Clareamento dental com LED violeta

Funções do clareamento dental

Além da estética, o clareamento dental pode melhorar a autoestima e, por consequência, a saúde e a qualidade de vida das pessoas. É como alguém que vai ao cabeleireiro, melhora a aparência e, desse modo, sente-se melhor.

PUBLICIDADE


Além disso, o clareamento também facilita a higiene dental. Tanto o com gel como o com luz diminuem bactérias e descontaminam a boca.

Tipos de clareamento dental

Há três tipos seguros de clareamento dental. O caseiro consiste em um molde – feito pelo dentista – da arcada dentária do indivíduo, que nele coloca gel e o usa por algumas horas. O segundo, chamado fotoassistido, faz-se em consultório com gel mais concentrado, ou de menor concentração, mas associado à luz. O terceiro combina as duas técnicas anteriores e objetiva maior duração dos resultados.

Riscos do método caseiro

O clareamento caseiro tem, como inconveniente, maior tempo para obtenção dos efeitos desejados, além da possibilidade de ingestão do gel pelo contato com os tecidos moles.

O peróxido presente no gel para clareamento dental tem potencial cancerígeno, portanto é melhor, mais rápido e seguro realizar esse procedimento em consultório.

PUBLICIDADE


Pesquisa de novas técnicas de clareamento com luz

O Instituto de Física de São Carlos (IFSC), da Universidade de São Paulo, desenvolveu a técnica de emprego da luz e do LED para fotopolimerização, ou endurecimento da resina, mas, recentemente surgiram as luzes LED violeta, cuja potência é maior que as azuis, usadas anteriormente.

Na pesquisa, a princípio, utilizou-se a LED violeta com o gel de clareamento em concentração distinta da convencional, todavia constatou-se que a luz, por si só, já tem energia suficiente para quebrar o pigmento dos dentes.

Uso em larga escala da nova tecnologia

Uma empresa parceira do IFSC patenteou o clareamento por luz violeta e lançou a tecnologia com grande aceitação. Ela tem dado palestras para divulgar o produto, já disponível no mercado, para quem tenha interesse em adquiri-lo para usar em consultório.

Ação da luz sobre os pigmentos

Uma publicação sobre o esse método em dentes bovinos demonstra que, quando a luz incide sobre os pigmentos, estes refletem menor quantidade de luz azul. Contudo, ao se quebrarem, com gel ou a associação deste com luz ou apenas com luz, o componente azul reverbera mais, ou seja, aumenta o componente azul com a luz violeta. Entre as cores do RGB (verde, azul e vermelho), como a parcela de azul é maior, vemos mais branco.

Luz violeta e ultravioleta

Enquanto a luz violeta é um espectro visível, a ultravioleta é invisível e pode causar prejuízos, inclusive à pele. Estudos publicados sobre a luz violeta com comprimento de onda de aproximadamente 405 nanômetros demonstram que, quando aplicada dentro dos parâmetros normais, não danifica as células nem provoca mutação genética que possa levar ao desenvolvimento de câncer e pode ser usada na fotocoagulação.

Clareamento e sensibilidade dental

No IFSC, já se atenderam mais de cinquenta pacientes para clareamento dental por meio de LED combinado ou não ao gel. Mesmo os que receberam aplicação de luz e gel em pequena concentração não tiveram aumento da sensibilidade dental.

A hipersensibilidade dentinária é um problema comum em processos de clareamento. Há pacientes que, na primeira sessão, se queixam e, na segunda, pedem que se interrompa o procedimento. Pela técnica da luz violeta, ao contrário, os pacientes não sofreram com esse problema.

Quantidade de sessões necessárias ao clareamento com luz violeta

Os pesquisadores acreditam que o importante, no clareamento dental, é o diagnóstico, isto é, a determinação da espécie de manchas do paciente. Se produzidas por corantes orgânicos, como tabaco, café ou vinho, quebrar os pigmentos é mais fácil. Em contrapartida, se inorgânicos, como os oriundos de trauma com extravasamento sanguíneo e, por isso, presença de ferro (também corante), o clareamento completo é mais difícil e não se atinge nem mesmo em duas ou três sessões. Em pacientes jovens, com pouca pigmentação nos dentes, basta uma.

Perda de resultado

Às vezes o resultado é excelente; outras, razoável. Pacientes que fumam, por exemplo, podem alcançar bom efeito imediato, mas precisam estar cientes de que, após três ou quatro semanas, o perderão, porque os dentes se impregnarão novamente do pigmento do tabaco.

Clareamento de implante dentário

Quem usa implante dentário tem coroa de resina ou porcelana, cujos pigmentos o clareamento quebra, mas a cor dela pode ficar diferente da dos dentes naturais. Nesses casos, faz-se primeiro o clareamento e depois a coroa do implante e a restauração em resina ou a substituição por uma de tonalidade mais clara.