algodões embebidos nelas aplicam-se em toda a face e posteriormente se liga o equipamento de vapor de ozônio, que age de dez a quinze minutos, para assim fazer o completo amolecimento e depois se removerem comedões e pústulas, decorrentes da acne. A emoliência é o grande diferencial da limpeza de pele feita por profissional, já que prepara a pele e evita cicatrizes.

Após se aplicar a substância no rosto do paciente, devem-se por gazes nessas áreas para as compressas não se movimentarem e haver melhor controle do processo.

Ponha água no equipamento de vapor de ozônio, aguarde algum tempo para ela se aquecer e assim se iniciar a emissão do vapor juntamente com ozônio, cuja ação é bactericida, ou seja, também auxilia no tratamento da acne.

A principal função do vapor de ozônio é aquecer o emoliente, colocado com compressas sobre o rosto do cliente, para se tirarem os comedões de modo mais fácil e indolor. Posicione esse artefato a, no mínimo, 40 cm da face do paciente, que também deve estar sentindo-se confortável, respirando normalmente.

Extração

Após o vapor de ozônio, tira-se a gaze e extraem-se os comedões. Normalmente começa-se essa remoção pelo nariz (onde é mais difícil realizá-la) tanto com a cureta como manualmente, com algodões embebidos em tônico.

Se optar pela retirada manual, coloque o algodão entre o dedo médio e o indicador para maior firmeza ao trabalhar e, para o algodão deslizar mais facilmente pela pele, utilize um tônico adstringente ou antisséptico com própolis, que evitam a contaminação dos pontos das extrações.

Pressione levemente as bordas dos comedões com as laterais dos dedos, para eles saírem dos folículos pilossebáceos. Troque os algodões depois de usados. Faça esse processo em todo o rosto em vinte ou trinta minutos para não cansar muito o paciente, nem lhe causar demasiado desconforto. Se necessário, marque uma segunda sessão.

Tonificação da pele e aparelho de alta frequência

Findo o procedimento, é normal algumas áreas do rosto ficarem avermelhadas, por isso, em seguida, tonifique a pele com compressas de algodão e, em seguida, aplique o aparelho de alta frequência, que, com um eletrodo, dispositivo pequeno e fácil de se pôr no nariz e queixo, emite ondas que, em contato com o ar, transformam o oxigênio em ozônio e impedem a inflamação das regiões manipuladas.

Máscara oclusiva

Por fim, uma máscara oclusiva, à base de alginato de sódio, também com propriedades calmantes, diminuirá os pontos avermelhados. O mais importante é usá-la logo, já que ela seca rapidamente. Prepare-a em uma cubeta: adicione tônico ou água e mexa-a com uma espátula.

O rosto do paciente deve estar coberto com faixas de gaze, e os olhos, protegidos por algodão, para não vazar nenhuma porção da máscara nesse local. Deixe-a agir por quinze ou vinte minutos e remova as gazes, que auxiliam nesse momento. Se ficarem resquícios na pele, retire-os com um tônico.

As máscaras oclusivas favorecem a permeabilidade dos ativos porque obstruem os poros. O filtro solar, de fator mínimo 15, é finalizador obrigatório na limpeza de pele.