Correção das sobrancelhas

Atualizado em:

PUBLICIDADE


Sobrancelhas: correção

Não se deve retirar as sobrancelhas de qualquer jeito, pois elas têm uma característica especial: uma vez retiradas, podem não voltar a crescer. Se a pessoa retirar demais e se arrepender, a correção é mais complicada.

hairloss-blocker-recupera-88-cabelo

A maioria dos pacientes que faz transplante de sobrancelhas as perderam porque retiraram-nas em excesso até não terem mais pelos em boa parte delas.

Remédios para Queda de Cabelo: Ranking do Consumidor

 PRODUTONOTA MÉDIAVOTOSREVIEW
#1HairLoss Blocker8,91/10581btn-saiba-mais
#2Minoxidil7,74/101023btn-saiba-mais
#3Finasterida7,25/101084btn-saiba-mais

Há relatos de pacientes que retiraram a sobrancelha inteira e substituíram por maquiagem. Os pelos conferem naturalidade à sobrancelha e a ausência deles chama a atenção.

A maioria dos pacientes, desconhecendo a técnica cirúrgica de correção (o transplante de sobrancelhas), acaba buscando primeiro a tatuagem, que juntamente às correções por lápis, tintura e sombra, muitas vezes conferem um aspecto artificial: primeiro devido à ausência de pelos, e também pela cor, que nunca fica perfeita.

PUBLICIDADE


Deve-se procurar manter o desenho original das sobrancelhas, quem as tem intactas não deve mexer nelas, e deve retirar, no máximo, os pelos entre elas e os das pálpebras.

A sobrancelha deve terminar numa linha que une o canto do nariz e o do olho, e deve ser simétrica em relação à linha média da face. Qualquer retirada assimétrica ou excessiva chama a atenção, pois altera a harmonia facial.

O transplante de sobrancelhas devolve um resultado completamente natural nos pelos da região.

Artigo anteriorCirurgia para calvície
Próximo artigoDiferença entre implante e transplante capilar
CRM: 130475. Graduação em Medicina pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (2008). Residência médica em cirurgia plástica pelo Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas (2014-2017). Residência médica em cirurgia geral pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (2008-2010). Pós-graduação em reconstrução mamária pelo Hospital Pérola Byington (2017-2018). Pós-graduação em dermatocosmiatria pela faculdade de Medicina do ABC Paulista FMABC (2017-2018). Especialização em Oxigenoterapia Hiperárica pela Sociedade Brasileira de Medicina Hiperbárica (2016).