Acerola: benefícios e como usá-la

Características da acerola

A acerola é (Malpighia emarginata) é uma planta não nativa do Brasil, apesar de encontrada em calçadas e quintais. Originária da América Central, ela foi descoberta durante o período de colonização e espalhada pelo mundo, pois é uma planta não muito exigente, de fácil cultivo, e que produz muitos frutos.

PUBLICIDADE


O Brasil é um dos maiores produtores de acerola no mundo, principalmente no nordeste do país, porém, apesar da grande produção, ela não atende a demanda das indústrias de sucos, frutas e de polpas, tampouco o mercado externo, pois os Estados Unidos é um grande consumidor das acerolas brasileiras.

Dados indicam que se o Brasil produzisse 6 vezes a quantidade de acerola que produz hoje, ainda não conseguiria atender a demanda.

PUBLICIDADE
cursos sobre plantas medicinais cpt

A acerola é muito utilizada pela indústria de sucos concentrados, de polpas de fruta, e também para geleias e outros usos culinários, não só no Brasil mas em muitos países.

As folhas da acerola são levemente urticantes, ou seja, causam pequena coceira. Ao colher acerola, deve-se proteger os braços com uma camisa de manga comprida e o pescoço.

PUBLICIDADE


O maior uso da acerola no Brasil é como suco. É utilizada também para produção de doces e de sorvetes, apesar de não ser tão comum encontrar doces ou geleias de acerola no Brasil.

A acerola é uma importante fonte de vitamina C, por isso o suco dela é considerado um medicamento para gripes, resfriados e baixas imunológicas.

As pesquisas não indicam toxidade em relação a acerola, é possível consumi-la livremente. Para que ela exerça função nutricional ou medicinal, é necessário consumir no mínimo 4 a 6 acerolas por dia.

Ação antioxidante

A acerola é possui alta atividade antioxidante devido a concentração de vitamina C, um dos melhores antioxidantes.

Os antioxidantes evitam processos inflamatórios, elevam a atividade do sistema imunológico, combatem radicais livres, evitam o envelhecimento e doenças crônicas, e combatem e previnem o desenvolvimento do câncer, pois protegem o material genético.

Vitamina C

A acerola pode possuir até 1500mg de vitamina C para cada 100g de fruta, perdendo apenas para o camu-camu, planta do cerrado brasileiro. Comparativamente, a acerola tem quase 20 vezes mais vitamina C que a laranja, que tem 85mg de vitamina C em 100g de polpa.

Apesar de ter essa grande quantidade de vitamina C, não se deve congelar a polpa da acerola, que, já processada para fazer o suco, perde mais de 50% da vitamina C.

A acerola é rica em vitamina C quando fresca ou congelada inteira, sem destruir a polpa. Quando não madura, ela tem maior concentração de vitamina C: enquanto a madura tem 1500mg em 100g de polpa, a não madura pode ter até 2000mg em 100g de polpa. Ao colher a fruta para fazer suco, deve-se dar preferência a frutos não maduros.

Um estudo conduzido no Japão demonstrou que a vitamina C da acerola é absorvida mais facilmente pelo organismo do que a vitamina C pura. Dessa forma, tomar suco de acerola é mais benéfico do que uma pastilha de vitamina C.

Proteção do fígado

Por conta da ação antioxidante, a acerola é capaz de proteger o fígado contra ataques químicos. Para quem toma paracetamol, remédios para tuberculose ou medicamentos que atacam o fígado, o suco de acerola é indicado.

Ação anti-inflamatória

A acerola também age como anti-inflamatório para qualquer inflamação, como colite, cistite, estomatite ou tendinite. A ação antioxidante dela impede que as enzimas inflamatórias (que estimulam as inflamações) atuem, resultando em um quadro inflamatório menor ao consumir o suco dela.

Controle dos níveis de açúcar e colesterol no organismo

O suco de acerola controla os excessos de açúcar na corrente sanguínea (hiperglicemia), impedindo, em parte, que o açúcar seja absorvido pelo intestino. Assim, quando a pessoa se alimenta com açúcares (amidos, carboidratos e açúcares de todo o tipo), eles são processados pelo sistema digestivo, mas não são absorvidos pelo intestino.

O suco da acerola reduz a taxa de triglicerídeos e do colesterol LDL (ruim) no organismo, ao mesmo tempo aumenta as taxas do HDL (colesterol bom).

A acerola pode ser utilizada dentro de dietas de emagrecimento. Quem precisa perder peso deve incluí-la no suco matinal, ou tomar suco de acerola durante o dia e durante as refeições, auxiliando na perda de gorduras e no controle do colesterol.

Prevenção do câncer

Muitas vezes um obeso acaba desenvolvendo certos tipos de câncer, como linfomas. Isso acontece porque o excesso de gordura no organismo leva a mutações no material genético – o DNA se danifica e a célula se torna cancerígena, se multiplica e cria cópias cancerígenas.

Por reduzir o perfil lipídico do indivíduo, a acerola protege o material genético desse tipo de mutação. Isso foi testado em cobaias que foram alimentadas com uma dieta rica em colesterol. Nesse experimento, os animais que foram alimentados também com acerola não tiveram deformação genética, ou seja, não desenvolveram células cancerígenas, diferentemente dos que não consumiram acerola.

Usos medicinais da farinha do bagaço da acerola

Na indústria, quando a acerola é processada para produzir sucos ou outros produtos, sobram as sementes, parte da casca e o bagaço, que normalmente é descartado em aterros sanitários. Milhares de toneladas de bagaço de acerola são desperdiçados todos os dias.

Em um teste, esse bagaço foi secado, triturado e transformado em farinha. Foram realizados testes na alimentação para verificar a atividade dele em relação a absorção de gorduras e de açúcares.

Essa farinha impede, no sistema digestivo, a ação de várias enzimas digestivas, como a lipase, a glucosidase, a amilase e a tripicina, responsáveis pela quebra de gorduras e de açúcares (carboidratos) durante a digestão. Se essas enzimas não atuam, as gorduras e açúcares não se quebram e, ao chegarem ao duodeno (intestino delgado) não serão absorvidas pelo organismo.

Quando se consome a farinha do bagaço da acerola, reduz-se expressivamente a absorção de gorduras e açúcares pelo organismo, o que ajuda nos casos de diabetes e obesidade.

Tratamento e prevenção dos melasmas

Melasmas são manchas escuras produzidas pela pele por conta de gravidez, exposição ao sol, ação de agentes químicos sobre a pele, etc.

Um estudo japonês demonstrou que o consumo do suco de acerola e também passá-lo na pele pode clareá-la, pois inibe a produção de melanina, pigmento que escurece a pele. Mesmo quando a pessoa se expõe a raios ultravioletas, as células cutâneas não produzem melanina, ou seja, não escurecem.

O uso da acerola é mais eficiente na prevenção, ou seja, para que a pessoa não desenvolva os melasmas, mas pode-se tentar reduzir o tamanho e a intensidade desses melasmas tomando esse suco todos os dias e passando-o sobre as áreas escurecidas, como axilas, virilha, cotovelos, joelho, rosto e em outras partes que porventura tenham sido escurecidas.

PUBLICIDADE