Emagrecimento e flacidez

Flacidez e emagrecimento

Se a pessoa passa por efeitos sanfonas o tempo inteiro, ela propicia a flacidez. Isso porque a pele é um órgão elástico, o que é benéfico, pois se as pessoas engordassem e a pele não acompanhasse isso, ela iria romper em determinado momento.

PUBLICIDADE


A pele consegue se esticar e aumentar e tamanho para acompanhar o crescimento das células de gordura. Quando a pessoa engorda, as células de gordura vão enchendo e aumentam de tamanho, a extensão do tecido adiposo aumenta. É por isso que algumas pessoas acabam tendo estrias.

Quando a pessoa perde peso, as células adiposas vão diminuindo de tamanho, mas a pele não. Uma vez que a pele é expandida, ela não vai retrair. Não existe alimentação para retrair pele ou forma de utilizar a pele como fonte de energia, como a gordura é utilizada. Quando a pele é esticada, ela volta e gera a flacidez.

A depender da quantidade de pele que se esticou e que vai se retrair, a pessoa pode ter uma melhor estética se ganhar massa muscular. Ou seja, se a pessoa aumentar um pouco a quantidade de músculo no abdome, por exemplo, vai ter um efeito visual um pouco melhor do que se apenas emagrecer, pois conseguirá preencher um pouco a cavidade abdominal com o músculo.

Porém, se a pessoa perdeu 20, 30, 40kg, irá ficar com a pele flácida.

PUBLICIDADE


Às vezes as pessoas ficam tristes e desmotivadas porque têm uma pele e uma flacidez sobrando, mas é possível enxergar isso de maneira positiva: poucas pessoas são capazes de atingir o objetivo de perder o peso que precisavam, então a pele flácida é uma marca da vitória de quem alcançou a perda de peso que desejava.

Se a flacidez incomodar demais, a pessoa pode optar por uma cirurgia plástica para remover aquele excesso de pele. Isso irá deixar uma cicatriz, mas que em geral incomoda bem menos do que o excesso de pele.