Hortelã: benefícios e como usá-la

Hortelã: características

A hortelã (Mentha piperita) é talvez uma das plantas mais conhecidas dentro do campo das plantas medicinais. É uma planta muito utilizada para fazer doces, produtos de beleza e produtos de limpeza.

PUBLICIDADE


Existem outros tipos de hortelã, e todos eles têm basicamente as mesmas atividades. A Mentha spicata, por exemplo, tem as folhas bem crespas e peludas, o caule tem bastante pelos também, e ela forma árvores maiores. Já a Mentha piperita é mais rasteira, suas folhas são bem menores e ela não têm os mesmos pelos, mas ambas têm o mesmo aroma e servem para as mesmas coisas.

Benefícios da hortelã

Atuação no sistema digestivo

A hortelã é muito conhecida por atuar no sistema digestivo. Ela estimula a digestão e combate vômitos e náuseas, por exemplo quando a pessoa come algo que não lhe cai bem. A hortelã é reputada e utilizada há muito tempo para problemas intestinais, como prisão de ventre e vermes intestinais.

PUBLICIDADE
cursos sobre plantas medicinais cpt

Ação bactericida

Dentro do sistema digestivo, a hortelã tem uma ação bactericida excelente, combatendo, por exemplo, a amebíase (uma doença que causa diarreias sanguinolentas por conta das amebas) com uma eficácia de 90%. Ela tem 70% de efetividade no tratamento da giardíase, e também é eficiente em casos de tricomoníase urogenital, uma doença que ataca principalmente as mulheres.

Nesses casos, não adianta tomar o chá da hortelã, pois ele é muito fraco para combater esses microrganismos. Em casos de ameba ou giárdia, recomenda-se utilizar a tintura alcóolica de hortelã (não o óleo essencial de hortelã), pingando 20 gotas em meio copo d’água e tomando três vezes ao dia. Esse tratamento vai ser excelente, pois a concentração é muito maior.

PUBLICIDADE


No caso da trimoníase urogenital em mulheres, recomenda-se o uso de uma pomada de hortelã.

Em casos de espinhas, furúnculos e infecções (como infecções na garganta ou feridas infeccionadas), o uso da hortelã é excelente, pois ela combate essas bactérias – seja no sistema digestivo ou sobre a pele.

Ação larvicida

A hortelã é larvicida e é eficiente contra larvas do mosquito da dengue. As larvas de pernilongos não suportam os princípios ativos da hortelã.

É possível bater a hortelã no liquidificador, por exemplo, e pingar esse suco forte da hortelã em locais que acumulam água e onde há possibilidade de se formar o mosquito da dengue.

Ação anti-inflamatória

A hortelã tem uma excelente atividade em inflamações da boca e da garganta como gengivite, laringite, amidalite, e outros problemas da boca de modo geral (como aftas).

Inflamação é quando o corpo está reagindo, e infecção é quando existe um agente patológico (como uma bactéria ou fungo) agindo naquele local. A hortelã atua na região da boca tanto como anti-inflamatório como combatendo bactérias e fungos.

Antigripal

Muitas pessoas usam a hortelã em xaropes e chás contra a gripe. Ela tem princípios ativos que trabalham bem o sistema respiratório. Crianças que estão com gripe, por exemplo, podem tomar o chá de hortelã – e é possível misturar poejo, levante, alfacão, guaco ou gengibre, que são plantas excelentes para o sistema respiratório.

Rinite alérgica

A hortelã pode auxiliar no tratamento da rinite alérgica. Os princípios ativos dela, que são responsáveis pelo seu aroma, são excelentes como antialérgicos para o sistema respiratório.

Nesses casos, recomenda-se utilizar uma mão cheia de folhas de hortelã e um pedaço de gengibre (que também é eficiente contra a rinite alérgica). Pique a hortelã, rale o gengibre e coloque eles em uma panela com 1 litro de água. Após ferver durante cerca de 1 minuto, pegue a panela (de onde estará saindo muito vapor), jogue uma toalha sobre a cabeça e se debruce sobre a panela, inalando esses vapores – mas espere esfriar um pouco para não queimar o nariz.

A inalação desses vapores é excelente para casos e rinite alérgica. Deve-se tomar cuidado ao utilizar o óleo essencial da hortelã (ao invés da planta): pingue somente 3 ou 4 gotas, pois a inalação excessiva do óleo essencial da hortelã pode causar paralisia respiratória temporária.

Prefira sempre usar a planta e fazer o chá com ela para ter mais segurança nesse tratamento.

Dores de cabeça

Massagear as têmporas e a testa com o óleo essencial de hortelã é reputado como excelente para dores de cabeça pontuais. Para aliviar as dores de cabeça, também é possível tomar o chá de hortelã ou amassar as folhas dela e esfregar tanto nas têmporas quanto na testa.

Dores musculares e inflamações dos nervos

Para casos de dores musculares e inflamações dos nervos, como tendinite, fibromialgia ou luxações, é possível fazer um chá bem forte com a hortelã (utilizando uma mão cheia de folhas para 1L de água), mergulhar um pano nesse chá e fazer compressas sobre a área afetada até que a água esfrie. Depois, não se deve expor essa área ao frio. Normalmente, as pessoas fazem essa compressa à noite, antes de dormir.

Para essas dores, também é possível incluir outras plantas, como a erva-baleeira, que também é um excelente anti-inflamatório para dores musculares.

Coceiras

Em pessoas que estão com coceiras, pruído e vermelhidão na pele (por causa de uma urticária, de uma reação alérgica ou da mordida de algum animal – como um inseto), o chá da hortelã pode ser excelente para lavar ou fazer compressas sobre a área e eliminar os efeitos das coceiras.

PUBLICIDADE