Agrião: benefícios e como utilizá-lo

Características do agrião

O agrião, de nome científico Nasturtium officinale, não é uma planta brasileira. Ele veio do oriente e se disseminou por toda a Europa como planta alimentícia, também utilizada medicinalmente. Com a colonização, ele foi trazido para o Brasil. Existem algumas variedades dele – alguns nascem em solos mais úmidos, encharcados e alagados, e o de terra seca, pode ser plantado em qualquer canteiro.

PUBLICIDADE


O agrião hidropônico, por ser cultivado somente na água, tem algumas deficiências nutricionais, e pode ter perda do seu potencial medicinal. Portanto, para um tratamento, deve-se utilizar um não hidropônico – de preferência cultivado em casa.

Usos populares do agrião

O agrião é popularmente utilizado para problemas respiratórios, como bronquite, gripe e pneumonia. O melagrião, xarope feito com mel agrião, é muito utilizado.

PUBLICIDADE
cursos sobre plantas medicinais cpt

O agrião também é utilizado popularmente para tratar hipertensão arterial, diabetes, problemas de circulação e de cicatrização, gastrite, etc.

Toxidade do agrião

Uma pesquisa realizada em cobaias demonstrou que o consumo elevado de agrião por 60 dias, em uma dosagem equivalente a 2g de agrião por quilo de peso (o equivalente a, por exemplo, um homem de 70 quilos consumir 140g de agrião por dia) não causou problemas no sangue, nos órgãos, nos tecidos e nem no comportamento dos animais.

PUBLICIDADE


Em outra pesquisa, foi testado o dobro da quantidade em uma única dosagem – foram administrados 4g por quilo de peso, o equivalente, em um ser humano, a uma pessoa de 70 quilos comer 280g de agrião. Neste caso, verificou-se que ocorreu algum tipo de lesão no fígado e algum tipo de dano nos rins, mas somente isso, constatando que o agrião é uma planta bastante segura, pois dificilmente alguém o consome nessa alta quantidade.

Modos de consumir o agrião

O uso do agrião pode se dar de várias maneiras, uma delas é fazer o xarope com mel. Pega-se agrião picado, mistura-se com mel, coloca-se em banho-maria e deixa-se ferver por certo tempo. Depois, coa-se essa mistura, e o mel ganha as propriedades medicinais do agrião, podendo ser ministrado para crianças e pessoas com problemas respiratórios.

Também é possível fazer chá de agrião. Pique o agrião, adicionando uma colher de agrião picado para cada xícara de água. Derrame a água sobre ele, aguarde 5 minutos, coe e tome o chá. Por ser uma planta segura, pode-se tomar o chá duas, três ou quatro vezes ao dia.

É possível consumir o agrião fazendo suco detox, suco verde ou o do agrião batido com abacaxi, limão, maracujá, etc.

A forma mais natural e mais prática de administrar o agrião é na salada, comendo-o picado.

Comer uma xícara de agrião no almoço, uma na janta e tomando suco de agrião pela manhã, é excelente para a saúde.

Ação antioxidante

O agrião é um ótimo antioxidante, ou seja, combate os radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento, pela degeneração dos tecidos, por doenças inflamatórias, doenças crônicas e pelo desenvolvimento do câncer.

Em um teste realizado em laboratório, foram induzidas inflamações nas patas e nas orelhas de cobaias. Dois grupos foram testados de maneiras diferentes: o primeiro tomou, sistemicamente, os extratos feitos com o agrião, colocados na água. Isso demonstrou uma eficiente capacidade anti-inflamatória do agrião.

No segundo grupo, foi testado o uso tópico do agrião, passando duas ou três vezes ao dia o extrato com um algodão na área afetada, também verificou-se uma eficiente ação anti-inflamatória.

Controle dos índices de colesterol

Uma pesquisa verificou que o consumo frequente do agrião tem a capacidade de reduzir em 48% o índice de colesterol LDL (ruim) no organismo, e de elevar em 16% a concentração do colesterol HDL (bom).

Em outro estudo, o extrato de agrião reduziu em mais de 50% o colesterol LDL e aumentou o HDL em mais de 27%.

Proteção do fígado e dos rins

Um teste feito com o agrião verificou uma função protetora do fígado. Se a pessoa toma algum medicamento que agride o fígado, o consumo de agrião junto ao tratamento melhora a condição do fígado.

O agrião também foi testado em relação a proteção contra elementos radioativos. Em pessoas que ficam expostas à radiação de alguma forma, por exemplo, fazem radioterapia, o agrião evita danos ao fígado causados pela radiação.

O uso do agrião foi testado contra antibióticos que, apesar de combaterem as bactérias que atacam o organismo, causam nefrotoxidade (prejudicam os rins). O consumo constante de agrião tem a capacidade de proteger os rins da ação desses antibióticos.

Auxílio no tratamento da tuberculose e da pneumonia

Alguns grupos de bactérias que causam a tuberculose são resistentes a antibióticos. Isso é causado pelo excesso do uso de antibióticos. Quando se ataca um grupo de 1000 bactérias com antibióticos, matando 999 bactérias, a bactéria que sobra se reproduz e, agora, é resistente ao antibiótico. O uso do agrião aumenta a eficiência do tratamento, controlando o desenvolvimento das bactérias para que os antibióticos atuem.

Os extratos de agrião foram testados contra bactérias que causam pneumonia e, em vários casos, foram eficientes, o que comprova o uso do agrião como um medicamento para problemas respiratórios.

Auxílio no tratamento da diabetes

Várias pesquisas demonstram a capacidade do agrião em controlar a hiperglicemia e auxiliar no tratamento da diabetes, assim quem sofre desse mal deve incluir agrião na alimentação diária.

O consumo do agrião, seja na forma de tintura, de suco ou mesmo na alimentação, tem a ação de controlar a glicemia por vários mecanismos diferentes.

Muitos diabéticos acumulam gorduras e têm problemas com o colesterol. Em uma pesquisa feita com cobaias (ratos) diabéticas, o uso do agrião diariamente por 4 semanas consecutivas reduziu significativamente a glicose no sangue e o colesterol LDL e aumentou o colesterol HDL.

Combate à hipertensão

Em cobaias hipertensas, o consumo diário do extrato do agrião reduziu a pressão arterial e normalizou-a no prazo de 30 dias, sem nenhum outro tratamento.

Cicatrização de feridas orais e gastrite

O extrato do agrião tem a capacidade de melhorar a cicatrização de feridas na cavidade bucal, aumentando a deposição de colágeno na área do dano, o que demonstra também ação eficiente no controle das gastrites, por exemplo, já que é antioxidante (atuando na parte inflamatória) e cicatrizante para a parede estomacal, muito parecida com a da boca, mas revestida por muco.

Nos casos de gastrite, o suco de agrião por si só pode ser eficiente. Se a pessoa quiser potencializar o tratamento, pode utilizar couve, que também age sobre a parede do estômago.

Também pode-se bater o agrião no liquidificador com água e consumi-lo na sopa.

PUBLICIDADE