Como sair do efeito plato

Dicas para não estagnar no peso

Muitas pessoas, após algumas semanas ou meses de começarem uma dieta e um treinamento, chegam a um efeito platô, ou seja, não evoluem nem regridem, mesmo sendo disciplinadas.

PUBLICIDADE


Algumas dicas podem ser colocadas em prática para que a pessoa saia do efeito platô e continue emagrecendo.

Dietas restritivas

Uma coisa que as pessoas fazem errado é começar o processo de emagrecimento com uma dieta muito restrita. O ideal é ter sempre uma ou duas refeições livres por semana. Se a pessoa começa uma dieta muito restrita desde o começo, o corpo tem um resultado rápido, mas logo para normalmente. Essa é uma resposta de sobrevivência, pois o corpo não quer passar por muitas privações e envia sinais ao sistema nervoso de que está passando fome e precisando de nutrientes.

A pessoa deve fazer uma reeducação alimentar, excluindo os alimentos aos poucos. Mesmo que a pessoa já tenha uma dieta regrada, deve separar uma ou duas refeições na semana para estimular o metabolismo para que ele continue respondendo.

Mudança dos estímulos

A pessoa deve mudar os estímulos periodicamente. Da mesma forma que a pessoa não pode ficar com o mesmo treinamento por 2, 3, 4 ou 5 meses, a pessoa não pode seguir sempre a mesma dieta e achar que irá continuar emagrecendo.

PUBLICIDADE


Os nutricionistas podem avaliar a evolução da pessoa e verificar o que será necessário mudar. Geralmente, uma fase 1 deve ser feita por 2 meses, ou no máximo 3 se a pessoa estiver indo bem. Dali, é importante refazer a avaliação física, tirar fotos novas do corpo para medir a evolução e verificar como está o intestino, como está o metabolismo, se a pessoa está se sentindo bem ou não, se já enjoou da dieta, se já se adaptou, etc. São perguntas que os nutricionistas fazem aos pacientes para saber o que é necessário mudar para que a pessoa volte a evoluir.

Somente mudando algumas coisas, a pessoa já consegue mostrar para o corpo que tem alguma coisa diferente, e ele irá responder àquele estímulo novo.

É correto mudar treino e dieta a cada 2 ou no máximo 3 meses.

Cuidados com o catabolismo

Muitas pessoas que querem emagrecer exageram nos exercícios aeróbicos. Uma dica é fazer menos aeróbicos e fazer mais musculação e treinos intervalados de alta intensidade (HIIT).

Fazendo aeróbicos por 1 hora, ou por 1 hora de manhã e 1 hora a tarde, a pessoa irá emagrecer. Porém, irá catabolizar demais. O problema é quando a pessoa perde massa magra, pois ela desacelera todo o metabolismo e, dali a um tempo, começa a ter dificuldade para emagrecer. O músculo consome muitas calorias e energia do corpo. Às vezes as coisas que a pessoa come vão para o músculo, e se a pessoa está perdendo músculo, não conseguirá emagrecer mais. Quanto mais massa magra no corpo, mais o emagrecimento é potencializado com o passar dos meses.

Com o aumento dos músculos, o metabolismo é acelerado e queima mais calorias enquanto a pessoa está dormindo. Assim, a pessoa não entra no efeito platô.

Ciclo de carboidratos

O ciclo de carboidratos consiste em “enganar” o metabolismo, intercalando dias com mais carboidratos, menos carboidratos e até um dia ou outro sem carboidratos. Isso faz com que o metabolismo se confunda e nunca saiba exatamente o que está por vir. Essa imprevisibilidade faz com que ele funcione melhor e a pessoa consiga emagrecer melhor.

O ciclo de carboidratos às vezes é até melhor do que cortar os carboidratos de uma só vez.

Alimentos termogênicos

A pessoa deve incluir alimentos termogênicos na dieta. Eles ajudam muito a acelerar o metabolismo e aumentar o calor do corpo, ocasionando uma queima de gordura mais fácil.

Alguns alimentos recomendados são pimenta, mostarda, gengibre, canela e uma dieta rica em proteínas. Deve-se incluir uma pequena porção de proteína em cada uma das refeições ao longo de todo o dia, até mesmo nos lanchinhos. A pessoa não deve comer somente uma fruta, somente uma barrinha de cereais ou somente um mingau de aveia, pois eles não têm muita proteína.

O ideal é incluir uma proteína em cada uma das refeições, para que o corpo fique sempre funcionando mais rápido e para que a pessoa não sofra catabolismo.