Eucalipto: características, benefícios e como usá-lo

Atualizado em:

PUBLICIDADE


Eucalipto: características

Eucalyptus é o gênero botânico ao qual pertencem centenas de espécies de eucalipto, como citriodora, globulus, entre outras.

O eucalipto é originário da Tasmânia, uma das ilhas da Oceania, perto da Austrália e da Nova Zelândia. Hoje ele é plantado em muitas partes do mundo, como na África, na América do Sul e na Ásia, pois é uma planta muito útil – principalmente para a produção de papel, na movelaria e na construção civil.

PUBLICIDADE
cursos sobre plantas medicinais cpt

No Brasil, as espécies mais cultivadas são o Eucalyptus globulus, o Eucalyptus citriodora e o Eucalyptus tereticornis, que se adaptam melhor ao clima brasileiro. Existem outras espécies de eucalipto no Brasil, mas produzidos em menor escala.

eucalyptus-globulus
Eucalyptus globulus.
eucalyptus-citriodora
Eucalyptus citriodora.
eucalyptus-tereticornis
Eucalyptus tereticornis.

O eucalipto também é utilizado para a produção de carvão, de lenha, de óleos essenciais e para artesanato. As folhas dele são recolhidas no verão e passam por um processo de secagem, e tanto de maneira artesanal quanto industrial é produzido o óleo essencial de eucalipto, muito utilizado em cosméticos, produtos de limpeza e também medicinalmente.

PUBLICIDADE


Cada espécie de eucalipto tem uma composição química única e se presta para uma função diferente, por conta da dureza e da densidade da madeira, concentração de princípios ativos, etc. Atentando-se ao cheiro e ao formato das flores, dos frutos e das folhas, percebe-se que são espécies com características diferentes, e farmacologicamente, também existem condições diferenciadas entre elas.

O principal princípio ativo do eucalipto é o eucaliptol (em diferentes concentrações a depender da espécie), mas também há outros, como o engenol e o citrolol, presentes também em outras plantas.

O eucaliptol exerce excelente ação anticatarral sobre o aparelho respiratório. Por isso, a inalação de eucalipto é muito popular. Pode-se pegar em torno de 6 a 8 folhas de eucalipto para 1 litro de água, ferver, colocar em uma bacia, cobrir a cabeça e a bacia com uma toalha e inalar esses vapores. Isso é indicado para tratar rinite, sinusite, gripe, etc.

Toxidade do eucalipto

Preferencialmente, deve-se fazer uso externo do eucalipto, já que o interno – quando a pessoa toma as preparações, seja o óleo essencial, o chá ou o pó de eucalipto – é tóxico, principalmente para crianças, e não é recomendado para quem tem até 10 anos, e entre 10 e 14 anos ele pode ser utilizado em dosagem reduzida. Para um adulto utiliza-se uma colher de folhas picadas para fazer uma xícara de chá, para uma criança entre 10 e 14 anos, meia colher.

Cuidados no uso do eucalipto

Na inalação, a aspiração demasiada de vapor de eucalipto pode causar parada respiratória. As folhas de eucalipto têm fungos, normalmente do gênero Aspergillus, que colonizam sua superfície. Se as folhas não forem muito bem lavadas, a pessoa corre o risco de fazer a inalação, aspirar os esporos desse fungo e, assim, contaminar o sistema respiratório.

O uso excessivo do eucalipto, por exemplo na forma de chá (com mais de uma colher de sobremesa de folhas picadas), pode atacar o fígado (principalmente em que tem problemas hepáticos), a vesícula, o estômago (causando cólicas estomacais, indigestão e dispepsia) e causar problemas intestinais (como diarreias).

O uso doméstico do óleo essencial do eucalipto não é recomendado, pois ele é muito concentrado, e pode causar irritação, inchaço e vermelhidão na pele.

Uso popular do eucalipto

Na forma de inalação, o eucalipto é muito utilizado para tratar problemas respiratórios como rinites, sinusites, bronquites, gripes, resfriados, congestão nasal, peito cheio e para expectorar catarro, não só no Brasil como em muitas partes do mundo.

Benefícios do eucalipto

Ação antimicrobiana

A análise de extratos do eucalipto, principalmente do Eucalyptus globulus, do Eucalyptus paniculata, do Eucalyptus grandis e do Eucalyptus citrodora, demonstrou que eles exercem ação contra muitos tipos de microrganismos, como o Staphylococcus (que causa problemas de pele, inflamações na garganta, etc.), a Salmonella e a Escherichia Coli (que causa infecções intestinais). Os extratos de eucalipto foram eficientes tratando laringites e infecções intestinais.

Tratamento da acne

Contra as bactérias causadoras da acne, foi testada uma pomada feita à base de óleo essencial do Eucalyptus globulus e de extrato de goiabeira, que teve excelente ação.

Ação antiviral

Os princípios ativos do Eucalyptus globulus inibem a reprodução do vírus HIV. O tratamento não deve ser contínuo, e sim pontual, pois o eucalipto pode causar problemas hepáticos.

O eucalipto foi testado e inibiu em até 75% o desenvolvimento do vírus do herpes.

Controle da diabetes

O Eucalyptus tereticornis, o Eucalyptus globulus e o Eucalyptus citriodora exercem excelente ação hipoglicemiante, controlando o índice glicêmico e auxiliando no tratamento da diabetes – principalmente a tipo 2. O Eucalyptus citriodora, por exemplo, em 4 horas reduziu em 24% a glicemia, e 61% em 21 dias, mas o uso contínuo dele não é recomendado, talvez outras plantas sejam uma melhor opção para o controle da glicemia.

Controle da asma alérgica

Anti-histamínicos evitam que o organismo produza histaminas, que agravam o processo alérgico. O Eucalyptus globulus inibe a produção de histaminas pelo organismo.

No controle da asma alérgica, da rinite alérgica e da bronquite alérgica, pode-se utilizar a inalação de eucalipto, que é um tratamento seguro.

Ação anti-inflamatória

O Eucalyptus benthamii é uma espécie normalmente cultivada no sul do Brasil, pois é melhor adaptada a climas frios. Em laboratório, cobaias foram induzidas a um estado inflamatório, e a aplicação dos extratos de Eucalyptus benthamii reverteu esse quadro.

As espécies Eucalyptus citriodora, Eucalyptus globulus e Eucalyptus tereticornis exercem eficiente ação analgésica e anti-inflamatória, excelente para cólicas, dores pós-operatórias, de cabeça e enxaquecas.

Para dor de cabeça e enxaqueca recomenda-se fazer inalação com eucalipto. Se utilizado topicamente (sobre a pele), o eucalipto exerce ação anti-inflamatória eficiente, e os princípios ativos dele são facilmente absorvidos pela pele.

Para problemas respiratórios, é possível fazer a pomada ou o óleo medicinal de eucalipto e passar sobre o peito, ou mesmo inalar os vapores, o que é muito eficiente para tratar bronquite e asma.

Ação vermífuga

O chá das folhas do Eucalyptus staigeriana elimina vermes intestinais no prazo de 14 dias de uso. Popularmente, o chá do eucalipto é utilizado como vermífugo. Outras espécies de eucalipto também podem ter ação vermífuga, mas não existem pesquisas que demonstrem isso.

Ação fungicida

A Candida albicans causa a candidíase – o sapinho nas crianças e o pano brancos na região genital feminina, causando dor, inchaço, coceira e incômodo. O desenvolvimento desse fungo é inibido com o uso do Eucaliptys globulus na forma de banhos de assento. Faça um chá forte com o eucalipto, coloque em uma bacia e faça o banho de assento por pelo menos 20 minutos, durante uma semana a 10 dias.

Para eliminar a Candida albicans, é possível misturar o eucalipto com a aroeira-vermelha, fazer um chá forte e banho de assento durante pelo menos 10 dias, 20 minutos ao dia.

PUBLICIDADE