Como usar minoxidil

Atualizado em:

PUBLICIDADE


Minoxidil: em que áreas ele atua?

O minoxidil se popularizou quando nos Estados Unidos foi lançada a loção capilar com minoxidil 5% indicada para homens, cuja bula afirma que serve para tratar a região da coroa capilar, porém, na verdade, ele também serve para as entradas do couro cabeludo – na maioria dos homens a calvície se inicia pelo recesso temporal. Quando do registro da medicação, que se nos Estados Unidos demanda aprovação do FDA (Food and Drug Administration), se define uma área em que age o medicamento, e na época se escolheu a coroa porque nela era mais fácil se realizar a contagem dos fios.

hairloss-blocker-recupera-88-cabelo

Trata-se de um produto seguro, que age somente nas regiões em que o folículo piloso está vivo, não nas que ele morreu.

Remédios para Queda de Cabelo: Ranking do Consumidor

 PRODUTONOTA MÉDIAVOTOSREVIEW
#1HairLoss Blocker8,91/10581btn-saiba-mais
#2Minoxidil7,74/101023btn-saiba-mais
#3Finasterida7,25/101084btn-saiba-mais

Para tratar entradas enormes, que se juntam com a coroa capilar, o minoxidil não funciona, e será necessário recorrer a cirurgia de transplante capilar, mas para jovens em que as entradas estão começando a aumentar e que pelos mais finos podem ser notados na região, pode-se utilizar uma loção capilar indicada por um tricologista.

Alguns reclamam de caspa ao utilizar Minoxidil por algum tempo. Loções hidroalcóolicas têm um composto orgânico chamado propilenoglicol, que pode irritar o couro cabeludo e causar leve dermatite, o que faz com que o organismo descame a pele da região e isso muitas vezes é confundido com caspa, que não é provocada pelo Minoxidil.

PUBLICIDADE


Muitas vezes quando o Minoxidil é utilizado de maneira exagerada sobre os fios, depois dele secar também provoca a sensação de caspa.

O Minoxidil não deve ser aplicado nos fios e sim no couro cabeludo, é ele que deve absorver o produto, já a haste capilar (o fio) é um tecido morto, não há necessidade de medicação para ela. Por isso, está errado pensar que quanto mais do produto se passar e mais molhado ficar a área, melhores serão os resultados que ele trará. Use-o moderamente, certificando-se que a pele da região ficou umedecida.

Devo interromper o uso do Minoxidil no verão?

Quem tem calvície, seja homem ou mulher, nunca deve interromper o tratamento da doença, que não tem cura, mas tem controle. Há fases do ano em que o cabelo cai menos, mas ainda assim deve-se manter o tratamento, cujo bom resultado depende de manutenção adequada. Assim, mesmo no verão, não interrompa o uso de Minoxidil.

Quantas vezes por dia utilizar o Minoxidil?

O Minoxidil inicialmente tinha posologia de duas vezes ao dia, porém, a cosmética dele não é muito agradável, e há reclamações do aspecto estético que ele confere ao cabelo, já que é um produto oleoso.

Depois de vários testes, se comprovou que a meia-vida do Minoxidil 5% é de 22h, assim, ele deve ser usado somente uma vez ao dia, por exemplo, antes de dormir – dê o intervalo de pelo menos 1 hora para o Minoxidil secar –, para no dia seguinte lavar os cabelos e remover o produto.

Não é ideal passar o Minoxidil com o cabelo molhado e em seguida deitar na cama, pois o líquido é absorvido pelo tecido do travesseiro, que estimulará o aumento da pilificação nas partes do corpo em que tiver contato.

Artigo anteriorCalvície
Próximo artigoFinasterida e câncer
CRM: 91128. Doutorado em Dermatologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (2009-2012). Mestrado em Dermatologia Clínica e Cirúrgica pela Universidade Federal de São Paulo (2001-2006). Residência médica em Dermatologia pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (1998-2001). Graduação em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (1992-1997). Pós-Doutorado em pesquisa em dermatologia pela Emory University School of Medicine, Atlanta, GA, EUA. Professor-assistente de dermatologia na Universidade de Mogi das Cruzes (2005-2006). Médico-assistente do Serviço de Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2006-2012). Médico chefe do Serviço de Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2012-2014). Coordenador do programa de residência médica em Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2019-2012). Coordenador de todos os programas de aperfeiçoamento/especialização médicos da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2011-2014).