Abdominoplastia e miniabdominoplastia

Atualizado em:

PUBLICIDADE


Abdominoplastia e miniabdominoplastia: diferenças

A miniabdominoplastia executa-se por uma incisão reduzida semelhante à da cesariana. Na maioria dos casos, não é necessário construir umbigo novo. Do ponto de vista da recuperação, é um procedimento mais leve do que a abdominoplastia, cujo corte vai de um lado ao outro do abdômen, na linha do biquíni, que cobrirá a marca, além de ser preciso refazer o umbigo, que deixará uma cicatriz circular.

Mesmo que corretas, essas cirurgias podem deixar cicatrizes inestéticas no local, que é de difícil previsibilidade de cicatrização, porém hoje há técnicas que tornam possível refazer a cicatriz após a cirurgia ou tratá-la até o paciente ficar satisfeito.

Recuperação na abdominoplastia

Para evitar tensão sobre as cicatrizes, de sete a dez dias após a cirurgia é importante a pessoa andar curvada para frente e utilizar cinta por quatro a seis semanas: na primeira metade desse período, o dia todo; na segunda, por doze horas diárias.

Há drenos que se retiram entre cinco e sete dias após o procedimento, já os pontos, de sete a vinte e um dias.

PUBLICIDADE


Procedimento é aplicado à musculatura

Na abdominoplastia, é frequente a correção da diástase (separação da musculatura normalmente provocada pela gravidez). Há um ponto de fraqueza no centro do abdômen e a plicatura aproxima as colunas musculares, refazendo a cinta interna. Desse modo, contêm-se as vísceras e elimina-se a protrusão.

Remoção dos pontos

Os pontos de acabamento tiram-se cerca de sete dias após a operação e os do umbigo, entre duas e três semanas. A maioria dos cirurgiões utiliza fios de monocril, absorvíveis, portanto sem necessidade de remoção.

Artigo anteriorAbdominoplastia e gravidez
Próximo artigoAbdominoplastia: indicação
CRM: 130475. Graduação em Medicina pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (2008). Residência médica em cirurgia plástica pelo Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas (2014-2017). Residência médica em cirurgia geral pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (2008-2010). Pós-graduação em reconstrução mamária pelo Hospital Pérola Byington (2017-2018). Pós-graduação em dermatocosmiatria pela faculdade de Medicina do ABC Paulista FMABC (2017-2018). Especialização em Oxigenoterapia Hiperárica pela Sociedade Brasileira de Medicina Hiperbárica (2016).