Diferenças entre botox e ácido hialurônico

Botox e ácido hialurônico: diferenças

A aplicação da toxina botulínica e o preenchimento com ácido hialurônico são os procedimentos estéticos que mais se praticam, mas há diferenças entre eles.

PUBLICIDADE


Tempo dos procedimentos

Ambos realizados em consultório, normalmente duram de quinze a trinta minutos e a pessoa pode voltar às atividades normais em seguida.

Utilizações do Botox

O Botox age principalmente na prevenção de rugas na testa, entre as sobrancelhas e nos pés de galinha, mas também se pode usar para corrigir o sorriso gengival, as rugas do pescoço e a hiper-hidrose, excesso de suor nas axilas, mãos e nos pés.

Duração do efeito da toxina botulínica

Depois de aplicada, a toxina botulínica leva de cinco a sete dias para começar a surtir efeito, que dura em média seis meses, mas varia de acordo com os hábitos.

Tratamento preventivo

O ideal é utilizar essa toxina antes que as rugas se evidenciem muito, a ponto de marcar a pele. Há pessoas com pouco mais de vinte anos que já ostentam muitas rugas, por isso não há idade ideal para o tratamento.

PUBLICIDADE


Ácido hialurônico

O ácido hialurônico, substância presente no organismo, mas também sintetizada em laboratório, assume algumas formas, de acordo com a região tratada: uma fina, uma média e uma mais espessa. O resultado, mais rápido do que o propiciado pela toxina botulínica, constata-se logo após o procedimento, cujo efeito dura, em média, um ano.

Aplicações

Comumente se usa ácido hialurônico para preencher olheiras e o famoso bigode chinês, além de para aumentar os lábios e a região malar e melhorar o contorno facial, ampliando a angulação da mandíbula ou do queixo.

Qualidade dos procedimentos

Ambos os procedimentos rejuvenescem e, se feitos de forma adequada e sem exagero, suavizam o olhar e a face e conferem aspecto natural, sem deixar evidente a aplicação.

Acido hialurônico e envelhecimento

À medida que envelhecemos, produzimos menos ácido hialurônico, logo, quanto mais idoso o indivíduo, menor será a concentração desse composto no organismo dele.

Artigo anteriorBotox e preenchimento
Próximo artigoPMMA
CRM: 91128. Doutorado em Dermatologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (2009-2012). Mestrado em Dermatologia Clínica e Cirúrgica pela Universidade Federal de São Paulo (2001-2006). Residência médica em Dermatologia pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (1998-2001). Graduação em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (1992-1997). Pós-Doutorado em pesquisa em dermatologia pela Emory University School of Medicine, Atlanta, GA, EUA. Professor-assistente de dermatologia na Universidade de Mogi das Cruzes (2005-2006). Médico-assistente do Serviço de Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2006-2012). Médico chefe do Serviço de Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2012-2014). Coordenador do programa de residência médica em Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2019-2012). Coordenador de todos os programas de aperfeiçoamento/especialização médicos da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2011-2014).