Alopecia frontal fibrosante e líquen plano pilar

Atualizado em:

PUBLICIDADE


Líquen plano pilar e alopecia frontal fibrosante

Com o passar dos anos a cabeleira pode ficar mais rala, por exemplo, por conta da alopecia androgenética, a famosa calvície, que acomete homens e mulheres. Muitas dietas alteram o metabolismo e causam déficits nutricionais, e, portanto, podem afetar o cabelo. A queda de cabelo pode ser causada também por problemas hormonais, e vários hormônios podem ser responsáveis por ela.

Entretanto, duas doenças que têm acometido muitas pessoas são pouco divulgadas, e geralmente percebidas apenas quando já bem evoluídas, tratam-se da alopecia frontal fibrosante e o líquen plano pilar, em que a linha de recesso temporal sobe e a testa aumenta.

Um dos primeiros sinais é a diminuição das sobrancelhas, muitos pensam que isso é próprio do envelhecimento, mas ao puxar os cabelos, há um brilho mais intenso no tecido do couro cabeludo, que é trocado por um mais duro.

Nessas doenças algumas células atacam os folículos capilares, e geralmente causam coceira além de perda capilar.

PUBLICIDADE


É interessante pegar uma foto de 10 ou 20 anos atrás e comparar como está a parte frontal do couro cabeludo. Essas doenças também acometem mulheres jovens, não apenas menopausadas.

A alopecia frontal fibrosante pode afetar todo o contorno da cabeleira, tanto a parte posterior, quanto a anterior e as têmporas. Já o líquen frontal fibrosante acomete mais a parte superior do couro cabeludo, o cocuruto, e se não tratado, evolui e causa perda permanente dos cabelos.

Tempo de tratamento

O tempo para o tratamento auferir resultados e o cabelo voltar a crescer depende do tipo da queda. Entretanto, se perder o bulbo capilar, que é o que ocorre na alopecia frontal fibrosante e na androgenética, ali não nascerá mais cabelo.

Algumas pessoas fazem tratamento para a alopecia frontal fibrosante, mas os cabelos não crescem novamente, e ficam cicatrizes. O folículo morre, e forma uma fibrose, daí a cicatriz. Portanto, o diagnóstico precoce é importante, e se precisar de mais opiniões se consultar com outro médico, o que não significa que o atual seja ruim.

Artigo anteriorExiste prazo para tratar a calvície?
Próximo artigoFalta de ferro causa queda de cabelo?
CRM: 91128. Doutorado em Dermatologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (2009-2012). Mestrado em Dermatologia Clínica e Cirúrgica pela Universidade Federal de São Paulo (2001-2006). Residência médica em Dermatologia pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (1998-2001). Graduação em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (1992-1997). Pós-Doutorado em pesquisa em dermatologia pela Emory University School of Medicine, Atlanta, GA, EUA. Professor-assistente de dermatologia na Universidade de Mogi das Cruzes (2005-2006). Médico-assistente do Serviço de Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2006-2012). Médico chefe do Serviço de Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2012-2014). Coordenador do programa de residência médica em Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2019-2012). Coordenador de todos os programas de aperfeiçoamento/especialização médicos da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2011-2014).