Implante capilar para mulheres: qual a melhor técnica?

Atualizado em:

PUBLICIDADE


Em algumas mulheres pode-se realizar ambas as técnicas de implante capilar, tanto a FUE quanto a FUT. Alguns médicos preferem a FUT para as mulheres, que retira os fios através de um corte na parte posterior do couro cabeludo, deixando uma cicatriz linear, e não exige que se raspe os cabelos, se isso for feito, na mulher o cabelo chegará na altura do ombro somente após cerca de dois anos. Além do que com essa técnica podem ser implantados fios longos, e assim o paciente consegue ver uma prévia do resultado definitivo que terá depois de pouco mais de um ano.

hairloss-blocker-recupera-88-cabelo

Posso cortar, raspar ou pintar os cabelos após o transplante capilar?

Sim, a pessoa poderá fazer o que bem entender com os cabelos, na verdade para as áreas calvas não se transplanta cabelo, muito menos nada artificial, e sim raízes de cabelos, que irão germinar cabelos numa velocidade normal de crescimento, exatamente como eles cresciam quando estavam na área doadora, e além disso, eles se preservarão sem a genética da calvície, já que, as áreas doadoras, que são a região posterior e as laterais da cabeça, não possuem genética positiva para a calvície, ou seja, os cabelos transplantados não cairão.

Artigo anteriorQuem perdeu cabelo devido à câncer pode fazer implante capilar?
Próximo artigoTudo sobre clareamento dental
CRM: 130475. Graduação em Medicina pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (2008). Residência médica em cirurgia plástica pelo Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas (2014-2017). Residência médica em cirurgia geral pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (2008-2010). Pós-graduação em reconstrução mamária pelo Hospital Pérola Byington (2017-2018). Pós-graduação em dermatocosmiatria pela faculdade de Medicina do ABC Paulista FMABC (2017-2018). Especialização em Oxigenoterapia Hiperárica pela Sociedade Brasileira de Medicina Hiperbárica (2016).