Cuzcuz engorda ou emagrece?

Cuscuz engorda?

O cuscuz tradicional, também chamado de “cuscuz marroquino”, vem do oriente médio. Ele é feito com uma massa de semolina, que é uma forma de trigo. O cuscuz pode ser servido como acompanhamento, pode ser resfriado e usado na salada, ou mesmo ser usado para fazer sobremesas.

PUBLICIDADE


É um alimento versátil, que inclusive pode ser usado como substituto do arroz do dia-a-dia ou da quinoa. No Brasil, o cuscuz também pode ser feito com farinha, polvilho, arroz mandioca. Existem várias receitas diferentes de cuscuz.

O cuscuz marroquino tradicional tem cerca de 180 calorias, um valor menor comparado às 220 calorias de um arroz integral (esses valores são referentes a uma xícara do alimento cozido). Ou seja, o cuscuz é ligeiramente menos calórico, porém tem 6g de proteína, um pouco mais que o arroz integral, que tem 5g.

Entretanto, o arroz integral é um pouco superior em qualidade nutricional, pois oferece mais vitaminas e minerais (magnésio, ferro, vitaminas do complexo B, etc.).

Em termos gerais, o cuscuz e o arroz integral são muito parecidos. Da mesma forma que o arroz, o que vai fazer o cuscuz se tornar mais interessante e nutritivo é o que a pessoa acrescenta nele.

PUBLICIDADE


A pessoa pode preparar o cuscuz cozido em água em sal, no vapor, puro, mas não é muito comum. Normalmente, as pessoas acrescentam algumas coisas ao cuscuz, como passas, damasco, nozes, etc. No cuscuz de mandioca, algumas pessoas acrescentam ervilha, milho, ovo cozido, carnes, etc. Dependendo do que a pessoa adiciona ou não, ela vai deixar o cuscuz mais saudável e menos calórico e engordativo.

Algumas pessoas pensam que o cuscuz engorda muito e é muito pesado, mas, em comparação, o arroz ou o macarrão, que as pessoas comem no dia-a-dia, têm mais ou menos a mesma quantidade de carboidratos, se não tiverem mais, com menos fibra e menos proteína. Portanto, o cuscuz acaba sendo uma opção mais interessante para adicionar no dia-a-dia.

Apesar de ter bastante fibra, o cuscuz tem bastante carboidrato e um índice glicêmico alto. O índice glicêmico é a velocidade de absorção do carboidrato que está no alimento.

O cuscuz marroquino é, dentre as opções de cuscuz, a melhor opção. Ele acaba tendo mais proteínas que os outros, é saboroso e podem ser feitas várias receitas bem nutritivas com ele. Também é uma opção melhor do que comer arroz branco, macarrão, batata cozida, batata frita, etc.

Controle do índice glicêmico do cuscuz

Quanto mais alto é o índice glicêmico, mais rápido o carboidrato é absorvido e mais rápido ele altera a glicemia (o açúcar que circula no sangue). Por isso, a pessoa acaba sobrecarregando o organismo para secretar muita insulina e compensar essa alteração. Dessa forma, o excesso de carboidrato vai parar na célula de gordura, fazendo a pessoa engordar.

Quando o carboidrato tem um índice glicêmico alto, ou até mesmo médio, sempre é interessante pensar em alguma forma para abaixar esse índice glicêmico, para lentificar essa absorção e ter menos impacto na secreção de insulina.

Uma dica é sempre adicionar proteína a um carboidrato para conseguir abaixar um pouco o índice glicêmico e lentificar a absorção desse carboidrato, impactando menos na secreção de insulina e no acúmulo de gordura.

Receita de cuscuz

Pegue um pouco de frango e refogue com os temperos que quiser (alho, cebola, salsinha, tomate, etc.), e deixe ele com bastante caldo. Cozinhe o cuscuz nesse frango.

Dessa forma, a pessoa consegue ter a proteína e o carboidrato, além das fibras e da própria proteína já presente no cuscuz, melhorando o índice glicêmico e a absorção do carboidrato e deixando o cuscuz mais nutritivo. Deve-se evitar adicionar mais carboidrato, como ervilha, milho, passas e damasco.

Alguns tipos de hortaliças, como brócolis e couve-flor, são uma boa opção para enriquecer mais a receita sem aumentar tanto os carboidratos.