Creme para varizes

Cremes para varizes funcionam?

Não existem milagres para o tratamento de vasos e varizes. Cremes que prometem acabar com a doença na verdade só aliviam o desconforto causado por ela – isto quando aplicados com massagem.

PUBLICIDADE


Os cremes têm compostos que refrescam a pele, como castanha-da-Índia, mentol e cânfora. Já a massagem, como a drenagem linfática, alivia o desconforto.

A maioria dos cremes indica, no rótulo, fazer massagem no sentido ascendente, três a quatro vezes ao dia. Da mesma forma, a pessoa pode usar um óleo de banho ou um sabonete durante o banho, quando a pele fica escorregadia, para fazer massagens de 5 a 10 minutos nas pernas, três a quatro vezes por dia.

Os vasos sanguíneos esvaziam quando, sobre eles, se aplica pressão. Assim, a pessoa passa o creme, os vasos diminuem naquele momento e dão a falsa sensação de que os cremes evitam as varizes – eles podem ajudar, desde que o objetivo seja melhorar a circulação sanguínea.

De modo geral, cremes que as pessoas usam no dia a dia já têm esse efeito. Se alguma área do corpo ficou arroxeada, pode-se utilizar um creme para acelerar a melhora dela. Na dúvida, busque orientação médica.

PUBLICIDADE


Em quem tem flebite – inflamação de uma veia superficial – se forma um caroço avermelhado que causa irritação da pele. Como os cremes para otimizar a circulação costumam ter heparina e outras substâncias que ajudam a desfazer coágulos, eles podem ser utilizados nesse momento.

Artigo anteriorComo surgem as varizes
Próximo artigoEscleroterapia
CRM: 89006. Doutor na área de ciência em gastroenterologia pela Universidade de São Paulo (USP). Residência médica na Socidade Portuguesa de Beneficência de São José do Rio Preto (1997). Residência médica no Hospital e Maternidade Modelo Tamandaré (1999-2001). Titulo de especialista em Angiologia e Cirurgia vascular (2002). Título de especialista em Clínica Medica com capacitação em Medicina de Urgência pela Sociedade Brasileira de Clínica Médica (2002). Graduação em Medicina pela Universidade Estadual de Londrina (1996). Assistente colaborador da Sociedade Portuguesa de Beneficência de São José do Rio Preto (1997-1997). Perito médico da Receita Federal do Brasil (2008-2009).