Erva-de-bicho: benefícios e como usá-la

Erva-de-bicho: características

A erva-de-bicho (Polygonum hydropiperoides) é uma planta muito comum, que nasce facilmente em beiras de rios, córregos, lagos, lagoas, brejos e encharcados. Existem várias espécies dela pelo Brasil, mas talvez poucas pessoas utilizem ela efetivamente.

PUBLICIDADE


Em diferentes regiões, ela é conhecida por outros nomes populares, como cataia, pimenta do brejo, pimenta d’água, entre outros. Algumas plantas têm as espigas maiores, outras têm as folhas mais largas ou mais avermelhadas. Ela é encontrada com facilidade em lugares alagados.

Toxidade da erva-de-bicho

A erva-de-bicho não ataca o fígado, não causa dores de cabeça, vômitos, etc., pois não apresenta toxidade.

PUBLICIDADE
cursos sobre plantas medicinais cpt

Mulheres grávidas não devem consumir a erva-de-bicho pois, popularmente, é relatado um efeito abortivo dela.

Benefícios da erva-de-bicho

Ação anti-inflamatória e analgésica

Os princípios ativos da erva-de-bicho possuem uma atividade anti-inflamatória e analgésica, que já foi comprovada em ensaios. Por isso, essa planta é muito utilizada no tratamento de hemorroidas, um estado inflamatório da parede do intestino, reduzindo a dor na região das hemorroidas.

PUBLICIDADE


O nome “erva-de-bicho” é derivado de uma antiga crença popular de que as hemorroidas eram causadas por um bicho que entrava pelo esfíncter anal, causando a inflamação. Como ela reduzia a inflamação, ela combatia o “bicho da hemorroida”.

Sistema gastrointestinal

A erva-de-bicho atua no sistema gastrointestinal. Os taninos presentes nas folhas dela repelem vermes intestinais e combatem as diarreias.

Tratamento de doenças de pele

Em uso externo, como óleo medicinal ou tintura, a erva-de-bicho é conhecida por tratar doenças de pele, como eczemas, úlceras varicosas e erisipelas, fazendo lavagens, banhos e compressas. Popularmente, ela também é conhecida como cicatrizante de feridas.

Circulação sanguínea

A erva-de-bicho não age sobre a pressão arterial, mas estimula a circulação sanguínea, inclusive combatendo as varizes. Em pessoas que têm propensão a ter varizes ou fazem atividades que forçam as pernas, ela pode evitar o surgimento ou ajudar a reduzir os efeitos das varizes, evitando que o problema piore com o tempo. Ela não vai remover as varizes que já existem.

Ação anti-hemorrágica

Uma pesquisa feita em cobaias não-humanas demonstrou que ela tem um efeito anti-hemorrágico. Foram induzidas hemorragias nos pulmões de ratos, e ela combateu essas hemorragias.

Ação fungicida e bactericida

A erva-de-bicho tem consagrada atividade combatendo fungos, como a candidíase – tanto o “sapinho”, que ataca a boca das crianças, quanto a candidíase genital, que ataca a região vaginal – e outros fungos que atacam o corpo, como pé-de-atleta e impinges.

Ela é bactericida, e a lavagem de feridas que estão contaminadas, inflamadas ou infeccionadas com a erva-de-bicho pode ajudar a eliminar as bactérias e os fungos.

PUBLICIDADE