Espinha interna

Aparecimento da acne

Cada vez mais pessoas reclamam de acne – popularmente chamada de espinha – e das manchas que dela ficam. Trata-se de uma doença, uma alteração na pele com uma pústula, e pode ter diferentes tipos e graus, pode ser comedoniana, que é o cravo, que pode se transformar em uma acne de grau 2, 3.

PUBLICIDADE


O processo inflamatório começa com uma pápula, que posteriormente fica amarelada e dolorida, porém, não exterioriza, não há a chamada pustulização.

Quando se inicia uma inflamação na pele, com uma bolinha vermelha, se tem uma pápula que, ao amadurecer, se torna uma pústula (que tem pus).

Acne interna

A acne interna deve ser tratada, não deve se tentar espremê-la. Se ela não fez um orifício externo por onde é possível removê-la, é necessário tirá-la de outra forma.

Antibióticos no tratamento da acne

A acne acontece porque o folículo foi tampado, assim, produz-se muito óleo, o organismo reage, as bactérias se multiplicam, e para eliminá-las o organismo forma um processo inflamatório.

PUBLICIDADE


A acne deve ser tratada com um médico. Ocasionalmente é necessário tomar medicação, nem sempre cremes resolvem. Podem ser utilizados antibióticos tópicos ou orais.

Esteticistas não podem receitar remédios – principalmente antibióticos –, somente médicos.

Acne e alimentação

Ocasionalmente a pessoa abusa de frituras e sente que seu corpo muda. O açúcar aumenta a insulina, entretanto, ainda que alguns estudos afirmem que a alimentação influencia na acne, outros não, assim, a pessoa deve ficar atenta às reações do seu corpo.

Artigo anteriorComo espremer espinha
Próximo artigoEspinhas na gravidez
CRM: 91128. Doutorado em Dermatologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (2009-2012). Mestrado em Dermatologia Clínica e Cirúrgica pela Universidade Federal de São Paulo (2001-2006). Residência médica em Dermatologia pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (1998-2001). Graduação em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (1992-1997). Pós-Doutorado em pesquisa em dermatologia pela Emory University School of Medicine, Atlanta, GA, EUA. Professor-assistente de dermatologia na Universidade de Mogi das Cruzes (2005-2006). Médico-assistente do Serviço de Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2006-2012). Médico chefe do Serviço de Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2012-2014). Coordenador do programa de residência médica em Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2019-2012). Coordenador de todos os programas de aperfeiçoamento/especialização médicos da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2011-2014).