Alimentos para queda de cabelo

Atualizado em:

PUBLICIDADE


O número de mulheres que reportam queda de cabelo tem aumentado muito nos últimos anos, os homens aceitam melhor o fato de ficarem carecas, e podem raspar o cabelo todo, usar boné, peruca, mas para as mulheres isso é um sofrimento.

Muitas delas passam cinco dias sem lavar o cabelo para manter o resultado da escova, entretanto, isso aumenta a oleosidade do couro cabeludo, e, por conseguinte contribui para a queda dos fios.

Nos homens a alopecia androgenética é preponderante entre as causas de perda capilar, mesmo tendo uma boa alimentação e qualidade de vida e não se estressando, entre os 30 e 35 anos é muito frequente a rarefação capilar. Cerca de 50% dos homens e 10% das mulheres um dia terá algum grau de calvície.

Muitos homens usam finasterida contra a alopecia androgenética, mas esse medicamento pode causar desequilíbrio hormonal no organismo, daí a importância dele ser usado sob acompanhamento médico.

PUBLICIDADE


Todos nós temos queda de cabelo, o problema é quando ela fica exagerada, e ultrapassa, por exemplo, cerca de 150 fios por dia – porém, essa quantia varia para cada um. Muitas mulheres se desesperam ao ver o ralo do banheiro cheio de cabelos, mas nem sempre isso deve ser motivo de preocupação, já que, além das fases de crescimento e de repouso, o cabelo também tem a de queda.

A perda dos cabelos pode ser sinal de que o organismo não está bem, e, inclusive, consequência de uma doença mais séria.

Principais causas de queda de cabelo

A perda capilar pode ocorrer por causas hormonais, genéticas, carências nutricionais, estresse – como o de quem está se preparando para concursos –, problemas dermatológicos (como psoríase e dermatite seborreica), anemia – principalmente em que menstrua demais ou muitas vezes, e perde muito ferro por isso – , pós-cirúrgico (principalmente o de cirurgias complexas, como a bariátrica), pós-infecção, infecções de longo prazo, sepse – infecção no sangue – , quando o intestino não absorve adequadamente nutrientes essenciais para o cabelo, dietas restritivas para emagrecer e as da moda (como a da lua, a do sol e a da sopa, que podem levar à perda exagerada de proteína e também à queda de cabelo), e eventualmente o cabelo cai mais ou menos a depender do ciclo menstrual.

Prevenção da queda de cabelo

Pode-se prevenir alguns tipos de queda de cabelo com orientação nutricional, mas não a genética, apesar disso, esta pode ser atenuada.

A primeira coisa a se fazer é procurar um médico, de preferência um dermatologista, mas pode ser também um clínico geral, um nutrólogo, um médico ortomolecular ou um cirurgião plástico. Isso é importante para que se diagnostique a causa da queda capilar, se por estresse, se hormonal ou dermatológica.

Nutrientes que ajudam a não perder cabelo

Proteínas

80% do cabelo é formado de proteínas, então é necessário uma boa ingesta proteica para manter a saúde capilar.

Fontes de proteína

Precisamos de proteínas de origem animal e vegetal, os vegetarianos podem ter um aporte de proteínas vindas dos vegetais.

Como fonte de proteína animal podem ser citadas carne vermelha e a dos peixes, e ovos. Para os vegetarianos há as leguminosas, como o feijão – que tem metionina, muito importante para os cabelos –, a lentilha, o grão-de-bico, além da aveia.

Muitos comem carne, mas frita, e a fritura das proteínas pode aumentar a oleosidade nos cabelos, o que pode contribuir para o incremento da queda deles.

Ferro

A farinha, que está presente, por exemplo, em nuggets e empanados, pode diminuir a absorção de ferro, que é o segundo elemento mais importante para o cabelo, por isso mulheres que menstruam em excesso, com endometriose ou com miomas, ocasionalmente, têm queda de cabelo aumentada. É muito importante pedir ao médico para dosar a ferritina, se ela estiver abaixo de 40 ng/mL, já é preocupante.

Fontes de ferro

O ferro está presente principalmente nas carnes, o de origem animal tem elevada biodisponibilidade, ou seja, quase todo o ferro que se ingere das carnes é absorvido.

O ideal é não comer carne vermelha mais de três vezes por semana, apenas quem tem tipo sanguíneo O pode exacerbar um pouco no consumo dela, que também é importante para os cabelos.

Pessoas com anemia e ferritina baixa precisam comer carne vermelha praticamente todos os dias, pelo menos enquanto se recuperam da anemia.

O ferro de origem vegetal está em vegetais escuros, como couve, rúcula e agrião, e em oleaginosas, como castanhas (por exemplo, a do Pará), nozes e amêndoas.

O ferro de origem vegetal tem menor biodisponibilidade, por isso, vegetarianos devem adicionar à dieta elementos cítricos, como laranja, limão, ou vitamina C em forma de suplemento, isso ajuda a aumentar a absorção de ferro, o que se pode fazer, por exemplo, é pingar gotas de limão na salada.

Ferro x cálcio

O excesso do consumo de leite pode prejudicar os cabelos, pois o cálcio do leite compete em absorção com o ferro, fazendo com que este não seja tão absorvido. Por isso, tomar ferro junto com cálcio pode diminuir as reservas de ferro do organismo.

Zinco

O zinco é fundamental para cabelo, pele, unhas e imunidade. Suplementando zinco mulheres podem ter unhas bonitas e fortes, inclusive, melhores que as postiças. O zinco de origem animal pode vir de carnes e ovos, e o de vegetal, da aveia, arroz integral, oleaginosas e leguminosas.

Vitamina A

A vitamina A também é muito importante para o cabelo, e pode ser encontrada principalmente na manga e na cenoura, nelas há os carotenoides, que são precursores da vitamina A, que também está na alface, que por sinal também tem silício, muito importante para o cabelo e contra flacidez.

Silício

O silício também pode ser encontrado na alcachofra, no nabo, no pepino e na cebola – que tem metionina, cisteína e taurina, também presentes no alho, inclusive, há cápsulas de alho sem odor.

Vitaminas do complexo B

A biotina é uma vitamina do complexo B muito importante para o cabelo. As vitaminas do complexo B são muito utilizadas pela indústria farmacêutica e a cosmética, e muitos shampoos tem-nas, assim como a levedura de cerveja, que, inclusive, pode ser adicionada em sucos.

Muitos não têm diabetes e ainda assim tomam medicação para ela com o intuito de emagrecer. A metformina diminui a absorção de B12, e outras do complexo B, essenciais para o cabelo. Portanto, quem precisa usar metformina, como diabéticos, tem que suplementar as vitaminas do complexo B, principalmente a B12.

Ômega 6

O ômega 6 é importante para não deixar o couro cabeludo muito oleoso. Ele pode ser encontrado em peixes, azeite, oleaginosas, leguminosas e na aveia.