Batata-doce: benefícios e como usá-la

Características da batata-doce

A batata-doce é originária do Peru, e se difundiu pelo mundo. Entre as plantas comestíveis, ela é considerada a sétima mais importante pela FAO (Food and Agriculture Organization of the United Nations), órgão da ONU que cuida da questão da alimentação e da fome no mundo.

PUBLICIDADE


Os brasileiros conhecem a batata-doce que tem a casca cor-de-rosa, quase pink, e o interior branco. Existem outras variedades dela, como a branca, que tem a casca e o interior brancos; a amarela, que tem a casca branca por fora e por dentro um amarelo intenso, parecida com a mandioquinha; a roxa, que tem cor de beterraba por fora e por dentro (utilizada para fazer o famoso doce de batata-doce). O cruzamento entre essas espécies gera outras variedades.

Ela é muito consumida, não só no Brasil como também em toda a América do Sul, nos Estados Unidos, na Europa, na Ásia e na África. Nutricionalmente, é uma planta importante como fonte de alimento para a espécie humana.

PUBLICIDADE
cursos sobre plantas medicinais cpt

Toxidade da batata-doce

A batata-doce não é tóxica, porém, existem pessoas alérgicas à ela. Um artigo científico narra os casos de três pessoas, em datas e lugares distintos, que tiveram forte alergia consumindo-a, porém, isso é raro. Se a pessoa comeu batata-doce em algum momento da vida e não teve problemas, não é alérgica.

Os fungos e as bactérias que podem desenvolver-se na batata-doce quando mal acondicionada, ou quando passa do ponto, podem fazer mal. Há casos de animais, como vacas, bois e cabras, que comeram batata-doce mofada e tiveram graves problemas.

PUBLICIDADE


Também há relatos de intoxicações de pessoas que comeram batata-doce contaminada com bactérias e tiveram problemas, como disenteria. Ao consumi-la, observe se não há fungos, se ela está intacta e cheirosa. Via de regra, ela é muito saudável e qualquer pessoa pode comê-la.

Partes comestíveis da planta

A batata é um rizoma (caule subterrâneo), não uma raiz. Não somente essa parte é comestível, também é possível comer as folhas dela. Hoje há uma grande campanha para que as pessoas comecem a comer as folhas da batata-doce, porque ela se produz em grande quantidade e com muita facilidade, mas normalmente essa parte é desprezada.

Se a pessoa pegar um pedaço da ponta da batata-doce, de cerca de 5cm de comprimento, espetar 4 palitos de dente nele, colocar em um copo de água, recebendo umidade na parte de baixo, ele irá começar a brotar e gerar ramas que vão cair por fora do copo e se espalhar. Depois, é possível plantá-lo no quintal.

No Brasil é considerada uma PANC (planta alimentícia não-convencional), mas em outros países as folhas de batata-doce são consideradas alimento, e o consumo delas é saudável.

Uso nutricional e medicinal da batata-doce

A batata-doce têm substâncias como os polifenóis, os ácidos fenólicos e as antocianinas. Esses três grupos têm funções importantes, como combater radicais livres, envelhecimento, problemas inflamatórios, além de serem cicatrizantes, anticancerígenos, antitumorais, etc. – tanto nas folhas da batata-doce, quanto na polpa (o rizoma).

Essa planta é importante como alimento funcional. Se a pessoa quiser fazer um tratamento com a batata-doce, precisará comer pelo menos 100 gramas por dia – em torno de uma xícara de batata cozida. Se for comer as folhas da batata, deve-se preparar uma xicara de folhas picadas ao dia.

Um estudo japonês demonstrou que as folhas de batata-doce também são ricas em aminoácidos, vitaminas e minerais essenciais – tanto os mais comuns, como sódio, potássio e magnésio, como os menos, como boro, cromo, etc.

Benefícios da batata-doce

Controle do colesterol e triglicerídeos

Outro estudo japonês constatou que o consumo das folhas da batata-doce controla o colesterol LDL, considerado ruim, que causa arteriosclerose, infarto, trombose, etc.

Além disso, esse estudo demonstrou que, por conta dessa propriedade, a folha da batata-doce é essencial para evitar arteriosclerose, hipertensão e outras doenças cardiovasculares.

Em um estudo realizado na Indonésia, animais de laboratório foram alimentados com uma dieta rica em gorduras. Esperava-se que eles tivessem elevação do LDL, dos triglicerídeos, etc. Um grupo foi alimentado somente com colesterol, e isso realmente aconteceu. Um segundo grupo foi alimentado com um suco feito de batata-doce roxa e mel. Nele, o nível de colesterol não se alterou, mesmo consumindo grandes quantidades de colesterol.

Para evitar a subida do colesterol e dos triglicerídeos no organismo, a batata-doce pode ser uma aliada. É possível incluí-la no suco matinal, no suco detox, comê-la cozida ou comer as folhas.

Em outro estudo japonês, animais de laboratório que tinham níveis elevados de colesterol consumiram batata-doce. Como resultado, ela reduziu as taxas de colesterol e triglicerídeos nesses animais.

Tratamento de anemias

Em um estudo realizado nas Filipinas, demonstrou-se que as folhas da batata-doce consumidas por pessoas que tinham anemia – transtorno na composição sanguínea – tiveram melhoras significativas em todos os parâmetros sanguíneos, como hemoglobina, células vermelhas, plaquetas, etc.

Anêmicos ou crianças desnutridas podem utilizar as folhas da batata-doce como complemento nutricional.

Efeito cicatrizante

Quem está com problemas de cicatrização, pode fazer compressas, usar o suco ou ralar a batata-doce e colocar sobre a área ferida.

Em um estudo realizado no Brasil, uma pomada feita à base de batata-doce branca foi aplicada sobre feridas em animais de laboratório. Ela acelerou em 70% o processo de cicatrização, o que demonstra a qualidade cicatrizante da batata-doce.

Tratamento e controle da diabetes

A batata-doce é uma incrível aliada no tratamento da diabetes. Pacientes com diabetes tipo 2 foram tratados durante 12 semanas com cápsulas de 4 gramas do pó de batata-doce ao dia. Na terceira semana do teste, todos os parâmetros da diabetes tinham melhorado, como a resistência à insulina; a glicemia pós-prandial (subida da taxa da glicemia após as refeições); a intolerância à insulina (quando uma pessoa tem dificuldade de absorver insulina, as células não deixam a insulina trabalhar e isso não permite que os açúcares entrem nas células); e as taxas de colesterol e de triglicérides, que foram normalizadas.

Em um estudo japonês foi administrado pó de batata-doce branca à pacientes com diabetes tipo 2. Em comparação com a troglitazona, medicamento convencional utilizado para o controle da diabetes, os resultados foram muito parecidos. Os pacientes que participaram desse tratamento tiveram um processo de regeneração das células beta (do pâncreas), que aumentaram a produção de insulina. A troglitazona normalmente causa obesidade, e aqueles que utilizaram a batata-doce não tiveram aumento do peso corporal.

Outro estudo japonês respondeu porquê a batata-doce impede a hiperglicemia pós-prandial. Constatou-se que alguns dos compostos presentes nela inibem as enzimas digestivas de açúcar.

No duodeno (a primeira seção do intestino delgado) os alimentos recebem várias enzimas digestivas (do pâncreas, do fígado, etc) que quebram os açúcares grandes para que sejam absorvidos pelo organismo. A batata-doce impede essa quebra, e consequentemente, a absorção dos açúcares.

Controle da pressão arterial

A batata-doce também é um medicamento importante para quem tem hipertensão. No Japão verificou-se que, nos seus princípios, existe um composto inibidor da angiotensina, substância presente no organismo que promove a constrição dos vasos sanguíneos, deixando-os mais tensos e fechados. Com isso, a circulação sanguínea é dificultada, é preciso mais pressão para o sangue fluir, causando uma elevação da pressão arterial. No consumo da batata-doce, a angiotensina é parcialmente neutralizada e assim há um relaxamento maior dos vasos sanguíneos, o que permite maior passagem de sangue com menor pressão.

Em outro estudo Japonês, a administração de um copo de suco de batata-doce roxa foi capaz de controlar a pressão arterial por 8 horas. Esses dois estudos demonstram que a batata-doce tem importante efeito para a preservação da pressão arterial.

Quem toma atenolol, propranolol e outros medicamentos para controle da hipertensão, deve prestar atenção nos efeitos colaterais e riscos ao toma-los.

A batata-doce faz bem para a saúde, controla o colesterol, a glicemia e a pressão arterial, é rica em nutrientes essenciais, combate o envelhecimento e muitos outros problemas. Com uma pequena mudança na alimentação e nos hábitos, é possível controlar a pressão arterial com facilidade e sem prejuízos à saúde.

Proteção do fígado

O uso da batata doce tem efeito protetor sobre o fígado. Quando consome-se álcool em excesso, o fígado sofre destruição das células. Em casos muito acentuados, isso pode tornar-se cirrose, que é a necrose (morte) de partes grandes do fígado.

A utilização do pó da batata-doce roxa evita os danos ao fígado por conta do consumo de álcool. Foram realizados testes em animais de laboratório, aos quais foi administrado álcool. Os animais que tinham consumido batata-doce não tiveram os prejuízos ao fígado que os que não tinham a consumido.

Além disso, o suco da batata-roxa doce ajuda a contornar os efeitos da ressaca.

Proteção do estômago

Para tratar o estômago, como as úlceras gástricas e gastrite, dois estudos indianos constataram que o uso da batata-doce tem ação protetora para as paredes estomacais, evitando lesões. Quem tem o estômago sensível ou toma algum medicamento que prejudica o estômago, pode tomar suco de batata-doce ou incluí-la na alimentação.

Um estudo brasileiro demonstrou que o consumo constante da farinha de batata-doce branca traz efeito protetor estomacal e evita a formação de úlceras gástricas.

Manutenção do sistema imunológico

Um estudo chinês demonstrou que os polifenóis presentes na batata-doce têm ação estimuladora do sistema imunológico. Se há alguma baixa no sistema imunológico ou infecção, o consumo da batata-doce é essencial, seja na forma de suco, cozida, ou até mesmo crua, ralada e temperada na forma de salada. Quanto mais consumir, mais estimulada será a atividade do sistema imunológico.

Em um estudo japonês, o consumo de batata-doce branca elevou a atividade do sistema imunológico em diabéticos que tinham problemas imunológicos.

Tratamento do câncer

Um estudo japonês demonstrou que o ácido cafeoilquínico presente na batata-doce exerce importante ação inibidora no desenvolvimento de células cancerígenas – elas deixam de crescer, de se reproduzir, e o tumor de se desenvolver.

Em um estudo chinês, demonstrou-se que as antocianinas presentes na batata-doce exerce excelente ação inibidora no desenvolvimento de células cancerígenas – elas se desenvolvem 40% menos por conta disso.

Já um estudo americano demonstrou que o consumo das folhas da batata-doce tem excelente ação na inibição do desenvolvimento do câncer de próstata.

Tanto as folhas quanto a própria batata, que é a parte mais comestível da planta, têm excelentes propriedades contra o câncer, e a batata, tanto pelo ácido cafeoilquínico quanto pelas antocianinas e outros compostos, tem excelente ação antitumoral e antiproliferativa para as células do câncer.

PUBLICIDADE