Couve-cravinha: benefícios e como usá-la

Couve-cravinha: características

A couve-cravinha (Porophyllum ruderale), também chamada de “arnica do mato”, “arnica de caboclo”, “arnica de São Paulo”, “couvinha” ou “couve-de-veado”, é uma planta de folhas pequenas, meio azuladas, parecidas com as da couve, e que dá inflorescências (capítulos) parecidas com o cravo (por isso “couve-cravinha”)

PUBLICIDADE


A couve-cravinha só deve ser utilizada topicamente, sobre a pele, ou como bochechos, mas nunca internamente, pois pode ter alguma característica tóxica. Mesmo que ela tenha atividades internas significativas para o organismo, o fato dela poder causar algum tipo de intoxicação descarta o seu uso interno.

A couve-cravinha tem usos parecidos com os da arnica. A arnica verdadeira, que é europeia, é chamada de Arnica montana. No Brasil, existem outras espécies de arnica, como a arnica brasileira (Solidago chilensis).

PUBLICIDADE
cursos sobre plantas medicinais cpt

Benefícios da couve-cravinha

Ação anti-inflamatória e analgésica

A couve-cravinha age como anti-inflamatório local e analgésico e pode auxiliar em casos de contusões, batidas, dores reumáticas, dores musculares, dores musculares, traumatismos e luxações.

Ação antisséptica e cicatrizante

Como antisséptico, ela combate vários tipos de bactérias e fungos, e o chá forte da couve-cravinha pode ser utilizada para lavar feridas que estão infeccionadas e formando pus.

PUBLICIDADE


Além de higienizar as feridas, ela também auxilia no processo de cicatrização.

A couve-cravinha é uma planta comum e ruderal – ou seja, é encontrada em qualquer lugar, como jardins, beiras de calçada e canteiros. Ela tem um aroma de arnica.

PUBLICIDADE