Clareamento dental

Importância da estética do sorriso

No mundo moderno, dentes brancos, bem-contornados e alinhados estabelecem um padrão de beleza. Assim, o clareamento dental virou moda para quem deseja ter sorriso dominador.

PUBLICIDADE


Tipos de clareamento dental

No mercado, há dois tipos de clareamento dental: o caseiro e o feito em consultório, ambos executados por indicação de um profissional.

Pelo primeiro, o paciente usa uma moldeira com um tipo de ácido, cuja concentração é menor do que a aplicada em consultório para não lesionar os tecidos moles, como gengiva, lábio e bochecha. Pelo segundo, com resultados mais rápidos, protegem-se previamente esses tecidos, pelo afastamento da bochecha.

Também se pode lançar mão da técnica combinada, em que a pessoa faz o clareamento em casa e comparece semanalmente ao consultório. Se a manutenção for adequada, o efeito poderá durar muitos anos.

Causas do escurecimento dos dentes

As razões pelas quais os dentes escurecem ou amarelam são várias e podem ser externas e internas. No primeiro caso, é mais fácil clareá-los.

PUBLICIDADE


Com o tempo, o dente vai sofrendo escurecimento fisiológico, além do causado por alguns hábitos, como fumar. Alguns medicamentos também podem acarretar esse efeito, como, por exemplo, a tetraciclina, que, ministrada durante a formação da dentição permanente, os manchará.

Avaliação do dentista

O dentista é responsável por determinar se os dentes precisam de clareamento, mas, muitas vezes, a limpeza profissional é suficiente para remover certas nódoas. Ele recomenda idade mínima de dezesseis anos para quem deseja se submeter a isso, porque é a partir de então que se define o esmalte do dente.

A avaliação desse profissional vai detectar se o procedimento pode ou não realizar-se, já que existem algumas restrições. Restaurações dentárias, por exemplo, não clarearão, logo deverão ser trocadas. Se tiver coroa numa unidade anterior, ou seja, num dos dentes da frente, o paciente deverá saber que ela também não clareará.

Número de sessões do clareamento dental feito no consultório

O número de aplicações varia de uma pessoa para outra, mas geralmente o tratamento abrange em três sessões.

Aumento da sensibilidade dos dentes após o clareamento

O grande “vilão” do clareamento é o aumento da sensibilidade dental, que, mesmo reduzido, ainda pode afetar pacientes, mas isso difere de indivíduo para indivíduo.

Algumas opções para diminuir essa suscetibilidade é alternar os dias de uso do produto, além de aplicar flúor e laser terapêutico.

Cuidados após o clareamento dos dentes

Durante a terapêutica, alguns cuidados são indispensáveis para os resultados serem satisfatórios: o paciente deverá evitar alguns alimentos, como beterraba, bebidas ácidas, vinho tinto e cigarro.

Durante o clareamento, como se abrissem os poros, abrem-se os canalículos dentinários. Assim, se o paciente comer alimento com corante, isso poderá impregnar-lhe os dentes.

Receitas caseiras baratas para deixar os dentes brancos

As receitas de clareamento com bicarbonato de sódio, água oxigenada ou carvão ativado podem até ajudar a remover da superfície dos dentes algumas manchas provocadas por pigmentos de cigarros e de bebidas com corantes, como chá preto, café e refrigerantes, além de uma ou outra placa,  porém, para as intrínsecas, aquelas em que os pigmentos se encontram na parte interna do dente, deve-se indicar clareamento profissional.

Esses produtos improvisados ainda poderão prejudicar o esmalte dental, porque são abrasivos e escovar – praticamente lixar – os dentes com eles poderá desgastar excessivamente a parte externa, processo irreversível que causa retração na gengiva, sensibilidade nos dentes e deixa as raízes expostas, além de outros problemas mais graves futuramente.

Danos causados pelo bicarbonato de sódio nos dentes

A princípio, o bicarbonato de sódio pode remover pequena parte do tártaro, placas bacterianas e pigmentos superficiais, contudo, como esfolia o esmalte, torna-o mais áspero e rugoso, faz com que mais placas e pigmentos adiram ao esmalte dental e tiram o brilho dos dentes. Já o bicarbonato utilizado em consultório é uma versão odontológica.

Danos causados pelo carvão ativado nos dentes

O carvão ativado poderá acarretar os mesmos problemas de desgaste no esmalte e sensibilidade.

Danos do clareamento com água oxigenada

A água oxigenada é peróxido de hidrogênio diluído em água, um dos componentes que clareia a superfície dos dentes. No entanto, ao entrar em contato com a saliva e outros fluidos da estrutura oral, ela degrada-se em oxigênio e água, deixa ácido o meio bucal e desmineraliza os dentes, logo, se o indivíduo fizer bochechos com esse produto, os dentes dele poderão ficar frágeis e sofrer alteração na estrutura. Ademais, se os dentes já têm a cor modificada por sujeira, tártaro, cáries, trabalhos protéticos, como coroas e restaurações, poderão ficar ainda mais manchados.

A água oxigenada tem alta concentração de peróxido de hidrogênio, o que pode danificar severamente a mucosa oral. É por isso que os géis clareadores, com concentração elevada de peróxido de hidrogênio ou de carbamida, se aplicam exclusivamente nos dentes, para evitar prejuízo a outros tecidos bucais.

O cirurgião-dentista poderá indicar água oxigenada para infecções orais.

Clareamento dental correto

Os clareamentos dentais mais eficazes realizam-se em consultório odontológico ou em casa com acompanhamento de um dentista.

Nesse processo ocorre uma reação química: o gel libera oxigênio, que atravessa a camada do esmalte e quebra a cadeia de pigmentos em pequenas moléculas de dióxido de carbono e água, eliminadas por difusão.

Por que não se deve fazer um clareamento dental sozinho?

Como em qualquer tratamento, para este há contraindicações, que, se não se respeitarem, o paciente poderá sofrer sérias consequências: de pequena sensibilidade até perda dos dentes, além de outros problemas bucais.

Idade ideal para clareamento

O clareamento melhora a autoestima das pessoas e confere-lhes aparência mais saudável, mas há pormenores acerca desse procedimento que é preciso esclarecer.

Aos doze ou treze anos, as crianças ainda se encontram na fase de troca dos dentes de leite, quando os permanentes substituem os brancos. Mas aqueles, cuja cor é mais amarelada, não é possível clarear assim que nascem, porque essa é a tonalidade natural deles. Assim, apenas depois dos quinze anos se pode idealmente realizar o clareamento.

Observações importantes antes da realização do clareamento

Outro aspecto importante, que depende de avaliação odontológica, é averiguar se há cáries, lesões de manchas brancas ou pequenas descalcificações. Devem-se considerar também alterações de oclusão, ou seja, pequenas forças demasiadas em alguns pontos da boca que fazem a gengiva retrair. Ademais, se houver exposição de raízes, a suscetibilidade durante o clareamento será grande. É indispensável diagnosticar esses problemas e tratá-los antes de se iniciar a terapêutica.

Pessoas com manchas brancas nos dentes frequentemente querem saber se é possível clareá-las ou se o dente ficará claro a ponto de equiparar-se a elas. Algumas podem ser cariosas ou provenientes de anormalidade no crescimento do dente e se devem remover; outras  decorrem de descalcificação e corrigem-se com aplicação de flúor.

Clareamento dental em pacientes idosos

Idosos devem compreender que, à medida que o tempo passa, os dentes criam resistência a esse procedimento. Dos quarenta e cinco aos sessenta anos, podem-se usar diversas técnicas com ótimos resultados, mas há casos mais difíceis que se atenuam de algumas formas.

Clareamento dental associado a técnicas artificiais

Dentes com resinas ou outros materiais artificiais podem dificultar o clareamento. Às vezes, é necessário associá-lo a outros métodos, como aplicação de resinas, de facetas em porcelana ou de lente de contato.

Sensibilidade e fragilidade dental

Os dentes podem apresentar maior sensibilidade durante o tratamento, porém conduz-se muito bem essa dificuldade com dessensibilizantes e outros produtos. De fato, algumas pessoas são mais suscetíveis que outras. Por isso também se observa a variação da concentração dos ácidos utilizados no clareamento, mais fortes ou mais fracos, de acordo com cada paciente.

É errônea a ideia de que o clareamento provoca fragilidade nos dentes. Ao contrário, é processo seguro e relativamente fácil de realizar, contudo é importante escolher um profissional capacitado, porque não se trata apenas da confecção da moldeira que se coloca na boca e faz clarear, mas procedimento sério, que envolve a escolha do gel, que há em diversas concentrações, e do tipo de mecanismo, se feito no consultório ou em casa, este também supervisionado pelo dentista.

Remoção de tártaro antes do clareamento dental

Com tártaro, o clareamento não produz efeitos uniformes, portanto, antes de iniciá-lo, é necessário remover esse óbice para a superfície do dente ficar limpa e lisa.

Clareamento dental e aplicação de anestesia

O clareamento é praticamente indolor, mas, durante o tratamento, pessoas com maior sensibilidade nos dentes devem evitar ingerir bebidas geladas e ácidas, que eventualmente podem causar dor, porém, depois que se encerrar, pode-se voltar à rotina. Se o desconforto persistir, prescrevem-se cremes dentais para dentes mais sensíveis, entre outros recursos.

Interferência da genética no clareamento dos dentes

Se o paciente apresentar patologias que resultem em maior escurecimento da dentina, o clareamento pode ser mais difícil, porém ainda se conseguem bons resultados.

Clareamento dental para fumantes

Em fumantes, também é possível obter bons efeitos, porém, em geral, o tempo de tratamento é maior e, depois, os dentes voltam a amarelar mais rapidamente.

Estética do clareamento dental

É importante equilibrar o clareamento com a faixa etária do paciente para evitar a superficialidade, como dentes muito brancos em idosos. É preciso bom senso e visão estética.

Tipos de produtos e cautelas necessárias

O dentista orienta os pacientes sobre cremes dentais e géis clareadores a utilizar, porque comumente eles não sabem avaliar os níveis de concentração de tais produtos, que podem provocar dores e sensibilidade mais acentuada.

Cuidados prévios e posteriores ao tratamento

Um dos pré-requisitos para o clareamento é a higiene bucal adequada, além da parte preventiva de preparo do dente. Recomenda-se usar flúor diariamente para de fato limpar a superfície do dente e dar condições para o material atuar satisfatoriamente. Depois do clareamento, aconselha-se profilaxia periódica e não ingestão de comidas e bebidas com corantes. Assim, após consumir chocolate ou Coca-Cola, o paciente deve higienizar os dentes imediatamente.

Reaparecimento de manchas e escurecimento

O reaparecimento de manchas e o escurecimento dependerão do cuidado e dos hábitos de vida de cada indivíduo. Há pessoas em que, após dois anos, com profilaxia a cada seis meses, o clareamento ainda não se altera.

Matiz do dente e tonalidades resultantes

Cada pessoa tem um matiz de coloração dos dentes. Se a tonalidade deles for amarelada, o clareamento os deixará amarelo-claros; se cinza, ficará com aspecto cinza-claro. Apenas os de leite são de fato brancos. De qualquer modo, o dentista não pode garantir determinados resultados.

Eliminação de manchas

De modo geral, dentes manchados reagem ao clareamento, principalmente os amarelados ou de tom marrom.

Outra intervenção feita em consultório é a microabrasão, que disfarça as nódoas não eliminadas pelo clareamento.

Utilizam-se as moldeiras de dez a doze dias, já a correção de manchas de tetraciclina ocorre entre um e dois meses.

Preparação

Com limpezas e profilaxia, prepara-se a boca do paciente para colocar facetas, lentes e coroas, mas, antes, é importante consultá-lo sobre mudança da cor do dente, já que, depois de pôr qualquer desses artefatos, isso não será mais possível.

Feito o clareamento antes da confecção das lentes, menos desgaste haverá para chegar à cor almejada.