Implante capilar feminino

Atualizado em:

PUBLICIDADE


Avanço da incidência da calvície feminina

A alopecia vem acometendo número cada vez maior de mulheres, não só as que já passaram pela menopausa, e pode advir de diversos fatores, como diminuição da ferritina, patologias hormonais, como distúrbios da tireoide, dietas muito restritivas e queda capilar pós-gestação, entre outros.

hairloss-blocker-recupera-88-cabelo

Independentemente da causa, deve-se estabilizar a perda capilar para, posteriormente, restaurarem-se cirurgicamente as áreas calvas.

Remédios para Queda de Cabelo: Ranking do Consumidor

 PRODUTONOTA MÉDIAVOTOSREVIEW
#1HairLoss Blocker8,91/10581btn-saiba-mais
#2Minoxidil7,74/101023btn-saiba-mais
#3Finasterida7,25/101084btn-saiba-mais

Calvície feminina: características

O que difere a calvície dos homens da das mulheres é principalmente a apresentação clínica: elas não têm grandes entradas e normalmente apresentam rarefação difusa no topo da cabeça e muitas vezes em todo o couro cabeludo.

As mulheres conseguem disfarçar a calvície mais facilmente que os homens, não só por causa do cabelo comprido e dos tipos de penteado como também dos apliques.

PUBLICIDADE


Para elas a apreciação deve ser mais criteriosa, visto que várias razões podem levá-las a perder cabelo.

Antes de consultar um cirurgião de calvície, o ideal é elas procurarem um dermatologista, preferencialmente especializado em alopecias e alterações do couro cabeludo. Devem passar por uma série de exames para detectar se não há causa clínica, doença hormonal ou cicatricial do couro cabeludo que esteja levando a esse distúrbio, o que contraindicaria o transplante, mas, se recomendado, a intervenção é similar à feita em homens.

Transplante capilar nas mulheres

O transplante capilar não se restringe aos homens. Em 2015, houve aumento de 24% no volume dos femininos. Para êxito desse procedimento, a área doadora, que, tanto em homens quanto em mulheres, é normalmente a parte posterior do couro cabeludo, deve ter folículos suficientes para cobrir as calvas.

Nas mulheres, é possível fazer a FUE (Follicular Unit Extraction), pela qual se retiram fios um a um da área doadora e se transplantam da mesma forma na receptora.

Na FUT (Follicular Unit Transplantation), retira-se pequena faixa do couro cabeludo e a cicatriz fica oculta pelos fios remanescentes.

É fundamental ter diagnóstico correto da calvície: se se trata de alopecia androgenética ou de outro tipo de queda, e é necessário verificar se a paciente tem região doadora para realizar a cirurgia, que, em alguns casos, por essa ausência, não se indica.

Artigo anteriorImplante capilar: dúvidas respondidas
Próximo artigoImplante capilar FUE
CRM: 130475. Graduação em Medicina pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (2008). Residência médica em cirurgia plástica pelo Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas (2014-2017). Residência médica em cirurgia geral pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (2008-2010). Pós-graduação em reconstrução mamária pelo Hospital Pérola Byington (2017-2018). Pós-graduação em dermatocosmiatria pela faculdade de Medicina do ABC Paulista FMABC (2017-2018). Especialização em Oxigenoterapia Hiperárica pela Sociedade Brasileira de Medicina Hiperbárica (2016).