Carnosina no tratamento da pré-diabetes

Carnosina: o que é?

A carnosina não deve ser confundida com a carnitina. Ambos são di-peptídeos – proteínas compostas por dois aminoácidos. Assim como a carnitina, a carnosina tem muitos benefícios à saúde.

PUBLICIDADE


A carnosina é composta pela beta-alanina e pela l-histidina. Existem vários estudos em ratos de laboratório e seres humanos mostrando os benefícios da carnosina.

Tratamento da diabetes

Em um estudo feito por 12 semanas, os pacientes foram suplementados com 2g de carnosina ao dia. Um grupo tomou a carnosina, e outro grupo tomou placebo. Todos os pacientes eram obesos e com risco aumentado de diabetes mellitus, e não melhoraram os hábitos de vida, apenas foram submetidos ao uso da carnosina.

No final de 12 semanas, o grupo que tomou carnosina teve significativa melhora no metabolismo da glicose. A resistência à insulina aumentou 4 vezes mais no grupo que não tomava carnosina em relação ao grupo que tomava. Ela teve um benefício muito grande em evitar a glicação das proteínas provocada pelo excesso de açúcar no sangue, e também teve uma melhora nos radicais livres.

Foi descoberto que a carnosina retarda a progressão do pré-diabetes em diabetes, e é interessante para ser utilizada em pessoas que já estão obesas e em risco de diabetes. Porém, essas pessoas também têm que melhorar os hábitos de vida.

PUBLICIDADE


Foi constatado que a carnosina diminui a progressão da doença renal crônica em diabéticos. Também foi constatada uma diminuição na progressão da catarata, uma doença em que há a opacificação das lentes dos olhos (os cristalinos) e que também está relacionada com a glicação. Os pacientes tomando carnosina tiveram menos catarata.

Em um trabalho feito com ratos diabéticos, aqueles que foram suplementados com carnosina tiveram uma cicatrização mais adequadas do que os ratos que não tomaram carnosina.

Sistema cardiovascular

Em outro trabalho, pacientes com insuficiência cardíaca congestiva (pessoas que têm o coração fraco, dilatado) foram administrados com 500mg de carnosina ao dia. Essas pessoas continuaram tomando os remédios habituais. O grupo que tomou carnosina teve uma melhora da performance física e da condição geral de saúde.

Foi descoberto que a carnosina inibe os corpos chamados AGEs, que são resultado final da glicação avançada, inibe os radicais livres e também reduz a lipoxidação, um fenômeno que acontece com as gorduras do sangue, principalmente o LDL oxidado e glicado. A lipoxidação é a alteração dessas gorduras pelos radicais livres.

A carnosina também inibe a formação das células espumosas (foam cells), que são macrófagos que, defendendo a célula da infiltração gordurosa, acabam engolindo grande quantidade de lipídeos. Esses macrófagos cheios de gordura acabam piorando a formação da placa.

A carnosina melhorou o perfil lipídico, reduziu a pressão arterial dos pacientes e diminuiu a progressão da doença renal crônica.

Outro trabalho mostrou que a carnosina reduziu o acúmulo das proteínas anormais no cérebro de quem tem Alzheimer (os beta-amiloides).

Proteção do DNA

Outro trabalho mostrou que a carnosina teve a propriedade de reduzir o encurtamento dos telômeros. À medida em que o ser humano vai envelhecendo, o DNA vai sofrendo modificações e tendo um encurtamento da ponta dos cromossomos, chamada de telômero.

Quanto mais devagar esse encurtamento, mais tempo a pessoa irá viver.

Proteção cerebral

Foi feito um trabalho com pacientes com Alzheimer e esquizofrenia. Houve uma melhora da cognição nos pacientes que tomaram carnosina em relação aqueles que não tomaram. Alguns estudos mostram que a carnosina pode melhorar os níveis de serotonina, um neurotransmissor cerebral, o que explicaria em parte esses efeitos protetores do cérebro.

Também foram feitos trabalhos mostrando que a carnosina melhora a condição e a circulação cerebral, tendo um efeito protetor contra o AVC (derrame).

Benefícios da carnosina

A carnosina é um excelente recurso para pacientes pré-diabéticos e acima do peso. Esses pacientes devem manter bons hábitos de vida, caminhar, fazer atividade física regular, comer corretamente, cortar os carboidratos (pão, arroz, batata, massas, bolos, tortas, doces, biscoitos e salgadinhis) e adotar uma dieta saudável.

Em alguns casos, a carnosina pode ser bem indicada para ajudar a evitar doenças cardiovasculares, derrame, demência, Alzheimer, catarata, entre outros.

Artigo anteriorCalçados para diabéticos
Próximo artigoCetoacidose diabética
CRM: 124205. Doutorado em andamento em Endocrinologia e Metabologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Residência em Clínica Médica pelo Hospital Geral de Pedreira. Aperfeiçoamento em Medicina Tropical (Hanseníase) pela Universidade Federal de Alagoas (2006). Graduação em Medicina pela Universidad de Montemorelos (1997-2005). Título de Especialista em Endocrinologia e Metabologia pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (2013). Médica endocrinologista da Prefeitura Municipal de Carapicuíba (2013-atual). Médica endocrinologista da Prefeitura Municipal de Cotia (2007-2016). Médica do Programa Saúde da Família da Prefeitura Municipal de Vargem Grande Paulista (2006-2007).