Abacate: benefícios e como usá-lo

Propriedades do abacate

A árvore do abacate nasce em toda a América, desde o Brasil, Argentina, até o México. Originária das américas, hoje ela se distribui pelo mundo, estando presente em regiões tropicais como a África e a Índia.

PUBLICIDADE


Existem algumas variedades de abacate com diferentes formatos e texturas (uns mais redondos, outros mais compridos, pequenos ou grandes), mas todas da mesma espécie, a persea americana, com as mesmas propriedades químicas e farmacológicas, podendo ser consumidas como planta medicinal.

O abacate é uma fruta altamente nutritiva, rica em vitaminas, minerais e em gorduras saudáveis, além de ter pouquíssimo açúcar – por isso, na maioria dos países da América Latina o consumo dele é salgado, feito em saladas e patês.

PUBLICIDADE
cursos sobre plantas medicinais cpt

Propriedades medicinais das folhas do abacate

As folhas do abacate têm efeito analgésico (reduzindo a dor), anti-inflamatório e antitérmico (reduzindo a febre), e são, tradicionalmente, utilizadas para problemas urinários, principalmente da bexiga (como a cistite), para aumentar a produção de urina, etc. Podem ser utilizadas em casos de infecção, como a infecção urinária.

O abacate exerce uma significativa atividade vasorelaxante, ou seja, faz com que os vasos sanguineos se dilatem, permitindo que o sangue flua com maior facilidade, o que ajuda no controle da hipertensão arterial e da arteriosclerose – o envelhecimento das veias e artérias, que ficam enrijecidas e mais fechadas, dificultando a passagem do sangue, aumentando a hipertensão arterial e ocasionando risco de AVC, derrame cerebral e outros problemas cardiovasculares. Para o hipertenso, as folhas do abacate podem ser consumidas na forma de chá ou de extrato.

PUBLICIDADE


O chá das folhas do abacate é muito eficiente no tratamento do aparelho circulatório.

Existem pesquisas que confirmam o efeito anticonvulsivo das folhas de abacate. Isso foi comprovado em pessoas com epilepsia ou outras doenças convulsivas. As cobaias foram induzidas à convulsão, e as que tomaram os extratos feitos com as folhas do abacate tiveram convulsões menos intensas e em menor número. É um tratamento que não cura, por exemplo, a epilepsia, mas pode controlar os ataques convulsivos.

O efeito anticonvulsivo das folhas de abacate foi testado em comparação ao diazepam, com resultados muito semelhantes no controle das convulsões.

As folhas de abacate reduzem as taxas de açúcar na corrente sanguínea de maneira eficiente, sendo indicado para quem tem hiperglicemia, pré-diabetes ou diabetes tipo II (que não é insulinodependente).

O teste feito com cobaias não-diabéticas (com níveis normais de insulina no sangue) mostrou uma redução de quase 78% do açúcar no sangue. Nas cobaias diabéticas, as folhas de abacate reduziram em torno de 35% o nível de glicose, auxiliando, por exemplo, no tratamento da diabetes.

Redução do colesterol

As folhas do abacate reduzem o colesterol e as gorduras totais do organismo, diminuindo o LDH (o colesterol ruim) e regulando o HDL (o colesterol saudável, que é interessante ter no organismo em quantidades controladas). Muitas pessoas acreditam que, ao consumirem o abacate, estão consumindo colesterol bom, mas na verdade ele regulariza o colesterol do organismo.

O consumo constante do chá das folhas do abacate reduz o peso corporal, e portanto, é ideal para o tratamento da obesidade.

Ação antimicrobiana

As folhas do abacate têm ação antimicrobiana, combatendo vírus, bactérias e etc., e o uso delas foi testado contra o agente causador da tuberculose, obtendo efeito de inibir o desenvolvimento dela. Pessoas com tuberculose,podem utilizar os extratos ou mesmo o chá da folha do abacateiro.

Ação antiúlcera

As folhas do abacate têm ação antiúlcera, testada em cobaias, nas quais foram causadas úlceras com o uso de vários tipos de medicamentos que ferem a parede do estômago. Com o chá da folha do abacate, a parede do estômago foi protegida contra o efeito desses medicamentos e, nas cobaias que já tinham úlceras, elas foram reduzidas.

Para quem sofre de úlcera gástrica, o chá da folha do abacate é indicado.

Combate aos radicais livres

As folhas do abacate têm ação antioxidante, combatendo os radicais livres, que causam envelhecimento, problemas de saúde, dificuldades de regeneração celular, de cicatrização e facilitam inflamações, podendo até levar ao desenvolvimento de câncer. A redução da taxa de radicais livres melhora a condição de saúde, isso facilita a cura e evita o adoecimento.

Ação antiviral

Como antiviral, o chá das folhas do abacate combate com muita eficiência o desenvolvimento do vírus do herpes simples.

Ação protetora dos órgãos

As folhas do abacate são estimulantes e protetoras para o fígado e a vesícula. Elas protegem contra a ação de, por exemplo, medicamentos que prejudicam o fígado, como paracetamol e remédios para a tuberculose.

Para quem tem uma vesícula que não cumpre a função como deveria, indica-se chá de abacate.

Ação diurética

As folhas do abacate são conhecidas como um diurético, para casos de cistite, problemas renais ou urinários.

Elas não são um diurético que produz mais urina – a pessoa não irá urinar mais, mas irá urinar mais vezes, reduzindo o tempo entre uma ida ao banheiro e outra.

Se uma pessoa vai ao banheiro 4 ou 5 vezes ao dia, tomando a folha do abacate ela irá mais– 7, 8, 12 vezes.

Para aumentar o volume de urina, é necessário utilizar outro diurético, como cana-do-brejo, douradinha ou quebra-pedra.

Polpa do abacate: fitoesterol e redução do colesterol

A polpa do abacate é rica em fitoesterol, muito parecido com o colesterol, mas que exerce ação diferente no organismo.

1/3 de todo o colesterol é produzido pelo corpo, sintetizado pelo fígado. O fitoesterol inibe que o organismo produza o colesterol, assim a pessoa fica somente com o colesterol que vem da alimentação, reduzindo a taxa de colesterol em pessoas que a tem em um nível mais elevado.

O fitoesterol tem a capacidade de impedir o acúmulo de gordura visceral em torno dos órgãos, como o fígado.

A gordura consumida nas refeições é processada e, dela, surge o colesterol que seria absorvido no intestino. Com o fitoesterol, a absorção é inibida e essa gordura é eliminada em maior quantidade pelas fezes.

Os exames feitos com cobaias em laboratório demonstraram que o consumo da polpa do abacate aumentou em 15% o volume de gordura nas fazes, resultado do fitoesterol.

Ação cicatrizante

A polpa do abacate exerce uma ação cicatrizante. A aplicação dela, por exemplo como emplastro, em áreas que tiveram algum tipo de destruição dos tecidos epidérmicos (que foram feridas, cortadas ou queimadas), acelera o processo de regeneração e melhora as condições dos tecidos.

Prevenção do câncer de próstata

A polpa do abacate previne o câncer da próstata. Em exames feitos em laboratório, os extratos feitos com essa polpa foram aplicados sobre células cancerígenas da próstata, e o desenvolvimento delas foi inibido, ou seja, não se multiplicaram. Por conta disso homens de 40 anos ou mais devem consumir abacate.

Toxidade da semente do abacate

A toxidade do extrato das sementes do abacate foi testada para verificar se ele causava problemas no fígado, nos rins, no sangue, etc. Identificou-se que, em quantidades pequenas (como as utilizadas para fazer chá ou extratos), a semente do abacate não oferece toxidade, e o uso dela é seguro.

A semente do abacate começa a ser tóxica quando se utiliza uma quantidade muito alta dela, pois tem alguns princípios ativos que atacam, por exemplo, o fígado, porém, para isso seria necessário tomar várias colheradas de semente do abacate todos os dias.

Em doses comuns – uma colher de semente ralada para uma xícara de água, tomando duas ou três xícaras ao dia – não tem problema. Excedendo essas doses, surge algum risco de toxidade.

Ação biocida da semente do abacate

O extrato da semente do abacate é eficiente como fungicida e bactericida, inclusive contra a candida albicans – o fungo causador da candidíase, o “sapinho” na boca das crianças ou, nas mulheres, os “panos brancos” na região genital – com um alto percentual de eliminação do fungo. Em casos de infecção, como da garganta, da amídala, do estômago, do intestino ou machucados infecionados, a semente do abacate é indicada.

A semente do abacate pode ser utilizada como chá, extrato ou emplastro, para combater fungos como os causadores do pé-de-atleta, unheiro ou micoses na pele.

A semente do abacate foi testada contra larvas e mosquitos, como o da dengue (Aedes aegypti) e o que transmite a malária (Anopheles). A semente do abacate tem uma toxidade grande contra as larvas, matando praticamente todas.

Em lugares com acúmulo de água, é possível eliminar o risco da proliferação de mosquitos com o extrato da semente de abacate.

Controle da pressão arterial

Utilizar a semente do abacate como chá, extrato ou mesmo como pó na alimentação, exerce ação eficiente para o controle da pressão arterial. No caso de diabéticos, pré-diabéticos ou hiperglicêmicos, a semente do abacate é eficiente para controlar a glicemia (os níveis de açúcar no sangue), e ainda estimula e protege o pâncreas, levando até mesmo à regeneração das células dele.

Ação antirreumática

A semente do abacate tem ação antirreumática. Para quem sofre de reumatismo, de dores nas articulações das pernas, das mãos, etc., pode ser feito o extrato alcóolico da semente do abacate, ralando a semente de abacate, colocando algumas pedras de cânfora e deixando em repouso com álcool 70% durante cerca de uma semana. Deve-se esfregar esse álcool nas partes que doem por conta do reumatismo.

O chá da semente de abacate pode ser eficiente para controlar as diarreias, além de servir como estimulante do fígado, da vesícula, da bexiga e dos rins.

Receita de vermífugo com abacate

Uma receita popular, muito eficiente como vermífugo, consiste em ralar cerca de uma colherada de semente do abacate e misturar com uma xícara de polpa (a comestível) do abacate, sem açúcar ou levemente adoçada.

Cultivo de abacate em vasos

Uma muda de abacate propagada por enxertia ou alporquia pode produzir bem em vasos, dependendo da variedade. As variedades que produzem frutos muito grandes não são indicadas para vasos, ou somente para vasos muito grandes.

O abacate avocado é indicado para ser plantado em vasos, mas não se o plantio for feito de sementes. Nesse caso, ele vai demorar muito tempo produzir – 8 anos ou talvez mais – e, mesmo se podado, vai adquirir um tamanho grande demais para o vaso.

Além disso, por ser plantado de sementes, ele nem sempre vai manter as características da planta mãe e dificilmente vai ser uma réplica fiel das variedades do avocado (como o “Hass”, o “Fuerte”, o “Duke 7” ou o avocado sem semente), podendo até produzir abacates pequenos.

Quando for cultivar o abacate em vaso, é recomendado usar uma muda feita por clonagem. Assim, além de manter as características da planta mãe desejada, a produção será mais rápida. Consequentemente, pela planta começar a produzir mais cedo, ela vai destinar mais energia à produção de frutos do que à vegetação, e vai ser uma planta mais compacta.

Mudas de semente podem ser plantadas em lugar aberto para crescerem livremente.

Tamanho do vaso

Para cultivo em vasos, a muda do abacate avocado deve ser enxertada e de boa procedência, e o tamanho do vaso vai depender da quantidade de frutos que a pessoa deseja que a planta produza. Existem bonsais de abacate, principalmente de abacate avocado, que são mantidos pequenos, mas somente com uma fruta.

Se a pessoa deseja colher uma porção de frutos, recomenda-se, de início, um vaso de no mínimo 50l – pois, por menor que seja o abacate, ele ainda é uma fruta grande. Mesmo o abacate avocado, embora seja pequeno, é uma fruta que tem um tamanho considerável e que consome energia da planta para ser produzida. A planta precisa retirar energia de algum lugar, por isso recomendam-se vasos um pouco maiores.

Após cerca de 4 anos, a planta deve ser passada para um vaso maior. A planta precisa de terra boa, sol e água.

Desenvolvimento do abacateiro

Há relatos de uma pessoa que tem um abacate plantado em um vaso que há 6 anos não vai adiante. A pessoa retirou o abacate e o deixou com poucas raízes, e pretende replantá-lo com outra terra.

Nesse caso, se a muda for enxertada, a terra pode ser um problema. Se for uma muda de semente, ela realmente vai demorar a produzir. Já se ela não se desenvolve, o problema é a terra.

Para o cultivo do abacate, recomenda-se deixar a terra bem fofa. Ao regar a planta, não se deve esguichar a água com muita força, pois a própria água acaba compactando a terra. Recomenda-se usar um regador com furinhos finos e colocar uma camada morta de palha seca por cima da terra. Com isso, a planta certamente irá reagir muito bem.

Métodos de propagação do abacate

No caso do abacate, o melhor método de propagação é a enxertia. Deve-se utilizar um bom porta-enxerto, que enraíze bem. De modo geral, o abacate enraíza bem. O abacate também enraíza por alporquia, mas talvez não seja um enraizamento tão bom, por isso a enxertia é mais utilizada.

Se a pessoa deseja manter as características da planta mãe, no caso do abacate, recomenda-se a propagação por enxertia. Se a pessoa deseja usar o abacate simplesmente como reflorestamento, por exemplo, recomenda-se plantá-lo de semente, pois a árvore ficará maior.

Cada planta pede um método diferente de propagação.

Polinização cruzada nos abacates

De maneira geral, nos abacates, incluindo o abacate avocado, a necessidade de polinização cruzada se dá somente nos plantios comerciais, nos quais se espera uma produção máxima e otimizada das plantas.

Em pomares domésticos, um só pé de qualquer espécie de abacate vai produzir muito mais frutos do que a pessoa conseguirá consumir. Todo abacate tem flores fêmeas e flores machos – uns têm mais fêmeas, outros mais machos. A polinização cruzada com mais de uma variedade no pomar é com o intuito de abranger uma máxima polinização.

Mesmo que a pessoa tenha só uma planta, vai haver polinização.

No caso do abacate avocado, a proporção de flores machos e fêmeas é bem balanceada. Assim, com apenas uma planta a pessoa terá uma produção excelente de frutos.

PUBLICIDADE