Couve: propriedades nutricionais e benefícios

Atualizado em:

PUBLICIDADE


Couve: características

A couve (Brassica oleracea) não é uma planta brasileira, ela vem de várias regiões do mundo. Com esse nome, existe a couve comum, o repolho, a couve-flor, o brócolis, a couve de Bruxelas e outras – são variedades da mesma espécie adaptadas a condições climáticas e ambientais diferentes, cada uma tem nome específico dentro dessas variações.

couve-beneficios
Couve (Brassica oleracea).

Existem muitos tipos de couve, como a couve-roxa, a couve-manteiga e a couve-mesclada. A variedade acephala da Brassica oleracea não tem cabeça, como o repolho.

PUBLICIDADE
cursos sobre plantas medicinais cpt

Essa planta faz parte da culinária e da cultura brasileira, e é muito consumida no país inteiro. É de fácil acesso, encontrada em supermercados e quintais.

A couve pode ser consumida na forma de salada, refogada, de suco (como no suco verde ou no suco detox). Ela é altamente nutritiva, com uma elevada quantidade de minerais essenciais e incríveis propriedades medicinais.

PUBLICIDADE


couve-refogada
Couve refogada.

Propriedades nutricionais da couve

Nutricionalmente, a couve tem grandes quantidades de cálcio, magnésio e potássio. Em 100g dela há boa parte dos nutrientes necessários para a ingesta diária. Além disso, ela é rica em carboidratos de absorção lenta, o que é melhor para o organismo.

Ela é rica em vitaminas A, B, C e K, e o consumo de pelo menos 100g de couve por dia, seja na forma que for, é muito indicado para crianças e adultos.

Benefícios da couve

Tratamento da osteoporose

Por conta da alta concentração de vitamina A e K, ela auxilia no tratamento da osteoporose (muito comum em idosos e na menopausa), a perda de cálcio nos ossos que causa porosidade deles, facilitando que se quebrem.

Proteção estomacal

Como protetora estomacal, a couve foi testada em Santa Catarina, e no Paquistão, e verificou-se que ela estimula a produção do muco que protege a parede estomacal para que ela não seja lesionada pelo suco gástrico. Na gastrite ocorre uma fenda nesse muco e o suco gástrico causa feridas na parede do estômago, o que pode gerar úlcera e problemas posteriores.

O consumo da couve protege a parede estomacal, produzindo maior quantidade de muco, reduzindo a acidez estomacal (ideal para quem tem hipercloridria, excesso de produção de ácido clorídrico do estômago) e facilitando a digestão.

Uma pesquisa realizada no Brasil demonstrou que a couve exerce ação idêntica à do omeprazol no controle do refluxo, auxiliando no tratamento de úlceras e gastrites. Quem sofre de refluxo, gastrite, úlcera ou qualquer outro problema estomacal deve tomar suco de couve para obter uma melhora significativa na saúde do aparelho digestivo.

Controle da glicemia

No Japão, a couve foi testada como auxiliar no tratamento da diabetes. O suco de couve exerce ação hipoglicemiante – ou seja, reduz levemente as taxas glicêmicas –, o que é interessante para quem tem diabetes tipo 2, principalmente em fase inicial.

Controle da pressão arterial

A couve é excelente para tratar a hipertensão arterial (pressão alta). Ela foi testada, e verificou-se que, no tratamento de hipertensos consumindo couve diariamente durante 28 dias, a pressão arterial foi controlada com maior facilidade. Além disso, nesses pacientes, também foram controlados os níveis de açúcar e de colesterol.

Controle do colesterol

A couve também foi testada no controle da arteriosclerose, e demonstrou-se que ela reduz significativamente as taxas de colesterol LDL (leve), considerado ruim para o organismo. Quando se consome couve diariamente, o colesterol reduz, o que previne doenças cardiovasculares, como a arteriosclerose.

Proteção do DNA

A couve exerce ação protetora sobre o DNA (o material genético), quando ele sofre algum tipo de mutação, pode haver vários problemas, como o câncer, que é uma variação do DNA celular, que começa a ter um comportamento diferente do habitual.

Mesmo quando as células das cobaias foram induzidas por ação química para ter câncer, o índice das mutações foi muito menor com o consumo de couve.

Consumir couve diariamente é uma ação preventiva de vários tipos de câncer.

Ação antioxidante

Por conta da concentração de betacaroteno e de vitamina C, a couve exerce ação antioxidante, ou seja, combate radicais livres – substâncias que levam à oxidação das células, o que contribui para o envelhecimento e piora o quadro de doenças degenerativas e de doenças inflamatórias.

Tratamento do câncer colorretal

Uma pesquisa realizada pela Inglaterra e a Noruega demonstrou que o uso do suco de couve, ou o consumo diário de couve de modo geral, exerce excelente ação antiproliferativa sobre células de câncer colorretal, fazendo com que elas não se multipliquem com tanta velocidade – ou seja, dificultando o desenvolvimento do câncer. A couve pode auxiliar os tratamentos para esse tipo de câncer.

Tratamento medicinal com plantas de fácil acesso

Para fazer um tratamento com um vegetal comum como a couve, é necessário consumir pelo menos 100g diárias dele até que o problema tenha sido solucionado. É possível conseguir excelentes resultados, não somente com a couve, mas com muitas outras plantas do dia a dia, como beterraba, laranja, limão, abacaxi, etc.

PUBLICIDADE