Cuidados com os cabelos

Atualizado em:

PUBLICIDADE


Pílula no anticoncepcional acelera o crescimento do cabelo

Adicionar pílula anticoncepcional no shampoo não acelera o crescimento dos fios, isso é apenas uma crendice.

Corte de cabelo

Cortar os cabelos não interfere na queda deles, só elimina a haste.

Uso de shampoo anti-resíduo

Não se deve utilizar shampoo anti-resíduo com frequência, pois isso resseca demais os fios. O uso contínuo de um mesmo shampoo pode deixar resíduos no fio. Dermatologistas indicam que se use shampoo anti-resíduo uma vez a cada duas semanas.

Uso de óleos naturais no couro cabeludo

Se a pessoa tem cabelo oleoso, não deve usar óleos 100% naturais no couro cabeludo, porém, se ela tem o cabelo extremamente seco, pode fazer isso.

PUBLICIDADE


Fatores que levam a queda de cabelo

Fatores como estresse, dietas não adequadas e tratamentos químicos capilares em excesso podem danificar o pelo ou acelerar o ciclo capilar, favorecendo a queda.

Pós-parto, traumas físicos ou emocionais (como a sensação de perda quando a pessoa é demitida ou se separa do cônjuge), também aceleram o ciclo de vida do pelo.

Depois do parto, até 3 ou 4 meses, é normal ter um aumento da queda capilar, que geralmente é fisiológica.

O anticoncepcional pode alterar o ciclo do pelo e fazê-lo cair, assim como várias medicações.

Eflúvio telógeno

A causa mais comum de queda de cabelo é o eflúvio telógeno. É necessário investigar possíveis motivos para ele: se a pessoa se alimenta bem, dorme bem, está estressada, toma algum remédio ou teve alguma infecção recente.

Uso de shampoo perolado e condicionador

Muitas mulheres adoram shampoo perolado, pois ele hidrata mais, e também porque algumas fazem com frequência tratamentos químicos, por exemplo, mudam a cor do cabelo. O ideal é usar esse shampoo na haste capilar, não no couro cabeludo, para este aconselha-se shampoos neutros, e depois deve-se lavar bem o couro cabeludo para retirar os resíduos, sem usar as unhas.

Para quem tem cabelos oleosos, é importante usar condicionador, porém, não se deve passá-lo no couro cabeludo, apenas uma pequena quantidade na franja e remover o excesso dele.

Óleo de coco para hidratar cabelo

O óleo vegetal de coco é um bom hidrante capilar, como também é o óleo de murumuru e a manteiga de karité. Porém, qualquer hidratante oleoso ou óleo essencial não deve ser usado diretamente no couro cabeludo, deve-se pingar de duas a quatro gotas dele no final da haste capilar (na extremidade mais distante do couro cabeludo).

Se o cabelo for curto, esses produtos devem ser usados a pelo menos 2cm de distância do couro cabeludo, que já tem uma oleosidade natural, e quando acrescenta-se mais óleo, pode gerar coceira, descamação, irritação e alergia.

Receita de hidratação natural para cabelo

Pegue a polpa de um coco verde e bata no liquidificador durante um minuto com a própria água do coco. Aplique a mistura resultante na superfície dos fios e deixe agir por quatro minutos, depois enxague com água abundante.

Se o cabelo for crespo, aconselha-se fazer isso duas vezes por semana, se ondulado, uma vez por semana, e se bastante liso, uma vez a cada dez ou doze dias. Dessa forma a hidratação será natural, adequada e de baixo custo.

Outra dica é passar óleo de argan nas pontas dos cabelos antes de dormir, e no dia seguinte lavá-los. Procure a solução que melhor lhe convir em termos de facilidade de obtenção e de preço (o coco geralmente é mais barato).

Alimentação

Uma alimentação balanceada, rica em frutas, verduras, legumes e proteínas, é importante para a saúde capilar.

Artigo anteriorCortar o cabelo faz ele crescer mais rápido?
Próximo artigoDermapen capilar
CRM: 91128. Doutorado em Dermatologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (2009-2012). Mestrado em Dermatologia Clínica e Cirúrgica pela Universidade Federal de São Paulo (2001-2006). Residência médica em Dermatologia pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (1998-2001). Graduação em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (1992-1997). Pós-Doutorado em pesquisa em dermatologia pela Emory University School of Medicine, Atlanta, GA, EUA. Professor-assistente de dermatologia na Universidade de Mogi das Cruzes (2005-2006). Médico-assistente do Serviço de Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2006-2012). Médico chefe do Serviço de Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2012-2014). Coordenador do programa de residência médica em Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2019-2012). Coordenador de todos os programas de aperfeiçoamento/especialização médicos da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2011-2014).